sexta-feira, 28 de abril de 2017

Genealogia dos Buonaparte mais detalhada

dos
Buonaparte

Os Cadolingi, era uma das famílias mais poderosas da Toscana, tanto que foram Condes de Pistoia e de Fucecchio, eram nobres de origem Longobarda, com feudos no Vale do Rio Pesa e nas Colinas Pisane (Colline Pisane).
O ultimo dos Cadolingi que se tem notícia foi o nobre Ugolino III morreu em 1113 e com ele a nobre dinastia.
Um documento falso do século XIX, que está nos Archivio di Stato di Firenze, faz do nobre Ugolino III um ancestral da Família Buonaparte, de La Maison Impériale de France, da Família Bonaparte.
O documento é “ uma falsificação moderna, áspera, sendo obra de um certo Passerini, que dirigia a Biblioteca Magliabechiana de Florença”, pois Napoleão III, em 1856, pediu a ele para traçar a árvore genealógica da família já que Napoleão I, seu tio, havia afirmado que ela, os Bonaparte, havia começado no 18 brumaire, que corresponde a 9 de novembro de 1799 pelo calendário gregoriano, data na qual se iniciou a Era Napoleônica na França.
Sabe-se que a Família Buonaparte era de Florença, onde eles tomaram o partido dos Gibelinos, o grupo que era pró Imperador do Sacro Império Romano Germânico, e com a vitória do Partido Guelfo, o grupo que era pró Papa de Roma, no século XIII, seus membros tiveram que se exilar, e assim se estabeleceram na Repubblica di Genova em duas localidades, a de San Miniato e a de Sarzana.
Contudo, existe três famílias de sobrenome Bonaparte, uma proveniente de Treviso, outra de San Miniato, e mais outra de Sarzana.
1- A Buonaparte de Treviso, localidade disputadíssima, mas que pertencia a Veneza:
Foram Podestà, Magistrado no norte da Itália medieval, em Verona e Pádua. Essa família se extinguiu com o Cavaleiro Servadius Buonaparte, prior da ordre des chevaliers Gaudens ou  l'ordre de la Vierge-Glorieuse, em 1397. O nome dos Buonaparte está escrito no Libro d'Oro (Livro de Ouro), Sala dello Scrigno (Sala do Relicário), no qual eram escritos todos os nomes dos Patrícios Venezianos.
2- O Ramo Buonaparte de San Miniato:
São Miniato: Não se sabe onde e quando nasceu, mas sua morte é dada de cerca de 250 d.C., ou e.c.. É reverenciado em todas as Igrejas que admitem o culto dos santos, e seu dia é 25 de outubro. ” Segundo a tradição ou era um soldado romano ou, de acordo com outras lendas, um rei de origem armênia , que passava por Florença durante a perseguição cristã de Décio - Caio Messius Quinto Traiano Decio- Imperador Romano de 249 até o dia de sua morte, 1 de julho de 251, e que tendo recusado a adorar os deuses pagãos foi condenado à tortura no ' anfiteatro da cidade, sendo decapitado na Porta  alla Croce, e ainda pela lenda se diz  que o santo depois de morto segurou sua cabeça com as próprias mãos (um dos poucos cefalofori *) e indo para o  Mons Florentinus onde hoje se ergue La basilica abbaziale di San Miniato al Monte, a Igreja Basílica perto de Florença.”
·         cefalofori -  o termo cephalophore (do grego kefalos , "cabeça", e foreo , "carry") refere-se ao fenômeno de que alguns santos mártires , após a decapitação , se reuniram com a cabeça decepada, segurando-a em suas mãos. Os santos mártires da qual se lembra este milagre são chamados cefalofori. Um dos mais famosos é Saint Denis, o primeiro bispo da cidade de Lutetia , hoje Paris , o então Gallia Romana).

San Miniato al Tedesco, hoje somente San Miniato, uma cidade da Província de Pisa, na Região da Toscana, Itália, na Idade Media ficava na rota da antiga Via Francigena, que como o nome diz era uma estrada que vinha da França para Roma e vice-versa, um caminho obrigatório para os peregrinos que iam visitar os Túmulos de São Pedro e São Paulo.
Era, também, o cruzamento das estradas que iam para Florença, Pisa, Lucca e Siena.
O núcleo central da cidade foi erguido por Longobardos no Século VIII, em 783, conforme documentos que estão nos arquivos da Arquidiocese de Lucca e nele erguida uma capela dedicada a São Miniato, primeiro mártir cristão na Cidade de Florença.
Sendo um cruzamento durante Séculos, prosperou por conta do comercio, dos serviços que prestava aos viajantes, e sofreu com a passagem de todo o tipo de Exércitos.
No Século X, Otto I, O Grande, construiu um castelo onde o Vigário Imperial, o Governador para a Toscana, se instalou.
Por ser em um ponto estratégico sobre o Vale do Rio Arno, o segundo maior rio da Itália, Frederico Barbarossa deu inicio a construção das muralhas e Frederico II aperfeiçoou as defesas e melhorou o castelo – forte (a Rocca e sua Torre).
No Século XVII, em 1622, torna-se Sede Episcopal e promovida de Vila a Cidade.
No final do Século XIII e todo o Século XIV a população de San Miniato al Tedesco se viu envolvida nos confrontos entre os Guelfos e Gibelinos.
San Miniato al Tedesco em 1291 como aliada de Florença foi guelfa, para em 1307 se aliar a Arezzo e se tornar gibelina.
San Miniato al Tedesco era controlada por Florença, mas se rebelando sempre instigada por Pisa.
San Miniato al Tedesco por ordem de Napoleão Bonaparte passou a fazer parte do Reino de Etrúria, isso é dos Domínios na Toscana que o Imperador dos Franceses deu a Casa de Bourbon- Parma, domínios esses que por sua vez foram anexados pelo Império Francês em 1807, tornando-se os departamentos de Arno, Mediterrâneo e Ombrone.
San Miniato al Tedesco depois de vencido Napoleão foi incorporada ao Grão-Ducado de Toscana por determinação do Congresso de Viena.
San Miniato al Tedesco pelo “ resultado do plebiscito de 1860 por inequívoca vontade de seus cidadãos (1.755 votos a favor, 566 para permanecer no Grão-Ducado da Toscana, e 54 votos em branco) foi anexada ao Reino da Sardenha”.
Finalmente San Miniato al Tedesco passou a ser território do Reino unificado da Itália em 1861.  
Em San Miniato al Tedesco se houve falar bem dos Buonapartes, pois Jacopo Buonaparte foi conselheiro do Papa Clemente VII, nascido Giulio di Giuliano de' Medici, tendo escrito sobre o Saque de Roma de 6 de maio de 1527 pelo Imperador Carlos V e suas tropas, que é considerado o mais importante documento descritivo desse fato histórico, no contexto da Guerra da Liga de Cognac.
Ainda nesse contexto como resultado da crise que estourou em Florença, que acabou depondo os Medici e proclamada a terceira Republica Florentina, os irmãos Pier Antonio Buonaparte e Giovanni Buonaparte, sobrinhos de Jacopo, foram banidos, contudo com a Restauração da Família Pontifícia a frente da Cidade eles foram anistiados e tiveram suas posições restauradas. Já Benedetto Buonaparte, irmão de Jacopo e pai dos moços, por ter se mantido neutro politicamente não recebeu nenhum tipo de punição.
No Século XVI Messer Vittorio di Battista e Buonaparte e sua esposa Antonia de Bindo Portigiani, encomendaram  a Giuliano di Baccio d'Agnolo a construção do hoje Palazzo Formichini, adquirido no Século XIX pela Família Formichini ( ou Formighini) , localizado na Via IV Novembre, onde está instalada sede da Cassa di Risparmio di San Miniato ( Banco de Poupança de San Miniato), com sua  valiosa coleção de obras de arte, incluso um quadro de autoria de Egisto Sarri  cujo o tema é a entrada de Napoleão na cidade.
Com o casamento de Jacopo Buonaparte com Lucrezia Franchini o Palácio passou a ser chamado de Palazzo Buonaparte-Franchini.
Em 1570 há registro de Giovani Buonaparte, um gentil-homem agregado a Família Orsini, que deu os Papas Nicolau III e Bento XII, Dinastia Orsini essa que teve trinta e quatro Cardeais, diversos Príncipes e Duques, bem como Cavaleiros das Ordens do Tosão de Ouro, Teutônica e do Espírito Santo. 
Seu ultimo representante desse Ramo dos Buonapartes, os Buonaparte di San Miniato, foi o Abade Gregório Buonaparte, aquém Napoleão conheceu em uma de suas vistas a Cidade, e que tentou convencer ao Imperador dos Franceses de providenciar a canonização de um de seus parentes o também Abade, Boaventura Buonaparte.
Ao morrer o Abade Gregório Buonaparte deixou todos os seus bens para Napoleão que os doou a Florença.  
Chamo atenção que segundo alguns historiadores Carlo Maria Buonaparte foi a San Miniato em busca de Certificados de Fidalguia, de Velha Nobreza, bem como Napoleão, ainda estudante foi com o mesmo intuito para poder ser admitido na Escola Militar de Paris, apesar de seu pai já ter feito prova de Nobreza para ele poder cursar a Escola Militar de Brienne (L'école militaire de Brienne-le-Château).
Em 2 de Julho de 1796, Napoleão, ocupado com a tomada de Livorno, voltou a San Miniato para visitar o idoso, Filippo Buonaparte.
3 – A Família Buonaparte de Sarzana do qual realmente o General Napoleão Bonaparte, Imperador dos Franceses & etc., e seus irmãos, descendem.
Genealogia dessa Família

 Gianfardo, ou Gianfaldo, nascido e criado em Sarzana. Final do Século XII e início do Século XIII, Patrício de Florença e de Sarzana, casou com Imelda de Nerli. Foram pais de;
1--à Guglielmo di Gianfaldo, detto Buonaparte, Notário, um membro da elite ou nobreza de Sarzana e chamado de o Velho de Sarzana (*- + segundo uns em 1313, segundo outros 1245), com uma mulher desconhecida foi pai de;
I ─ ─> Giacomino di Buonaparte;
II --à Giovanni di Buonaparte (*? - + 1312) casou com:
I-Vita, filha de Pasqualini di Sarzanello – ver abaixo;
II- Giovanna Sacchetti, filha de Filippino Sacchetti;
Nota: Giovanni di Buonaparte com Vita di Sarzanello:
                 A ─ ─> Iacopo, ou Jacopo, ou Giacopo, ou Giacopuccio, ou Giacometto, Notário Imperial, Juiz ou Prefeito em Sarzana (*? - + 1338) com uma mulher desconhecida foi pai de;
                 B ─ ─> Nicolosio di Buonaparte, ou Nicolao, ou Nicolo ou Nicoloxii, Notário Imperial (*?   - + 1397), com uma mulher desconhecida foi pai de;
1---- à Jacopo Buonaparte (*? - † c. 1405)
2----àGiovanni di Buonaparte, Notário, Prefeito de Sarzana, Comissário de Giovanni Maria Visconti, Duque de Milão, Signore di Bologna, no ano de 1408 para Lunigiana, um território histórico de Itália situado entre o norte da Toscana e Ligúria ao longo do rio Magra, nas atuais Províncias de La Spezia e Massa-Carrara.
Casou em 24 abril de 1397 com Isabella Calandrini, filha de Federico Calandrini, officiale della Porta San Donato, em Lucca, em 1340. Federico Calandrini era casado com Maddalena Griffi. Era primo do Cardeal Filippo Calandrini, meio-irmão do Papa Nicolau V (Tommaso Parentucelli , nascido em Sarzana a 1397).
Giovanni e Isabella foram pais de:                        
I ─ ─> Cesare, ou César, di Buonaparte, Notário, Membro Conselho de Anciãos de Sarzana (1464), casou com em 1440 com Appolonia Malaspina, filha ilegítima de Nicolò, Marques de Verrucola (Niccolò Malaspina, Marchese di Verrucola).
 Foram pais de:
1- --à Giovanni di Buonaparte, superintendente do palácio de St Martin de Fabrizio I , Príncipe de Colonna, Duque de Paliano, Marquês de Atessa e Carseldine, Marquês de Manoppello, Conde de Tagliacozzo, Condestável do Reino de Nápoles, Barão de Val Roveto e Corvaro, Senhor de Alba Fucens, Genazzano, Marino, Anticoli, Arnara, Castro, Collepardo, Falvaterra, Giuliano, Morolo, Paliano, Supino, Vico, Vallecorsa, Rocca di Cave, Rocca di Papa, Pofi, Piglio e outros feudos, considerado um dos líderes mais importantes da época, é o principal interlocutor da arte da guerra , de Niccolò Machiavelli.
Giovanni com mulher desconhecida foi pai de:
A- ─ ─> Cesare di Buonaparte;
B-- --> Francesco, dito Il Mauro, (* ???Liguria, Génova - + Ajaccio, Córsega, 17.09.1540), mercenário, arqueiro munido de uma besta a cavalo, casou com Caterina di Castelletto, filha de Guido di Castelleto, nascido em Pietrasanta, Lucca, Toscana, e funcionário na Córsega do Banchi di San Giorgio (em latim: Officium comperarum et bancorum Sancti Georgii), Banco de São Jorge, fundado em 1407 em Genova.
Il Mauro e Caterina foram pais de:
I----à Messer – Comandante - Gabrielle di Buonaparte dito « di Sarzana », (* Sarzana, c. 1500 - † Liguria, Génova, 1589) Soldado Mercenário da Repubblica di Genova em Ajaccio, casou com Montana di Francesco Montana, foram pais de:
1-      ──> Girolamo, ou Jeronimo, di Buonaparte, Notário, Procurador dos Nobres Anciãos (procuratore dei Nobili Anziani), Deputado d'Ajaccio, Membro de Ajaccio no Senado de Genova, casou com Pellegrina Calvari, filha do Messer Quilico Calvari e Rochetta Calvari- ver abaixo;
2-      --à Agostino di Buonaparte que de mulher desconhecida foi pai de Angela Maria di Buonaparte que casou com o genovês Michele Basso;
3-      -à Maria Battesina di Buonaparte que casou com o Alferes Porta Bandeira Giovanni Ambrosio Cavatorta, com descendência;
4-      Na di Buonaparte que casou com Messer Filippo Pietrasanta. Com descendência;
5-      Franceschetta di Buonaparte que casou com Pantaleo Mortara;
6-      Caterina di Buonaparte que casou com Nicola Baciocchi di Ajaccio.
a-       Messer Magnifico Francesco Buonaparte (* c. 1570 - † Ajaccio, 29.05.1633) , Capitão da Cidade (capitano della città), Membro do Conselho dos Anciãos de Ajaccio (membro del Consiglio degli anziani d’Ajaccio), que casou com Camilla Catacciolo (* Bonifacio (Bunifaziu em corso, cidade da região da Córsega do Sul) em data ignorada (?)- † Ajaccio, Corsega,13/03/ 1624). Camilla Catacciolo casou com Buonaparte em 1602, e era filha do Nobile Carlo Catacciolo, neta do Conde Fillipo Catacciolo. Ver abaixo;
b-      Laura Maria Buonaparte que casou com Giovan Maria Baiocchi em 1600i;
c-       Luciano Buonaparte.

Nota: Messer Magnifico Francesco di Buonaparte e Camilla Catacciolo foram pais de:
1-      Geronima di Buonaparte (* Ajaccio, 1602 - + Campo, Córsega do Sul.22/01/1642) que casou com Domenico di Bozzi
2-      Sebastiano di Buonaparte (* Ajaccio 1603 - + Ajaccio, 28/02/1642) - capitão e comerciante de grãos de vinho e - membro dos Conselhos de Anciãos em 1620 e 1622, Notário -  que casou duas vezes: A primeira com Ángela Félice Trolio-Lubera di Troilo Lubera, do Conselho dos Anciãos, e Capitão, a segunda com Marie Rastelli di Messer Domenico Rastelli, notário, do sindicato da Comunidade de Ajaccio e Comissário das Estradas. Ver abaixo;
3-      Marinetta di Buonaparte que casou com Ciuseppe Costa
4-      Maria Rocchetta di Buonaparte que casou com Messer Giacomo Antoni Legaluppi
5-      Giacomietta di Buonaparte que casou com Messer Grazioso Tavera
6-      Pellegrina di Buonaparte que casou com Giovanni Natale Martinenghi

Nota: Sebastiano di Buonaparte com sua segunda esposa, Marie Rastelli, foram pais de:
A-      Geronimo di Buonaparte (* Ajaccio, 15/05/1631 - + Ajaccio 28 de agosto de 1650), que casou com Isabella Costa ( + Ajaccio 1633 - + 14 de dezembro, de 1703);
B-      Camilla di Buonaparte (* Ajaccio 26/07/1632 - + Ajaccio, 24 de dezembro de 1705), que casou com Giovanni Valerio Costa;
C-      Alessandro di Buonaparte natimorto.;
D-      Maddalena Buonaparte *- + 1634/01/12;
E-      Nobile magnifico Carlo Maria di Buonaparte (*Ajaccio, em outubro de 1637 -  + Ajaccio, 26/08/ 1692), membro do Conselho de Anciãos de Ajaccio em 1666, 1670, 1681, 1685, 1687, 1688, 1690, 1691, que casou com Virginia Odone (* Ajaccio 27/02 / 1642 – Ajaccio +?), filha de Pietro Odone, negociante abastado genovês, e da Nobile Constanza Pozzo di Borgo, em Ajaccio no dia 10 de junho de 1657. Foram pais de:
1-      Fiordaliso di Buonaparte (*? - +?), que casou com Domenico Costa (* Ajaccio março de 1669- + Ajaccio 4/09/1702);
2-      Magnifico Giuseppe Maria di Buonaparte (* Ajaccio, 1663/02/24 - + Ajaccio 24 /10/ 1703), membro do Conselho dos Anciãos de Ajaccio, que casou com Maria Colonna di Bozzi di Antonio Bozzi dei Signori de Altu Taravu, e de Giustina Lomellini, em Ajaccio, 20/12 / 1682. Vide abaixo:
3-      Giovanni Battista di Buonaparte * 1669/05/04
4-      Francesco di Buonaparte * 20/12/1671

Nota: Magnifico Giuseppe Maria di Buonaparte com Maria Colonna di Bozzi foram pais de:
a-       Magnifico Sebastiano Nicola di Buonaparte (* Ajaccio 29/09/1683 - + Ajaccio, 24/11/.1769)
Nobiledonna Maria Anna Tusilo (* Bocognano (em corso Bucugnà ) em 1690 - + Ajaccio, 17/09 /1760)., filha de Messer Messer Carlo Tusilo e de    Madonna Isabella . Ver abaixo;
b-      Antonio di Buonaparte * 1684
c-       Francesca Maria di Buonaparte * 1685/12/07
d-      Carlo Maria di Buonaparte * 1687/06/08
e-      Francesco di Buonaparte * 18/04/1689
f-        Paolo Geronimo di Buonaparte * 1696/02/01

Nota: Magnifico Sebastiano Nicola di Buonaparte e a Nobiledonna Maria Anna Tusilo, foram pais de:
1-Paola Maria di buonaparte (* Ajaccio 25/08/1710 - + Ajaccio?). Casou três vezes:
a-       Com Pietro Ternano em 29 de junho de 1737;
b-      Com o nobre (il nobili) Michelangelo Durazzo di Fozzano ( *1698- + 1769), detto  Conte (Conde) della Rocca, Generale dell'Armata Indipendente di Corsica, em 1750. Michelangelo Durazzo di Fozzano é muitas vezes chamado de General Michel Durazzo, um dos maiores defensores do Rei efêmero da Córsega, Teodoro I di Corsica, nascido Barão Theodor Stephan von Neuhoff, de uma família nobre de Vestefália, reinou de 15 de abril de 1736 até 15 de setembro de 1738 (2 anos e 5 meses), fugiu duas vezes da Córsega e morreu falido em Londres no dia 11 dezembro de 1756, no Soho, na casa de um artesão judeu que lhe acolheu. Theodor Stephan von Neuhoff está sepultado no cemitério da Igreja de St. Anne em Westminster;
c-       Gaetano Alata em 14 de janeiro de 1756.

3-Maddalena di Buonaparte casou em 1736 com Federico von Drost, Baron von Moersbruck (Barão de Moersbruck), primo de Teodoro I, Re di Corsica;
3- Magnifico Giuseppe Maria di Buonaparte (* Ajaccio 31/05/1713 -  + Ajaccio 1763/12/13) que casou com Maria Saveria Paravicini (* Ajaccio, 1717/09/07 - † Córsega do Sul, Ajaccio, 19/01/1795), filha de Giuseppe Maria Paravicini e de Maria Angela Salineri. Vide abaixo:
4-Napoleone di Buonaparte (* Ajaccio, c. 1717 - † Corto, 17/08/1767), membro do Conselho dos Anciãos de Ajaccio. Morto durante as guerras com a França que tentaram tomar posse da Córsega pela força. Que casou com Marie Rosa Bozzi. Foram pais de Isabella Maria Buonaparte (* 1749 - † 1816), que casou com Ludovico Antonio Ornano (* 1744- † 1816), que foram pais de Philippe Antoine d'Ornano primo de Napoleão I, Imperador dos Franceses. Philippe Antoine d'Ornano foi Marechal de Franças, Conde do Império, Pair (Par) de France, Grã-  Cruz da Legião de Honra e Grão- Chanceler da Legião de Honra e, em seguida, governador do Invalides, Senador do Segundo Império (Napoleão III), possui outras condecorações. “ Seu nome aparece no arco do Triunfo, em Paris. Por decreto de 2 de março de 1867, um caminho recém-aberto de 18 ° arrondissement de Paris recebeu o nome Boulevard Ornano em sua honra”. “ Philippe Antoine d’Ornano, nascido17 de janeiro de 1784 em Ajaccio, morreu a 13 de outubro de 1863 em Paris, e está sepultado no Hôtel des Invalides. “ No dia 7 de setembro de 1816, cathédrale Saints-Michel-et-Gudule de Bruxelles, ele se casou com Marie Walewska (nascida Maria Łączyńska), antiga amante de Napoleão I”.
5-Luciano di Buonaparte - Monsenhor Don Luciano di Buonaparte (* Ajaccio 8 de janeiro, 1718 - + Ajaccio 15 outubro de 1791). Arcediago da Catedral da Diocese de Ajaccio em 177. Reconhecido Noble, com estofo de Nobreza provada para além de 200 anos, pelo o Conselho Supremo da Córsega;
6-Carlo Sebastiano di Buonaparte, filho póstuma nascido em 19 de outubro de 1720, e falecido em 20 de outubro de 1720 na cidade de Ajaccio.

Nota: Magnifico Giuseppe Maria di Buonaparte e Maria Saveria Paravicini fora, pais de:
1-Maria Getrude di Buonaparte (* Ajjacio 28/11/1741- † Ajaccio dezembro de 1793) que casou com seu primo                 Niccolò Luigi Paravicini, filho do irmão de sua mãe, portanto seu tio, Giovanni Battista Paravicini e de Maria Angela Salineri.
2- Sebastiano di Buonaparte (* Ajaccio 1743- Ajaccio † 24/01/1760) que morreu com 17 anos;
3- Carlo Maria di Buonaparte, também, Charles Marie de Buonaparte (* Ajaccio, 27.03.1746 - † Montpellier, 24.02.1785 que casou com Maria Laetitia Ramolino ( * Ajaccio, 24/08/1750 - † Roma, Estados Pontifícios,  02/02/1836), filha do Nobile Giovanni Geronimo Romalino, Capitão de infantaria e cavalaria , e da Nobilidonna Angela Maria Pietrasanta, uma filha do                Nobile Giuseppe Maria Pietrasanta e da Nobilidonna  Maria Giuseppa Malerba, essa depois de viúva casou com Franz Fesch, e são os pais do Cardeal Joseph Fesch, oncle Fesch, Arcipreste da Catedral de Ajaccio , Embaixador da França junto à Santa Sé , Grande Capelão do Imperador, Arcebispo de Lyon. Os pais de Napoleão I, Imperador dos Franceses.
4-Marianna di Buonaparte- sem informações.
Maria Saveria Paravicini di Buonaparte morreu antes de seu marido, que se casou uma segunda vez com Maria Virginia Alata (5 de fevereiro, 1725 -?), filha de Domenico Alata. Sem descendência. Giuseppe Maria Buonaparte e Maria Saveria Paravicini di Buonaparte estão sepultados na Capela Imperial de Ajaccio.

Nota: Carlo Maria Buonaparte, Reconhecido Noble, com estofo de Nobreza provada para além de 200 anos, pelo o Conselho Supremo da Córsega, Advogado ao Conselho Supremo da Córsega, Deputado pela Córsega, cortesão na Corte de Versalhes em tempos de Luis XVI,  e Donna Maria Letizia Ramolino, foram os pais de Joseph , Napoleão ( o Imperador) , Luciano , Elisa , Louis , Pauline , Carolina e Girolamo ( Jeronimo)

Para cada filho do Representante da Nobreza da Córsega, Nobile Carlo Maria Buonaparte, e de sua esposa, Sua Majestade Imperial Mãe de Imperador - Madame Mère de l'Empereur –  Maria Letizia Bonaparte, née Donna Maria-Letizia Ramolino, eu dedicarei uma página subsequente por ordem de nascimento.

continua...