sexta-feira, 7 de abril de 2017

Os Buonaparte, depois Bonaparte

Napoleone di Buonaparte
Napoléon Bonaparte 
militaire, général dans les armées de la Première République française
Premier consul
Président de la République italienne
Médiateur de la Confédération suisse
Protecteur de la Confédération du Rhin
Roi d'Italie
Empereur des Français

Desde 1284, a Córsega estava sob o domínio da República de Génova.
Étienne François Beaupré-Stainville, conhecido como Choiseul, Conde de Choiseul, depois Duque de Choiseul e de Amboise, Par de France, Ministro de Luís XV, ante a perda da Nouvelle-France e das Índias Francesas para a Grã-Bretanha, domínios estes que faziam parte do Império Transcontinental Francês, se voltou para o Mar Mediterrâneo na busca de posições estratégicas para defender a França do poder crescente de Sua Majestade Britânica, e cobiçou a Córsega.
Ante uma revolta dos corsos a República de Génova pediu ajuda militar a França para conte-la, e foi quando o plano de Choiseul começou a tomar forma.
A ajuda custou caro, uma dívida de 2 milhões de libras, dívida essa que a República de Génova não tinha como pagar e assim pelo Tratado de Versalhes - Traité de Versailles – 15 de maio de 1768 a orgulhosa república da a península Itálica deu em pagamento a Córsega ao Rei de França.
Assinaram o Tratado por « Sa Majesté Très Chrétienne Louis XV, Roi de France et de Navarre, o então Conde de Choiseul, e pela Serenissima Repubblica di Genova o embaixador Agostino Paolo Domenico Sorba em nome de Il Serenissimo Marcello Durazzo, Doge della Repubblica di Genova.
Acontece que ....
Dos
Buonapartes

Os Cadolingi Condes de Pistoia e Fucecchio, Nobres de origem Longobarda, com feudos no Vale do Rio Pesa e nas Colinas Pisane (Colline Pisane).
O último dos Cadolingi que se tem notícia foi o nobre Ugolino III, que morreu em 1113 e é dele que descende a Família Buonaparte, e La Maison Impériale de France, a Família Bonaparte.
A Família de Ugolino III se estabeleceu primeiramente na Lunigiana, a seguir em Florença, por fim na Repubblica di Genova em duas localidades, a de San Miniato e a de Sarzana.
1- O Ramo Buonaparte de Treviso, que pertencia a Veneza:
Foram Podestà, Magistrado no norte da Itália medieval, em Verona e Pádua. Esse Ramo se extinguiu com o Cavaleiro Servadius Buonaparte em 1397. O nome dos Buonaparte está escrito no Libro d'Oro (Livro de Ouro), Sala dello Scrigno (Sala do Relicário), no qual eram escritos todos os nomes dos Patrícios Venezianos.
2- O Ramo Buonaparte de San Miniato:
San Miniato al Tedesco, hoje somente San Miniato, uma cidade da Província de Pisa, na Região da Toscana, Itália, na Idade Média ficava na rota da antiga Via Francigena, que como o nome diz era uma estrada que vinha da França para Roma e vice-versa, um caminho obrigatório para os peregrinos que iam visitar os Túmulos de São Pedro e São Paulo.
Era, também, o cruzamento das estradas que iam para Florença, Pisa, Lucca e Siena.
O núcleo central da cidade foi erguido por Longobardos no Século VIII, em 783, conforme documentos que estão nos arquivos da Arquidiocese de Lucca e nele erguida uma capela dedicada a São Miniato, primeiro mártir cristão na Cidade de Florença.
Sendo um cruzamento durante Séculos, prosperou por conta do comercio, dos serviços que prestava aos viajantes, e sofreu com a passagem de todo o tipo de Exércitos.
No Século X, Otto I, O Grande, construiu um castelo onde o Vigário Imperial, o Governador para a Toscana, se instalou.
Por ser em um ponto estratégico sobre o Vale do Rio Arno, o segundo maior rio da Itália, Frederico Barbarossa deu início a construção das muralhas e Frederico II aperfeiçoou as defesas e melhorou o castelo – forte (a Rocca e sua Torre).
No Século XVII, em 1622, torna-se Sede Episcopal e promovida de Vila a Cidade.
No final do Século XIII e todo o Século XIV a população de San Miniato al Tedesco se viu envolvida nos confrontos entre os Guelfos e Gibelinos.
San Miniato al Tedesco em 1291 como aliada de Florença foi guelfa, para em 1307 se aliar a Arezzo e se tornar gibelina.
San Miniato al Tedesco era controlada por Florença, mas se rebelando sempre instigada por Pisa.
San Miniato al Tedesco por ordem de Napoleão Bonaparte passou a fazer parte do Reino de Etrúria, isso é dos Domínios na Toscana que o Imperador dos Franceses deu a Casa de Bourbon- Parma, domínios esses que por sua vez foram anexados pelo Império Francês em 1807, tornando-se os departamentos de Arno, Mediterrâneo e Ombrone.
San Miniato al Tedesco depois de vencido Napoleão foi incorporada ao Grão-Ducado de Toscana por determinação do Congresso de Viena.
San Miniato al Tedesco pelo “ resultado do plebiscito de 1860 por inequívoca vontade de seus cidadãos (1.755 votos a favor, 566 para permanecer no Grão-Ducado da Toscana, e 54 votos em branco) foi anexada ao Reino da Sardenha”.
Finalmente San Miniato al Tedesco passou a ser território do Reino unificado da Itália em 1861.  
Em San Miniato al Tedesco se houve falar bem dos Buonapartes, pois Jacopo Buonaparte foi conselheiro do Papa Clemente VII, nascido Giulio di Giuliano de' Medici, tendo escrito sobre o Saque de Roma de 6 de maio de 1527 pelo Imperador Carlos V e suas tropas, que é considerado o mais importante documento descritivo desse fato histórico, no contexto da Guerra da Liga de Cognac.
Ainda nesse contexto como resultado da crise que estourou em Florença, que acabou depondo os Medici e proclamada a terceira Republica Florentina, os irmãos Pier Antonio Buonaparte e Giovanni Buonaparte, sobrinhos de Jacopo, foram banidos, contudo com a Restauração da Família Pontifícia a frente da Cidade eles foram anistiados e tiveram suas posições restauradas. Já Benedetto Buonaparte, irmão de Jacopo e pai dos moços, por ter se mantido neutro politicamente não recebeu nenhum tipo de punição.
No Século XVI Messer Vittorio di Battista e Buonaparte e sua esposa Antonia de Bindo Portigiani, encomendaram  a Giuliano di Baccio d'Agnolo a construção do hoje Palazzo Formichini, adquirido no Século XIX pela Família Formichini ( ou Formighini) , localizado na Via IV Novembre, onde está instalada sede da Cassa di Risparmio di San Miniato ( Banco de Poupança de San Miniato), com sua  valiosa coleção de obras de arte, incluso um quadro de autoria de Egisto Sarri  cujo o tema é a entrada de Napoleão na cidade.
Com o casamento de Jacopo Buonaparte com Lucrezia Franchini o Palácio passou a ser chamado de Palazzo Buonaparte-Franchini.
Em 1570 há registro de Giovani Buonaparte, um gentil-homem agregado a Família Orsini, que deu os Papas Nicolau III e Bento XII, Dinastia essa que teve trinta e quatro Cardeais, diversos Príncipes e Duques, bem como Cavaleiros das Ordens do Tosão de Ouro, Teutônica e do Espírito Santo. 
Seu último representante desse Ramo dos Buonapartes, os Buonaparte di San Miniato, foi o Abade Gregório Buonaparte, aquém Napoleão conheceu em uma de suas vistas a Cidade, e que tentou convencer ao Imperador dos Franceses de providenciar a canonização de um de seus parentes o também Abade, Boaventura Buonaparte.
Ao morrer o Abade Gregório Buonaparte deixou todos os seus bens para Napoleão que os doou a Florença.  
Chamo atenção que segundo alguns historiadores Carlo Maria Buonaparte foi a San Miniato em busca de Certificados de Fidalguia, de Velha Nobreza, bem como Napoleão, ainda estudante foi com o mesmo intuito para poder ser admitido na Escola Militar de Paris, apesar de seu pai já ter feito prova de Nobreza para ele poder cursar a Escola Militar de Brienne (L'école militaire de Brienne-le-Château).
Em 2 de Julho de 1796, Napoleão, ocupado com a tomada de Livorno, voltou a San Miniato para visitar seu o idoso, Filippo Buonaparte.
3 - O Ramo Buonapartes de Sarzana do qual realmente o General Napoleão Bonaparte, Imperador dos Franceses & etc., e seus irmãos, descendem.
Genealogia simplificada desse Ramo:
Gianfardo, nascido e criado em Sarzana. Final do Século XII e início do Século XIII:
    │
    └ ─ ─>
       Bonapars ou Bonapax, um membro do sindicato de Sarzana e chamado de o Velho de Sarzana (m. 1245);
                 └ ─ ─> Giovanni (1312) casou com:
                       I- Vita, filha de Pasqualini di Sarzanello;
                      II- Giovanna Sacchetti;
                 └ ─ ─> Jacopo, Notário Imperial, Prefeito de Sarzana;
                 └ ─ ─> Nicolosio, Notário Imperial (m. 1397);
                                    └ ─ ─> Giovanni, Notário, Prefeito de Sarzana, Comissário de Giovanni Maria Visconti, Duque de Milão, em 1408 para Lunigiana. Casou em 24 abril de 1397 com Isabella Calandrini, filha de Federico Calandrini, officiale della Porta San Donato, em Lucca, em 1340, que se casou com Maddalena Griffi, prima de Cardeal Filippo Calandrini, meio-irmão do Papa Nicolau V;
                        │
                        └ ─ ─> César Bonaparte casou com em 1440 com                                           Appolonia Malaspina, filha de Nicolò, Marques de Verrucola;
                          └ ─ ─> Giovani;
                          └ ─ ─>Francesco, dito Il Mauro (m. Ajaccio 1540) casou com Caterina di Castelletto di Pietrasanta;
                                                                                                
                           └──> Gabrielle Buonaparte dito « di Sarzana », Soldado Mercenário da Repubblica di Genova em Ajaccio;
                            └──> Girolamo Buonaparte, Notário, Procurador dos Nobres Anciãos (procuratore dei Nobili Anziani) em 1554, Deputado d'Ajaccio, Membro do Senado de Genova, casou com Camilla, filha de Carlo Cattaccioli di Bonifacio e di Francesca d'Istria;
                            └──> Francesco Buonaparte, Capitão da Cidade (capitano della città) em 1596, Membro do Conselho dos Anciãos de Ajaccio (membro del Consiglio degli anziani d’Ajaccio);
               └──> Sebastiano Nicolò Buonaparte, Membro do Conselho dos Anciãos de Ajaccio (membro del Consiglio degli anziani d'Ajaccio) (1620-1622), casou:                   
I- Em 12/09/1623 com Angela Trolio-Lubero;
II- Em 19/05/1630 com Maria Rastelli;
             ──>Luciano;
             ──>Napoleone;
             └──> Carlo Maria I (1637 a 8/ 1692), Ancião de Ajaccio (Anziano d'Ajaccio.), casou em 10/06/1657 com Virginia, filha de Pietro Odone;
                           └──> Giuseppe Maria (24/02/1663-10/1703), Membro do Conselho de Ajaccio (membro del Consiglio degli Anziani d'Ajaccio), casou em 20/12/1682 com Maria Bozzi, falecida em outubro de 1704;
                            └──> Sebastiano II (29/09/1683-24/11/1760), Membro do Conselho de Ajaccio (membro del Consiglio degli Anziani d'Ajaccio) (1720-1722), casou com                                  Maria Anna Tusoli di Bocagnano, falecida em 17/09/1760;
                                 ──> Napoleone, morto em 17/08/1767, Membro do Conselho de Ajaccio (membro del Consiglio degli anziani d'Ajaccio), casou em 04/11/1743 com Maria Rosa, filha de Giovan Battista Bozzi;
                                 ──>Luciano, nascido em l8/01/1718, falecido em l 15/10/1791.
                                 └──> Giuseppe Maria II (31/05/1713- 13/12/1763), Membro do Conselho de Ajaccio (membro del Consiglio degli Anziani d'Ajaccio) (1750-1753). Casou                                    em 05/03/1741: com Maria-Saveria, filha de Giuseppe Maria Paravicini, falecida em 1780
                                      └──>Carlo Maria II Buonaparte (1746-1785) casou com Maria Letizia Ramolino (1750-1836), os pais de Napoleão.

Francesco Buonaparte, dito Il Mauro, mudou-se para Córsega no Século XVI.
Primeiro se estabeleceu em Bastia onde um Giovanni Buonaparte foi responsável pela administração em tempos da Republica de Genova, sob o governo Tomasino Campofregoso, Doge della Repubblica di Genova.
Depois se mudaram para Ajaccio, onde Francesco se tornou funcionário do Banco di San Giorgio, os verdadeiros donos da ilha.
Em 1755 houve uma revolta popular contra o governo da República de Génova, liderado pelo Comandante-em-chefe das forças rebeldes (Geral da Nação da Córsega) Pasquale Paoli, ou seja, Filippo Antonio Pasquale de 'Paoli, cognominado “U Babbu de Patria”, o Pai da Nação Corsa.
Entre 8 e 9 de maio de 1769 Pasquale Paoli é derrotado em La bataille de Ponte-Novo (em corso Ponte Novu), na localidade de Castello di Rostino (em francês Castello-di-Rostino, em corso Castellu di Rustinu), pelo General Noël Jourda , Conde de Vaux, commandant en chef  de l'armée en Corse, e em nossos dias “a batalha da Ponte Novu é comemorada todos os anos no dia 8 de maio, com fervor, e em trajes típicos de época”.
Pasquale Paoli foi “ forçado a refugiar-se na Grã-Bretanha, onde em 15 de junho 1778 foi iniciado na Maçonaria”.
Em 20 de setembro 1769 o Rei de França por Ordenança Real (ordonnance royale ) criou uma comissão (chancellerie)  no Conselho Superior da Córsega (conseil supérieur de la Corse)  para  verificar as famílias nobres da Córsega.
Para ser reconhecida tinha que der no mínimo 200 anos de Fidalguia (patriciat), e os Buonapartes conseguiram fazer prova.
Os Buonaparte haviam se enraizado bem na Ilha e é claro isso passava por casamentos vantajosos com as outras Famílias Nobres de ilhéus.
Entre os seus antepassados havia o Conde Vincentello d'Istria, Vice-Rei da ilha em tempos do domínio da Coroa de Aragão, que acabou sendo executado pelos Genoveses em 1434, outro era o Conde Rinuccio Della Rocca, que se rebelou contra a Genova e acabou assassinado em 11 de abril de 1511, por ordem do Almirante Andrea Doria.
Uniram-se, também, a Família d'Ornano, uma deles Vannina d’Ornano casou com Sampieru de Bastelica, dito Sampieru Corsu ou Sampiero Corso, o primeiro dos grandes nacionalistas da Córsega, cujo filho foi Alphonse (Alfonso Gieronimo) d'Ornano, um Marechal de França, em tempos de Henrique IV, e seu filho Jean-Baptiste d’Ornano, Marquês de Montlaur,  foi, também, Marechal de França e Cavaleiro da Ordem de  Santo Espirito.
O que fez dos Buonaparte uma Família bem entroncada com os notáveis da Ilha da Córsega. 
Contudo Napoleão, que acabou casando com uma Habsburgo para enobrecer mais a sua linhagem, a princípio não dava importância a sua condição de fidalgo, muito pelo contrário, já que mandou publicar no Moniteur universel, diário oficial da Revolução depois do Império Frances, o que segue:
« On a mis dans les journaux une généalogie aussi ridicule que plate de la maison Bonaparte. Ces recherches sont bien puériles. À tous ceux qui demanderaient de quel temps date la maison Bonaparte, la réponse est bien facile : Elle date du 18 brumaire. »
Tradução livre:
“Alguém colocou nos jornais uma genealogia tão ridícula da casa Bonaparte. Esta pesquisa é pueril. Para todos aqueles que perguntam de que tempo data a casa Bonaparte, a resposta é fácil: Ela data de 18 brumaire”.
Acontece que o velho Tempo muda as pessoas e foi assim com Napoleone Buonaparte, da Córsega, pois a partir de 18 de maio de 1804 essa Família da pequena Nobreza italiana, datada do Século XIII, se torna a família Imperial da França, com vários de membros sentados em diversos Tronos pela Europa e América, a saber:

a-       Sa Majesté et Altesse Impériale Joseph Napoléon Bonaparte, nascido Giuseppe Buonaparte, Príncipe Frances:
I-                    Sua Maestà per la grazia di Dio e la Costituzione dello Stato, il Re di Napoli de 30 de março de 1806 até 5 de julho de 1808;
II-                  Su Majestad por la Gracia de Dios Rey de España y de las Indias de 6 de junho de 1808 até 11 de dezembro de 1813;
III-                 Como Altesse Impériale era o Pretendente ao Trono Imperial Francês de 22 de junho de 1815 até 7 de julho de 1815;
IV-                Para muitos o pretendente era Sa Majesté Impériale et Royale L'Empereur des Français, Roi d'Italie (Imperador Titular);
V-                  Grão-Mestre do Grande Oriente da França e Grão-Mestre em Nápoles Grande Oriente Itália.
François Clary, um armador, era um dos maiores comerciantes da Cidade de Marselha no final do século XVIII, enriquecido no comércio marítimo. Casou com Françoise Rose Somis, Madame Clary, e tiveram duas filhas, Marie Julie, dita Julie Clary, e Bernardine Eugénie Désirée Clary, mas conhecida como Désirée, o amor de Napoleão.
Julie Clary em 1 de agosto de 1794 casou com Joseph Bonaparte em Cuges-les-Pins, região Provence-Alpes-Côte d'Azur, e tiveram três filhas. A Rainha Consorte de dois reinos morreu com 73 anos em 7 de abril de 1845 exilada em Florença, mas antes “ Joseph se juntou a ela em Florença, e apesar dos adultérios, Julie se refere a ele como "seu amado marido." Joseph morreu em seus braços no dia 28 de julho de 1844, com a idade de 76 anos”.
Napoleão ainda não aclamado como o “ Filho Dileto da Fortuna” namorou a outra irmã Clary, a Désirée, mas a trocou pela bela e influente Josephine de Beauharnais.
Jean-Baptiste Bernadotte, que foi Marechal do Império, Príncipe do Império, e por fim Rei da Suécia e Noruega como Carlos XIV & III João, através de Joseph pediu sua mão e ela aceitou.
Eles se casaram 17 de agosto de 1798 (30 Thermidor ano VI) em Sceaux, onde ele é dono de uma casa, na Rue de la Lune.
O casamento aumentou a animosidade entre Napoleão e Bernadotte.
Désirée “ foi coroada Rainha da Suécia e da Noruega, sob o nome Desideria, em 21 de agosto de 1829 na Catedral Saint-Nicolas de Estocolmo. Com a morte de seu marido 8 de março de 1844, seu filho torna-se o Rei Oscar I, que em 19 de junho de 1823, tinha se casado com a Princesa Josephine, filha de Eugène de Beauharnais, Duque de Leuchtenberg, filho adotivo do Imperador Napoleão I, irmã da Imperatriz Dona Amélia do Brasil, sendo que a maior surpresa é que ela era neta da Imperatriz Josephine de Beauharnais, sua antiga rival e pela qual ela foi preterida pelo então General Bonaparte. Cinco crianças nasceram desta união, mas o importante é Príncipe Charles, Duque de Skåne, futuro Charles XV, Rei da Suécia e Noruega de 8 de julho de 1859 até 18 de setembro de 1872, portanto 13 anos 2 meses e 10 dias”.
“ A Rainha Desideria morreu em Estocolmo, no dia 17 de dezembro de 1860, com a idade de 83”.
Tanto a Imperatriz Josephine de Beauharnais, quanto Françoise Rose Somis, Madame Clary, podem reivindicar o Título de “ Avó da Europa”, como a Rainha Victoria do Império Britânico que foi apelida de “Avó da Europa”, pois na verdade, seus descendentes estão nos dias de hoje nos Tronos da Suécia, Noruega, Dinamarca, Bélgica, Luxemburgo, Espanha, Gales,  e  através  do Príncipe Filipe da Grécia e Dinamarca, Duque de Edimburgo, Príncipe Consorte de SM a Rainha Elizabeth II , no Reino Unido e nos Reinos da Comunidade de Nações.

b-      Sua Eccellenzia Lucien, nascido Luciano Buonaparte, Príncipe Frances, 1º Príncipe de Canino e Musignano, um Título dado pelo Sumo Pontífice Pio VII, 251º Papa da Igreja Católica Apostólica Romana, nascido como Barnaba Niccolò Maria Luigi Chiaramonti, que havia sido preso por Napoleão em Savona e depois em Fontainebleau, só podendo regressar a Roma em 1814, e que esteve presente na Coroação Imperial na Catedral de Notre-Dame de Paris no dia 2 de dezembro de 1804.
Lucien casou duas vezes:
A primeira com Christine Boyer, nascida em Saint-Maximin-la-Sainte-Baume, região Provence-Alpes-Côte d’Azur, filha do estalajadeiro Pierre-André Boyer e de Rosalie Fabre, em 4 de maio de 1794. Tiveram quatro filhos, incluindo duas filhas com descendentes, que foram elevadas ao rango de Princesse Française, com o tratamento de Altesse Impériale. Em 1853, Napoleão III as fez Princesas Bonaparte e Altezas, sem o Imperial.
A segunda com Marie-Laurence Charlotte Louise Alexandrine Jacob de Bleschamp, dita Alexandrine de Bleschamp, da Grande Burguesia Francesa, nascida em Calais, departamento de Pas-de-Calais na região de Hauts-de-France, filha de filha de Charles Jacob, Senhor do Bleschamp, advogado ao Parlamento, Comissário da Marinha, Concessionário do armazém de tabaco da cidade, e Jeanne Louise Philiberte Bouvet Verneuil, em 23 de fevereiro de 1778.
O casamento com Lucien foi em 26 de outubro de 1803 e tiveram nove filhos. Alexandrine morreu na Cidade de Sinigaglia, província de Ancona, na região de la Marche, na Itália, em 13 de julho de 1855, com 77 anos.

c-       Son Altesse Impériale Élisa Bonaparte, nascida Anna Maria Buonaparte, Princesa Francesa, Princesa de Lucca e Piombino:
I-                    Elevada à condição de Soberana do Principado Soberano de Piombino pelo decreto de 27 anos Ventose XIII (18 de março de 1805) assinado por Napoleão, que tinha grande interesse estratégico naquela aera, uma vez que ela está perto das ilhas de Elba e Córsega. Governou com seu marido Príncipe Félix Baciocchi, Príncipe Frances, General do Império, Grande Águia da Legião de Honra, com o Grande Colar da Legião de Honra, contudo na pratica a governante era ela, até 13 de março de 1814;
II-                  Em 15 de Prairial ano XIII (04 de junho de 1805), o "conselho dos Duques" (Senado) da pequena República de Lucca perguntou Napoleão, na sua qualidade de Rei da Itália, qual membro da Família Bonaparte ele podia indicar para governar a República e torná-la hereditária para os descendentes do indicado. Napoleão indicou a Félix Baciocchi, sendo a escolha ratificada em Lucca no 25 Prairial (14 de junho). Assim Baciocchi foi nomeado Príncipe de Lucca pela Constituição de 4 Messidor (23 de junho). A coroação dos Príncipes Baciocchi teve lugar em 12 de Messidor (1 de julho de 1805). Como em Piombino quem governava o Principado era Élisa. Governou até 13 de março de 1814;
III-                  Grã-Duquesa da Toscana de 3 de março de 1809 até 1 de fevereiro de 1814 com seu marido Grão-Duque Consorte Félix Baciocchi, Príncipe Frances, General do Império, Príncipe de Lucca e Piombino, Águia da Legião de Honra, com o Grande Colar da Legião de Honra. Como em Lucca e Piombino quem governava o Grão-Ducado era Élisa. Governou até 13 de março de 1814;
IV-                Duquesa de Massa e Princesa de Carrara de 31 de março de 1806 até quando foi deposta em 13 de março de 1814 com seu marido Duque e Príncipe Consorte Félix Baciocchi, Príncipe Frances, General do Império;
V-                  Condessa de Compignano até sua morte em 6 de agosto de 1820 na Villa Vicentina, Trieste, região Friuli-Veneza Giulia, Itália.
Napoleão era contra o casamento dos dois, mas mesmo assim ele foi realizado em    Marselha, 5 de maio de 1797, e o General Bonaparte, então General em Chefe do Exército na Itália, aceitou le fait accompli.
Ela foi a única irmã de Napoleão que deteve um real poder político-administrativo, pois governou seus domínios. “ Élisa foi presa em 25 de março e internada na fortaleza de Brünn, Áustria. No final de agosto foi liberada e autorizada a residir em Trieste onde veio a falecer”.
Félix Pascal (em italiano Felice Pasquale Baciocchi) nasceu em Ajaccio no dia 18 de maio de 1762, membro de uma das famílias mais antigas e nobres da Ilha da Córsega. Filho mais novo de François Baciocchi, proprietário, membro do Conselho de Anciãos de Ajaccio e de Flaminia Benielli. Na Coroação de Napoleão foi Félix que portou “ La main de la justice” de Carlos Magno, um símbolo de Poder e parte das Regalias do Reino da França. Faleceu na cidade italiana de Bolonha em 27 de abril de 1841.

d-      Sa Majesté et Altesse Impériale Louis Napoléon Bonaparte, nascido Luigi Buonaparte, Príncipe Frances:
I-                    Zijne Majesteit Lodewijk I, door de genade van God en de grondwet van het Koninkrijk, Koning van Holland (Sua Majestade Luís I, pela Graça de Deus e a Constituição do Reino Rei da Holanda) de 5 de junho de 1806 - 1 de julho de 1810;
II-                  Sa Majesté Impériale et Royale L'Empereur des Français, Roi d'Italie (Imperador Titular) de 28 julho 1844 até 25 julho 1846;
III-                 Como Altesse Impériale foi o Pretendente ao Trono Imperial Francês de 28 de julho de 1844 - 25 de julho de 1846;  
IV-                Conde de Saint-Leu até a morte em 25 de julho de 1846 (idade 67).
É o pai de Sua Majestade Imperial Napoleão III, Imperador dos Franceses de 2 de dezembro de 1852 até 4 de setembro de 1870.

e-      Altesse Impériale Pauline, nascida Maria Paola Buonaparte, conhecida simplesmente como Paolina Bonaparte, Princesa Francesa, a única que se casou com um Príncipe de Sangue (vide abaixo) que a elevou ao rango de Principessa Borghese:
I-                    Duquesa de Guastalla de 30 de março de 1806 até 14 de agosto de 1806;
II-                  Princesa de Guastalla de 1806 até sua morte em 9 de junho de 1825. Um Título de Nobreza Francesa extinto com a sua morte;
III-                  Por seu casamento em 28 de agosto de 1803 com o nobre italiano Príncipe Camille Borghèse (Don Camillo Filippo Ludovico Borghese), Príncipe Romano, Príncipe do Império, 6º Príncipe di Sulmona e 7° Principe di Rosano, Duque de Guastalla de 1805-1813, Duque e Príncipe de Guastalla de 19 de julho de 1775 -até 9 de maio de 1832, 7° Principe  di Vivaro, 10° Principe di Sant’Angelo e di San Polo, 8° Principe di Meldola,  6° Principe di Montecompatri, 6° Duca di Palombara, 6° Duca di Canemorto e Castelchiodato, 6°  Marchese di Mentana, Marchese di Moricone, Marchese di Civitella Vicovaro, Marchese di Percile, Marchese di Norma, 6° Conte di Vallinfreda e di Chia, 6° Barone di Cropalati, Signore di Monteporzio Olevano, Attigliano, Morlupo, Montefortino, Montorio in Valle, Cretone, Poggio Moriano, Petescia, Pozzaglia, Stabia, Stazzano, Scarpa, Castelvecchio, Collepiccolo e di Licenza, Duca di Sarsina, Duca  di Carpineto, Signore di Maenza, Gavignano, Caminate, Campiana, Petrella, Dungario, Monte  Castello, Perticara, Polenta, Manchio, Collinella, Sapigno, Torrita , Grande di Spagna, Patrizio Napoletano, Patrizio Veneto, Patrizio Genovese (i titoli presenti sul territorio del Regno delle Due Sicilie - Rossano, Sulmona e Cropalati, il patriziato napoletano – foram reconhecidos, Príncipe do Império, Grand collier de la Légion d'honneur, Grand dignitaire de l'Empire exercendo a função de Gouverneur Général des départements au-delà des Alpes de 24 de fevereiro  der 1808 até 27 de abril del 1814, Général en chef de l'armée de réserve d'Italie de 13 de dezembro de 1813 até 27 de abril de 1814,  * Roma, 08.08.1775, † Firenze, 09.05.1832, que se casou em Mortefontaine, no dia 28.08.1803, com Sa Altesse Impériale Pauline Bonaparte, irmã do então todo poderoso Napoleão I Bonaparte, o que a tonou uma “ nobildonna italiana”, Princesa Borghese,  e Princesa consorte de Sulmona e de Rossano, etc...;
IV-                Principessa Borghese até sua morte em 9 de junho de 1825, a famosa Princesa Borghese que Antonio Canova imortalizou em mármore como Pauline Bonaparte como “ Venere vincitrice, ou Venus Victrix, ou Vênus Vitoriosa”, que está hoje em exposição na Galleria Borghese, em La Villa Borghese Pinciana, Roma, Itália;
f-        Sa Majesté et Altesse Impériale Caroline, ao nascer recebeu o nome de Maria Annunziata, por casamento Carolina Bonaparte Murat, Princesa Francesa, Princesa Murat:
I-                    Grã-duquesa de Berg e Cleves em 15 de março de 1806 até - 1 de agosto de 1808;
II-                  Rainha consorte de Nápoles por seu casamento com Joaquim Murat, Gioacchino  Napoleonne Murat, nascido Joachim Murat-Jordy , primeiro Príncipe Murat , depois Sua Maestà, per grazia di Dio e la Costituzione dello Stato, Re di Napoli de 1 de agosto de 1808 até 2 de maio de 1815;
III-                 Adotou o título de 'Condessa de Lipona'. 'Lipona' é um anagrama de 'Napoli' (Nápoles) até a sua morte em Florença, 18 de maio de 1839;

g-       Sa Majesté et Altesse Impériale Jérôme Napoléon, nascido Girolamo Buonaparte, em português Jeronimo, Príncipe Francês:
I-                    Sua Majestade Jérôme Napoleon I, Pela Graça de Deus e pela Constituição, Rei de Westphalia - Seine Majestät Jérôme Napoleon I, durch die Gnade Gott und die Verfassung, König von Westfalen, cognominado "König Lustig" (“Rei engraçado ou divertido”) - Sa Majesté Jérôme Napoleon Ier, par la grâce de Dieu et la Constitution, le roi de Westphalie, em 8 de julho de 1807 até 26 de outubro de 1813. ” O Reino de Vestfália foi criado por Napoleão, que o colocou como membro da Confederação do Reno e Estado satélite do Império Francês”;
II-                  Príncipe de Montfort um Título criado por seu sogro Frédéric Guillaume I, Rei de Württemberg. Frederico Guilherme era o antigo Príncipe Eleitor de Württemberg, que foi por Napoleão I elevado ao rango de Rei de Württemberg em 26 de dezembro de 1805, sendo coroado no dia 1 de janeiro de 1806 na cidade de Stuttgart;
III-                 Nomeado por seu sobrinho Napoleão III o novo “Governador Geral dos Inválidos (Gouverneur général des Invalides) em 23 de dezembro de 1848;
IV-                Promovido a Marechal de França em 1 de janeiro de 1850;
V-                  Presidente do Senado Francês de 28 de janeiro de 1852 até 30 de novembro de 1852;
VI-                Príncipe Imperial, portanto, Herdeiro do Império de Napoleão III, até o nascimento de Son Altesse Impériale Napoléon Eugène Louis Jean Joseph Bonaparte, Prince Impérial, dito Louis-Napoléon, em 16 de março de 1856.
Napoleão promoveu o casamento, logo um casamento de conveniência, entre seu irmão Jérôme e a Prinzessin Katharine Sophie Friederike Dorothee von Württemberg, uma Princesa da Casa de Württemberg, Das Haus Württemberg, uma Dinastia cuja data inicial é 1080, filha do Rei Frederick I de Württemberg e da Duquesa Augusta de Brunswick-Wolfenbüttel, em 22 de agosto de 1807 no Palácio de Fontainebleau, França, com isso lustrava o seu Brasão Imperial, o Brasão Imperial da família Bonaparte, como já havia feito através do casamento de sua irmã Pauline com o Príncipe Borghese, uma família da Aristocracia Papal, em 28 de agosto de 1803.
Dos irmãos Bonaparte só Jeronimo morreu na França, em seu Château de Vilgénis, localizado na cidade de Massy, região Île-de-France, a 15 km a sudoeste de Paris, porem vivia na Capital, no Palais Royal, antiga residência dos Duques d’Orleans, colocado por Napoleão III a sua disposição, e onde morou por 8 anos antes de sua morte em 24 de junho de 1860 com 75 anos.
Um fato pitoresco é que nenhum descendente de sangue do próprio Napoleão I está reinando em qualquer Nação, ao contrário dos descendentes das duas mulheres que ele repudiou, Désirée e Josephine, que estão nos dias de hoje nos Tronos da Suécia, Noruega, Dinamarca, Bélgica, Luxemburgo, Espanha, Gales, e através  do Príncipe Filipe da Grécia e Dinamarca, Duque de Edimburgo, Príncipe Consorte de SM a Rainha Elizabeth II , no Reino Unido da Inglaterra, Escócia e Irlanda,  e nos Reinos da Comunidade de Nações.

Mais vamos aos fatos que antecederam o advento de Napoleone Buonaparte na França dos Reis Capeto de Bourbon.

Segue....