quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

128 - AS REFORMAS PETRINAS. Pedro, o Grande, 4


O boiardos revoltados

AS REFORMAS PETRINAS.

Durante os 15 meses de estadia no estrangeiro, Pedro aprendeu muito, se educou muito, mas para levar a civilização ocidental a sua corte, ao clero, aos boiardos, aos militares, ao povo em geral, teve que tomar medidas drásticas, pois os velhos costumes tinham que ser abandonados.
O trabalho de Pedro era insano, já que tinha que incutir em uma população dispersa por um vasto território uma máxima filosófica que é “existência precede à essência”, pois, tinha que ensinar um novo mode de viver, um novo modo de vida, a um povo cuja essência estava, e está ligada à sua origem centenária, agora milenar.
Em tempos de Pedro ainda não havia na população russa espalhada pelo vasto território um sentimento de Nação, de nacionalidade, porque ela era composta de pessoas de várias etnias.
Isso sem falar do boiardos, grandes latifundiários desde priscas eras, que não queriam abrir nem mão de seus hábitos, para eles hábitos divinos, nem de seus grandes privilégios, queriam porque queriam manter o Status Quo.

Na gravura russa abaixo vemos que ela retrata boiardos do século XVI e do século XVII, ora Pedro iniciou suas Reformas em 1696 indo até 1725, portanto exatamente na época que a gravura indica.




Não creio que na Europa Ocidental a nobreza, a burguesia, ou o povo, se vestisse dessa maneira, com roupas da época do Rus' de Kiev, dos séculos IX ao XIII, com influência dos mongóis da Invasão Mongol de 1238, pois não?
As Reformas Petrinas foram assim divididas:
1.       A mudança da capital de Moscou para São Petersburgo;  
2.       Reforma da Autocracia;
3.       A Política Social: Nobreza, Servos e População Livre Urbana;
4.       Reforma da Administração Pública e o controle sobre as atividades dos funcionários públicos *;
5.       Reforma Regional;
6.       Reforma do Judiciário;
7.       Reforma militar **;
8.       Reforma da Igreja e a Reforma religiosa;
9.       Reforma Financeira;
10.   Mudanças na Indústria e Comércio;
11.   Educação e Cultura.

1-A mudança da capital de Moscou para São Petersburgo
A Rússia não podia deixar de ter um porto acessível para as Nações amigas, mas não tinha.
Com as marchas e démarches a Rússia conquistou um acesso ao Mar Báltico, naquela altura um local básico para seu desenvolvimento.
Pedro se apossou do território que estavam em mãos do Império Sueco, na planície de Prinevskaya, mais detalhamento no Delta da Neva, na costa da Baía de Neva adjacente à foz do rio Neva, no Golfo da Finlândia, esse que faz parte do Mar Báltico, e suas ilhas.
Elas só passaram a ser da Rússia pelo Tratado de Nystad de 10 de setembro de 1721, que pôs fim a Grande Guerra do Norte entre a Suécia e a Rússia.
Esse Pedro era mesmo marrudo.
Tomou e começou a construção de sua nova capital, fundada em 16 (27) de maio de 1703.
Mandou seu amigo Alexandre Danilovitch Menchikov, o 1º Governador-Geral de São Petersburgo, para lá e ele começou a construção da fortaleza de Pedro e Paulo, na a Ilha de Hare, o núcleo histórico da cidade.
Drenaram os pântanos e a construção da cidade se estendeu de 1704 a 1717.
Mas, o primeiro navio a chegar no local foi “um navio mercante holandês, em novembro de 1703, quando o capitão do navio recebeu como prêmio pela façanha meio quilo de ouro.
1710, os altos funcionários começaram a se mudar para São Petersburgo.
1710, os senadores.
Entretanto em 1712, Pedro a proclama como nova capital do Império Russo e as embaixadas da Grã-Bretanha, França, Holanda, Prússia e Pérsia, são instaladas.
E Pedro, o Grande, acaba morrendo nessa sua nova capital, em seu Palácio de Inverno, o Palácio de Inverno de Pedro, o Grande, no dia 28 de janeiro de [08 de fevereiro] de 1725.

2-Reforma da Autocracia:
Antes de Pedro a sucessão ao Trono não era regulamentada por Lei, e era determinada pela Tradição.
E não se pode ignorar os golpes palacianos que haviam na Rússia para que determinada criatura se sentasse no Trono.
Pedro era gato escaldado e sabia disso.
Em 5 de fevereiro (17) de 1722 Pedro assinou um decreto sobre a ordem de sucessão. O decreto estipulava que caberia ao monarca reinante nomear seu sucessor, e ninguém mais. Muito se diz que esse decreto foi consequência do golpe tentado pelo czarevich Alexei Petrovich e sua mãe Eudóxia Feodorovna Lopukhina, divorciada do Imperador des 1698, contra ele, Pedro. 
Pedro não queria Пётр Алексе́евич, Pedro Alekseevich, o filho do falecido czarevich, portanto, seu neto, subisse ao Trono, mas se pensava assim seu decreto foi em vão já que ele se tornou o imperador e o autocrata de toda a Rússia de 6 (17) maio de 1727 até 19 (30) janeiro de 1730.
Pedro não usou esse Lei, pois morreu sem especificar um sucessor e foi sucedido por sua esposa Catarina I.
O decreto de 5 de fevereiro (17) de 1722 vigorou até o reinado de Paulo I, Павел Петрович Романов, ou Pavel Petrovich Romanov, que reinou de 17 de novembro de 1796 até 23 de março de 1801.
Foi abolido, mas o filho mais velho de Paulo I, Alexandre Pavlovich Romanov, ascendeu ao Trono Imperial no dia seguinte a morte dele, Paulo I, ou seja, em 24 de março de 1801, como Alexandre I, Imperador e Autocrata de Todas as Rússias, Rei da Polônia e Grão-Duque da Finlândia, sem mais ou maiores delongas.

Reforma da Administração Pública e o controle sobre as atividades dos funcionários públicos.
 O primeiro enfoque pode ser incluído na Reforma da Política Social.

O principal objetivo de Pedro I na política social era a definição dos direitos e responsabilidades de cada categoria ou classe na Rússia, dividida em Nobreza, Servos e População Livre Urbana (cerca de 3% da população do país).
Para isso uma nova Estrutura Social precisava se idealizada e montada.
Sabendo que as resistências seriam enormes, mas Pedro e seus homens foram à luta.
Como já falei os setenta (70) boiardos eram um obstáculo.
Para eles, os boiardos, Pedro criou o imposto sobre barbas, já que pela Igreja Ortodoxa a barba era símbolo de reconciliação do Homem com o Divino, e era Tradição usa-las
Na sua Corte não podia haver barbas, pois ele considerava uma pratica arcaica, um símbolo de atraso social, tanto que chegou a cortar algumas de alguns boiardos, por isso está no item Política Social.
29 de agosto de 1698 foi emitido o famoso decreto com o seguinte título traduzido livremente: "Sobre as vestimentas estilo dos alemães, a obrigação de fazer a barba e aparar os bigodes, sobre os dissidentes que não andariam neste traje e não cumprisse a obrigatoriedade da barba iriam sofrer severas consequências”.

A Duma dos Boiardos, naquele momento com setenta (70) membros, foi substituída pelo Senado, eram nove (9) seus membros, foi estabelecido e os senadores tinha a tarefa de: " Examinar todo o estado das despesas do Estado, excluir o que fosse desnecessário ou supérfluo. Economizar o máximo de dinheiro possível, pois, o dinheiro é o sangue que passa pelas artérias das guerras. "


O corte das barbas boiardas

Com um decreto sobre a herança de 1714, Pedro enfraqueceu mais ainda a posição dos boiardos na Sociedade Russa de então, apesar desse “nada modificar em relação a situação dos servos, e que reforçou a opressão terra dos camponeses”.
E tem mais: pela " Tabela de Rangos ", Pedro deu valor a meritocracia e misturou representantes dos boiardos, os da antiga nobreza tribal, com as pessoas elevadas a nobreza pelo serviço prestado a Rússia e ao soberano.
A Tabela de Rangos, Табель о рангах, ou Tabela de Ranks, “era uma lista oficial de quatorze (14) posições hierárquicas nas forças armadas, no governo civil, nos tribunais, e que definia a posição ou status da pessoa que os ocupava.”
Nessas posições podiam ter um ou vários cargos, ou seja, em um rango, ou classificação, havia um só cargo, ou vários cargos, tanto nos militares quanto nos seus equivalentes no governo civil, e na justiça.
Exemplifico:
O Chanceler ao General-Marechal de Campo (General-Field Marshal) e ao Almirante Geral da Frota, e eram tratados com protocolarmente como “Sua Excelência”.
O Real Conselheiro Privado ao General da infantaria ou da cavalaria, ao Almirante e ao Camareiro- chefe, e eram tratados com protocolarmente como “Sua Excelência”.
E assim ia até o decimo quarto rango, que era o de Cadete da Faculdade, jovens que entrevam para a faculdade e isso num sociedade hierarquizada era muito importante, além do que não podemos esquecer os esforços de Pedro para trazer educação e cultura ao Império.
O Cadete de Faculdade se comparava nas forças armadas ao Porta-bandeira, o primeiro grau (júnior) do oficial na infantaria e cavalaria, e não havia equivalente na justiça. O tratamento protocolarmente dispensado a eles era de “Sua Honra”.
Como resultado, passou a existir uma nova estrutura social hierarquizada na qual as propriedades pouco importavam, mas sim o mérito pessoal de cada um.
Essa Tabela sobreviveu até a Revolução Russa de 1917.”
Pedro era um guerreiro, um marinheiro por excelência, gostava da vida militar, por isso beneficiou sobre maneiras autoridades militares declarando-as acima dos funcionários civis e até mesmo judiciais.
Tal benefício proporcionou aos oficiais militares facilidade para ter acesso a chamada Alta Nobreza.
Para tanto criou a Ordem de Santo André, tendo como modelo da Ordem do Espírito Santo do Reino de França, que confere nobreza automaticamente para o agraciado.
Os Quatorze Rangos regularam a nobreza russa, mas estendeu a oportunidade ao russo comum de possuir um “estofo de nobreza” desde que o conquistasse por mérito pessoal.
Muitos se destacaram, pois, em “1914, a nobreza russa era composta por quase 1.900.000 pessoas (1,1% da população), que ocupavam todos os cargos na administração, nas forças armadas e na diplomacia.”
Enfim, essa Tabela de Rangos de Pedro foi modificada através dos tempos.
Com isso o poder dos Boiardos ficou enfraquecido, mas não foram abolidos, pois pessoas de outras classes podiam ser Dignitários do Estado.

A nobreza
A nobreza hereditária poderia ser alcançada pelas seguintes maneiras:
1) por uma discrição especial da autocracia;
2) alcançando um certo grau militar ou civil enquanto estiver em serviço ativo;
3) mediante a concessão de uma certa Ordem do Império Russo;
4) poderia ser dada aos descendentes dos mais famosos nobres pessoais e cidadãos proeminentes.
Entre 1722 e 1845, a nobreza hereditária foi dada a oficiais militares que alcançaram o 14º lugar de bandeira, aos funcionários públicos que obtiveram o 8º lugar de Assessor Colegiado e a qualquer pessoa que recebeu qualquer ordem do Império Russo (desde 1831 года - exceto o Ordem polaca de Virtuti Militari).
Armorial da Nobreza
Pedro mandou organizar o Armorial da Nobreza da Câmara de Heráldica do Senado, em São Petersburgo, dividido em cinco volumes:
1-      o Livro de Príncipes do Império;
2-      o Livro de Condes do Império;
3-      o Livro de Barões do Império;
4-       o Primeiro Livro de Aristocratas sem título hereditário (antes da reforma);
5-      o Segundo Livro de Aristocratas sem título hereditário (depois da reforma).
Pedro introduziu o título de Conde e de Barão.
Títulos:
Na Tabela de Pedro .
Tratamento cerimonial: Majestade, Величество, reservado ao Imperador e Autocrata, e a sua esposa, a Imperatriz.
1-      Император – Imperador:
a.       Pela graça de Deus , a mais excelente e de grande Príncipe Soberano Pyotr Alekseevich, o governante todas as Rússias: de Moscou , de Kiev , de Vladimir , de Novgorod , Czar de Kazan , de Astrakhan e da Sibéria , Soberano de Pskov , Grande- Príncipe de Smolensk , de Tversk, de Yugorsk, de Permsky, de Vyatsky,de  Bulgarsky e de outros dominios, Príncipe -Soberano das Grande das terras Novgorod Nizovsky, de Chernigovsky, de Ryazan , de Rostov , de Yaroslavl , de Belozersky, de Udorsky, de Kondiisky , Soberano de todas as terras do norte, Soberano das Terras da Ibéria,  da Kartlian e de Kartli-Kakheti, das terras Kabardin, dos Príncipes circassianos e das montanha e muitos outros estados, de países ocidentais e orientais daqui e dali.
Tratamento cerimonial: Sua Alteza Imperial.
2-      Czarevich ou Czarevna, царевич или Царевна usado para o herdeiro ou herdeira ao Trono. Podia ser o filho/a bem como o irmão do Imperador reinante no caso desse não ter filhos.
3-      Grão-Duque ou Grã-Duquesa, великий князь или Великая Княгиня, Título de “uso exclusivo da Família Imperial. Os filhos, filhas e netos de um Imperador reinante tinham direito a esse Título, assim como os irmãos e irmãs do Imperador. Os filhos e filhas da segunda geração de Grão-duques são Príncipes ou Princesas de sangue imperial, que recebem o título de Príncipes ou Princesas da Rússia e com o tratamento de Altezas. Essa qualificação prossegue pela primogenitura masculina às gerações subsequentes. Os filhos e filhas das gerações seguintes recebem o tratamento de Alteza Sereníssima”.
Tratamento cerimonial: Ilustre.
4-      Príncipe ou Princesa, Принц или Принцесса, Título transmissível tanto ao sexo masculino, quanto ao feminino. Se crê que na Rússia havia mais de dois mil Príncipes por todo o Império. “Com o tratamento protocolar de Ilustre”.
5-      Kniaz, feminino knyazhna, княжна, e o filho, knyazhich, княжич, a filha de um knyaz é uma knyazhna, княжна. Com o tratamento protocolar de Ilustre”.
Князь continuou como um título hereditário de nobreza russa, os descendentes de Rurik, as famílias como Belozersky, Belosselsky-Belozersky, Repnin, Gorchakov, Galitzine, Troubetzkoy, que eram chamados de príncipes quando governavam pequenos principados medievais, e que na Corte de Moscou foram autorizados a continuar com seus títulos principescos.
Nota: “Raramente esse Título é traduzido como "duque", nas fontes latinas, o título é geralmente traduzido como conde (comes) ou príncipe (princeps).
6-      Príncipe Boiardo- obsoleto e pouco utilizado, mas não revogado. Com o tratamento protocolar de Ilustre”.
7-      Príncipe- criados pelo Imperador.
Com a diminuição do número de famílias dos Príncipes Boiardos a importância desses novos Príncipes Imperiais e aumentada, é reforçada, passam a ser figuras de destaque na Corte Imperial.
“Com o tratamento protocolar de Ilustre”.
Pedro o elevou a Alexander Menshikov a esse rango.
8-      Conde e Condessa– Tão numerosos quanto os Príncipes, gozam de uma boa reputação, são alto funcionários civis e militares, e outras autoridades, bem como protegidos ou protegidas especiais do Soberano.
9-      Barão e Baronesa, Барон и баронесса, “O título de Barão só se conferia na Rússia muito raramente e sobretudo a banqueiros, a grandes industriais de origem estrangeira, e a judeus de alto mérito”.
Retrato anônimo do Barão Peter Pavlovich Shafirov. Domínio público.
O primeiro barão elevado por Pedro I foi Barão Peter Pavlovich Shafirov, nascido em 1669 e falecido em São Petersburgo, num suntuosíssimo palácio, em 1 de março de 1739. Chefiou o correio russo, um cargo muito importante no esquema de Pedro, de 1701 até 1723, como o diretor-diretor geral.


No Império Russo ainda havia a Nobreza não Titulada.
Essa Tabela tirou a inércia dos servidores civis e militares, uma classe preguiçosa mais avida de bens e honras, e criou uma essa Nobreza não titulada, ou a Nobreza sem Títulos, дворянства без названия, “as velhas famílias não titulares eram praticamente inumeráveis”.
O contraponto eram os servos, a posição de servos, que forma assim divididos:
a-      servos dos latifúndios.
b-      dos mosteiros.
c-      do governo.

Antes de findar esse capitulo gostaria de relembra:
“O Principado de Kiev, conforme crescia o grau de centralização, o monarca passou a ser chamado de velikiy knyaz (Великий Князь - "grão-príncipe ou grão-duque: fem.: velikaya knyaginya)”.
“Ele governava um Velikoe Knyazhestvo (Великое Княжество) (Grão-Ducado) subdividido em estados vassalos menores (udel, udelnoe kniazhestvo ou volost) governados por um udelny kniaz ou simplesmente kniaz”.
“Quando o Principado de Kiev se fragmentou no século XIII, o título de kniaz continuou a ser utilizado pelos soberanos de Moscou, Kiev, de Chernigov, de Novgorod, de Pereyaslav, de Vladimir-Suzdal, de Tver, da Galícia-Volínia e no Grão-Ducado da Lituânia”.
O Titulo de czar
Quando a monarquia moscovita, москвич монархия, dominou o Velho Estado Russo, o Rus 'de Kiev, o velikii kniaz Ivã IV, ou Ivã, o Terrível, foi coroado Czar de Toda a Rússia em 16 de janeiro de 1547, e com isso o Título Czar foi introduzido para o Monarca de Moscou que, como vemos, se tornou Soberano de Toda a Rússia. 
Czar derivado do título latino de César (César) e é uma herança do Império Bizantino, do Caesar bizantino, pois a Rússia foi convertida pela Igreja Ortodoxa de Rito Grego.
E a nobreza foi, assim, organizados hierarquicamente:
Czar / Czarina (Царь и Царина)
Czarevich / Czarevna (Царевич / Царевна), filhos de Czar.
Czarevich / Czarevna (Царевич / Царевна), parentes do Czar.
Os boiardos, herdeiros do feudalismo primitivo.

Ainda os boiardos.

Os boiardos eram divididos des maneira:
Boiardo Kniaz (Боярин Князь) o mais alto Título de Nobreza.
Boiardo servidor (Боярин и слуга - Boyarin slouga i) é a mais numerosa. Estes são os primeiros conselheiros de Moscou, todos os antigos príncipes soberanos foram incluídos nesta categoria.
Boiardo Armeiro (Боярин и оружейничий - Boyarin oroujyeynitchy i) Boiardos de segunda classe, dedicado ao comando do exército.
Boiardo Marechal (Боярин и конюший - Boyarin koniouchiy i) terceira classe dos Boiardos, dedicado a coudelarias e campos de estado.
Boiardo camareiros (Боярин и дворецкий - Boyarin Dvoretsky i): a menor classe de Boiardo, assuntos governamentais descentralizados.