terça-feira, 27 de setembro de 2016

História de Portugal que, também, é do Brasil – Final.

Resultado de imagem para dom manuel i

Casamento de Dom Manuel com Dona Leonor de Áustria
Jorge Eduardo Garcia
Filosofo e historiador.
27 de setembro de 2016

Costados de D. Manuel I, o Venturoso, "Pela Graça de Deus, Manuel I, Rei de Portugal e dos Algarves, d'Aquém e d'Além-Mar em África, Senhor da Guiné e da Conquista, Navegação e Comércio da Etiópia, Arábia, Pérsia e Índia, etc., Grão-Mestre das Ordens de Cristo e da Antiga e Muito Nobre Ordem da Torre e Espada":
Pai:
Dom Fernando, Infante de Portugal, Infante de Portugal, 2.º Duque de Viseu, 2.º Senhor da Covilhã, 1.º Duque de Beja, 1.º Senhor de Moura, 6.º Condestável de Portugal, Mestre da Ordem de Cristo.
Avós paternos:
Dom Duarte I, pela Graça de Deus, Rei de Portugal e do Algarve, e Senhor de Ceuta, e Dona Leonor de Aragão, nascida Infanta de Aragão, Rainha de Portugal.
Bisavós paternos:
1-     Dom João I, "o de Boa Memória", pela Graça de Deus, Rei de Portugal e do Algarve, e Senhor de Ceuta, e de Filipa de Lencastre (em inglês: Philippa of Lancaster), nascida Princesa inglesa da Casa de Lencastre, filha de João de Gante, 1.º Duque de Lencastre, com sua mulher Branca de Lencastre.
2-     Dom Fernando I, Rei de Aragão, de Valencia, de Maiorca , da Sicília , da Sardenha e Córsega, Duque de Neopatria e Atenas, Conde de Barcelona, de Rosilhão e Cerdaña, Regente de Castela, também, chamado de Fernando de Trastámara por ser o primeiro rei de Aragão da dinastia castelhana de Trastámara, e de Doña Leonor Urraca Sánchez de Castilla, la Rica Hembra , III Condessa de Albuquerque, filha do infante Dom Sancho de Castela e da Princesa Dona Beatriz de Portugal , filha de Pedro I, Rei de Portugal,  e Inês de Castro, “ que depois de ser morta foi Rainha” -Luís de Camões, Os Lusíadas (1572), Canto III.  
Mãe:
Dona Beatriz de Portugal, Duquesa consorte de Viseu, e outros Títulos do marido, o senhor Dom Fernando.
Avós maternos:
Dom João, Infante de Portugal, 3.º Condestável de Portugal, sucedendo a Nuno Álvares Pereira, 10.º Mestre da Ordem de Santiago, e ainda 1.º Senhor de Reguengos, Colares e Belas, e de Dona Isabel de Bragança, neta de Nuno Álvares Pereira, o Santo Condestável.
Bisavós maternos:
1-     Dom João I, "o de Boa Memória", pela Graça de Deus, Rei de Portugal e do Algarve, e Senhor de Ceuta, e de Filipa de Lencastre (em inglês: Philippa of Lancaster), nascida Princesa inglesa da Casa de Lencastre, filha de João de Gante, 1.º Duque de Lencastre, com sua mulher Branca de Lencastre.
2-     Dom Afonso de Portugal, depois Afonso I de Bragança, 8º conde de Barcelos, 2º conde de Neiva e o 1º Duque de Bragança, e de Dona Beatriz Pereira de Alvim, filha de Nuno Álvares Pereira, o Santo Condestável, Beato Nuno de Santa Maria, hoje São Nuno de Santa Maria, 2.º Condestável de Portugal, 38.º Mordomo-Mor do Reino, 7.º Conde de Barcelos, 3.º Conde de Ourém e 2.º Conde de Arraiolos, e de Dona Leonor de Alvim, rica herdeira de João Pires de Alvim e de sua mulher Branca Pires Coelho.
Dom Manuel casou com:
a-      Isabel de Aragão, Infanta de Espanha- filho:
I-                  Miguel da Paz (1498-1500), herdeiro aparente das Coroas de Portugal, Castela e Aragão.
b-     Maria de Aragão e Castela, Infanta de Espanha, e sua cunhada – filhos:
1-     João III, rei de Portugal (1502-1557)
2-     Isabel de Portugal (1503-1539), casada com Carlos V, Imperador da Alemanha que se tornaria mãe de Filipe II de Espanha;
3-     Beatriz de Portugal, Duquesa de Sabóia (1504-1538), casada com Carlos III, Duque de Sabóia;
4-     Luís, Duque de Beja (1506-1555), condestável do Reino e Prior da Ordem de S. João de Jerusalém, pai do polémico António, prior do Crato;
5-     Fernando, Duque da Guarda (1507-1534), casado com Guiomar Coutinho, Condessa de Marialva
6-     Afonso de Portugal, cardeal (1509-1540), arcebispo de Évora e de Lisboa.
7-     Maria de Portugal (1511-1513)
8-     Cardeal Henrique, rei de Portugal (1512-1580), cardeal, arcebispo de Braga, de Évora e de Lisboa, Inquisidor Geral, regente do reino e rei;
9-     Duarte, Duque de Guimarães (1515-1540), casado com Isabel de Bragança, bisavô de João IV de Portugal;
10- António de Portugal (1516) que viveu poucos dias.
c-     Leonor de Áustria, Infanta de Espanha, irmã do imperador Carlos V:
1-     Carlos de Portugal (1520-1521)
2-     Maria de Portugal (1521-1577), famosa como a mais culta das Infantas.

Como vemos Dom Manuel não havia nascido para ser o Rei, mas veio o destino e o fez, em 13 de julho de 1491, “Sua Alteza, o Príncipe Herdeiro de Portugal”, e a partir de 25 de outubro de 1495 “Sua Alteza Real pela Graça de Deus Rei de Portugal e dos Algarves, d'Aquém e d'Além-Mar em África, e Senhor da Guiné”, era a vida.
Aclamado em 27 de outubro de 1495 logo de início de seu reinado apoio “ a política avoenga dos descobrimentos portugueses e o desenvolvimento dos monopólios comerciais”.
“ Durante seu reinado, Vasco da Gama descobriu o caminho marítimo para a Índia (1498), Pedro Álvares Cabral descobriu o Brasil (1500), Francisco de Almeida tornou-se no primeiro vice-rei da Índia (1505) e o almirante Afonso de Albuquerque assegurou o controlo das rotas comerciais do oceano Índico e golfo Pérsico e conquistou para Portugal lugares importantes como Malaca, Goa e Ormuz. Também no seu reinado organizam-se viagens para ocidente, tendo-se chegado à Groenlândia e à Terra Nova”.
“ Tudo isto contribuiu para a constituição do Império Português, fazendo de Portugal um dos países mais ricos e poderosos da Europa. Manuel I utilizou a riqueza obtida pelo comércio para construir edifícios reais, no que se chamaria muito posteriormente estilo manuelino, dos que são exemplo o Mosteiro dos Jerónimos e a Torre de Belém. Atraiu cientistas para a corte de Lisboa e estabeleceram-se tratados comerciais e relações diplomáticas com a China e a Pérsia, além de que, em Marrocos, realizaram-se conquistas como Safim, Azamor e Agadir”.
“A sua completa consagração europeia deu-se com a aparatosa embaixada em 1514, chefiada por Tristão da Cunha, enviando ao papa Leão X presentes magníficos como pedrarias, tecidos e joias. Dos animais raros, destacaram-se um cavalo persa e um elefante, chamado Hanno, doravante mascote do papa, que executava várias habilidades. Mas uma das inúmeras novidades que encantaram os espíritos curiosos das cortes europeias da época terá sido sem dúvida o rinoceronte trazido das Índias, que assumiu, então, um papel preponderante na arte italiana”.

E foi no governo absoluto de Dom Manuel de Viseu, Príncipe da Dinastia de Avis, nascido em Alcochete, em 31 de maio de 1469, e falecido em Lisboa com 52 anos no dia 13 de dezembro de 1521, que reinou de 25 de outubro de 1495 até 13 de dezembro de 1521-  26 anos 1 mês e 18 dias – que em 22 de abril de 1500, a frota comandada por Pedro Álvares Cabral chegou ao território onde hoje se localiza o Brasil.

Ponto Final.