terça-feira, 21 de julho de 2015

Claude de France que faleceu no Château de Blois, no dia 20 de julho de 1524,


Armes du duché de Bretagne

Claude de France que faleceu no Château de Blois, no dia 20 de julho de 1524.

Les neuf provinces et leurs pays traditionnels de Bretagne, abaixo:



O domínio real sob Francisco I, aquisições e residências reais, conforme mapa abaixo:



Anne, filha de Francisco II, o precedente, com sua segunda esposa Marguerite de Foix, Princesa de Navarra, filha de Eleanor I, Rainha de Navarra, e de Gaston IV de Foix-Béarn, Conde de Foix, com Luís XII, Rei de França, teve duas filhas:
1-      Claude de France, Cláudia, que foi sua herdeira e Rainha consorte de Francisco I, Rei da França;
2-      Renée de France (1510-1575), Senhora de Montargis, Duquesa de Chartres, que se casou com Ercole II d'Este, Duque de Ferrara, Modena e Reggio.

Vamos falar de Claude de France que faleceu no Château de Blois, no dia 20 de julho de 1524, e foi por causa dessa data, sendo hoje dia 20 de julho de 2015, que iniciei essa conversa.
Claude de France nasceu no dia 13 de outubro de 1499, em Romorantin-Lanthenay, no departamento de Loir-et-Cher, Região Centre-Val de Loire.
Sua mãe, a Rainha Anne, fez o que pode, e o que não podia, para ver se revogava Lei Sálica e fazer dela Herdeira da Coroa de França.
Não deu, mas ela foi elevada a Duquesa Hereditária da Bretanha.
Luís XII já estava doente, e com isso fizeram o noivado dela com o futuro Carlos V, Imperador Sacro, e neto de Maximiliano I, também, Imperador Sacro, mas seu pai, com toda razão, pois Carlos era Herdeiro de meia Europa, e de domínios que cercariam e enfraqueceriam a França, cancelou o acordo de noivado.
Luís XII e Luisa di Savoia, viúva de Charles de Orleans, Conde de Angoulême, combinaram em segredo o casamento de seus filhos, Claude com François d'Orleans, que com a morte do pai passou a ser François d'Angoulême, Principe de Sangue que pertencia ao ramo mais jovem da Casa Real de Valois, e que não estava destinado a reinar.
E acontece uma cerimônia de noivado, em 21 de maio de 1506, no castelo de Plessis-lez-Tours, fechando as Sessões dos Estados Gerais de Tours.
Luis XII, em seguida, resolver elevar François d'Angoulême a condição de Príncipe Herdeiro, o nomeando para o Conselho do Rei, e lhe o nomeou Comandante em chefe do exército Guyenne em 12 de outubro de 1512.
Em 18 de Maio de 1514, na capela do antigo Castelo de Saint-Germain-en-Laye, tem lugar a cerimônia de casamento de Claude com François.
Claude deu em usufruto a seu marido François o Ducado da Bretanha e nunca o governou.
“Claude impôs um código moral rígido sobre sua Casa, do que poucos ousavam zombar”.
“Se Francisco era alto e atlético, Cláudia era baixa”.
“Suas gestações sucessivas faziam-na parecer continuamente rechonchuda, o que era visto como motivo de zombaria na corte”.
“Os embaixadores estrangeiros notavam sua corpulência, o seu manquejar, o seu estrabismo do olho esquerdo, a falta de atrativos físicos e sua obliteração, preterindo suas qualidades”.
“Claude passou a ser desprezada pela Corte após a morte de seus pais, apesar de ser a Rainha-consorte de França, e Duquesa por direito próprio da Bretanha, pois ela nunca teve interesse em sua herança materna e não demonstrava qualquer disposição para a política, já que preferia se dedicar à religião”.
“Pierre de Bourdeille, senhor de Brantôme, mais conhecido por Pierre de Brantôme, aventureiro e escritor francês, conhecido pelas suas aventuras amorosas e pelo seu gosto pelo risco, afirmava que o Rei lhe transmitiu a sífilis, "que avançaram seus dias", e de que era maltratada pela sogra, Luísa de Savoia”.
Cláudia e Francisco tiveram sete filhos:
1-      Luísa (Castelo de Amboise, 19 de agosto de 1515 - 21 de setembro de 1518), que morreu nova;
2-      Carlota (Castelo de Amboise, 23 de outubro de 1516 - Castelo de Blois, 8 de setembro de 1524), que morreu nova;
3-      Francisco (Castelo de Amboise, 28 de fevereiro de 1518 - Castelo de Tournon, 10 de agosto de 1536), Delfim da França e seu sucessor como Duque da Bretanha como Francisco III;
4-      Henrique (Castelo de Saint-Germain-en-Laye, 31 de março de 1519 - Hôtel des Tournelles, 10 de julho de 1559), Duque d'Orleans desde o nascimento, sucedeu ao pai como Rei Henrique II da França;
5-      Madalena (Castelo de Saint-Germain-en-Laye, 10 de agosto de 1520 - Palácio de Holyrood, 2 de julho de 1537), primeira consorte de Jaime V da Escócia;
6-      Carlos (Castelo de Saint-Germain-en-Laye, 22 de janeiro de 1522 - Abbeville, 9 de setembro de 1545), Duque d'Angoulême desde o nascimento, depois também Duque de Châtellerault, d'Orleans, de Bourbon e de Crépy;
7-      Margarida (Castelo de Saint-Germain-en-Laye, 5 de junho de 1523 - Turim, 14 de setembro de 1574), esposa de Manuel Felisberto, Duque de Savoia.

Brasão de Claude de France.

O que vemos aqui é que Francisco, Delfim da França, foi seu sucessor como Duque da Bretanha, sob o nome de Francisco III.
Com sua morte prematura em 10 de agosto de 1536, os Títulos de Delfim da França e Duque da Bretanha passaram para Henrique, o segundo filho do casal, de 10 de agosto de 1536 até 31 de março de 1547, portanto 10 anos 7 meses e 21 dias.
Quando Henrique II se tornou Rei de França em 31 de março de 1547, o Ducado da Bretanha se tornou oficialmente parte do Domínio Real francês.
Assim a Bretanha de tantas histórias se tornou uma joia de grande valor da Bela França.