sexta-feira, 12 de junho de 2015

De Rose para Joséphine Bonaparte




De Rose para Joséphine Bonaparte
épouse du Premier Consul, avec le titre de « consulesse »

A naquela época conhecida como « Rose », « Rose de Tascher », ou « Rose Tascher de La Pagerie », as vezes erroneamente de « Rose de Beauharnais », « madame veuve de Beauharnais », pois já tinha acontecido o divórcio, estava pobre de Jó, mas em um jantar na residência de Barras, no dia 15 de outubro de 1795, as forças do destino estavam em grande movimento e interferiram na vida dela.
Isso estava sendo sentido no ar e ela uma “créole de la Martinique”, criada em meio aos escravos africanos com suas crenças, deuses, e crendices, reparou que sobre um pequeno homem magérrimo, com semblante atormentado, um militar, pobre, mal-ajambrado, falando francês com sotaque corso-italiano, pairava a Chama da Gloria.
Aceita ser cortejada por ele.
Napoleone Buonaparte é um tosco.
Destituído de qualquer tipo de educação social, truculento, ciumento, mas se mostra carinhoso com ela e com os filhos.
Aceita a proposta de casamento.
O casamento civil, tendo Madame Tallien e Barras como padrinhos, acontece no dia 9 de março de 1796, em Paris, ocasião em que lhe dá um anel com a legenda « Au destin », “ Ao destino”.

O anel.
“ A casa Osenat leiloou em março último [ 2015] em Fontainebleau, Sudeste de Paris, por 730 mil euros, vendido no estojo do século XVIII com a inscrição “toi et moi” (tu e eu), pertencente a Casa de Alba, família da Imperatriz Eugenia, mulher de Napoleão III”.
Napoleão com bom senso, ordena que ela passe a ser chamada de Joséphine, « Joséphine Bonaparte », e é com este nome que esta notável mulher vai entrar para Grande História da Humanidade.
Não é um casamento por amor, mas sim de interesse de ambas as partes.
Napoleão queria uma mulher que lhe proporcionasse ascenção social, e Joséphine queria recursos para os seus grandes gastos e os dos filhos.
A dupla se completa, mas Napoleão é ciumento.
Adota os filhos delas.
Reclama de seu comportamento.
Dá ouvidos as fofocas de sua irmã Paulina.
Sua família, os Bonaparte, detesta essa mulher mais velha do que Napoleão, e a chamam de “A Velha” -  « la vieille », na ocasião do casamento ele tinha 26 anos, ela 32 e dois filhos, além do que se “sentiam desajeitados e sem sofisticação na presença de Joséphine”.
Ele escreve cartas de amor, estando na Itália, ela o corneia com Hippolyte Charles, um capitão dos Hussardos.
A vida de casado é tempestuosa.

Napoleão no Egito.
?

Ele no Egito se enrabicha por Pauline Fourès, a esposa de um oficial subalterno, que ficou conhecida como " la Cléopâtre de Napoléon ".
Daí em diante a coisa degringolou.
Napoleão tenta se separar, mas “alega” quer ter uma verdadeira família e por causa das crianças não se divorciaria.
Na verdade, Napoleão queria mais, queria realizar seu sonho de Gloria e um divórcio naquela altura era impensável.
Apesar de ser um péssimo amante na cama, segundo alguns historiadores, ele tem várias amantes.
Mais, a certa altura diz a verdade:
"Le pouvoir est ma maîtresse" - “ O Poder é minha amante”.



Napoleón Bonaparte con el uniforme de Primer Cónsul
De Dominique Ingres
Musée d'Armes, Belgium, Liege

E...Aconteceu l’Attentat de la rue Saint-Nicaise, ou conspiration de la machine infernale (nome dado a uma bomba de grande explosão), “um atentado monarquista que teve lugar em 24 de dezembro de 1800 (Ano 3 Nivose IX), contra Napoleão Bonaparte, ainda Primeiro Cônsul da França, na rue Saint-Nicaise, em Paris, quando ele e a família iam ao Teatro assistir “Creation de Joseph Haydn”.
“Joséphine não se feriu, mas por causa dos estilhaços do vidro da carruagem Hortense feriu a mão, mas a forte bomba matou diversos transeuntes e um dos cavalos da carruagem onde as duas estavam. No total o ataque deixou 22 mortos e centenas de feridos, 46 casas da Rue Saint-Nicaise foram destruídas ou tornadas inabitáveis”.
Foi forte, mas a deusa da Fortuna estava protegendo o casal Bonaparte.

Attentat de la rue Saint-Nicaise

Um belo dia, Joséphine flagrou o pequeno Napoleão em ação com sua demoiselle d'honneur, Élisabeth-Antoinette Le Michaud d'Arçon de Vaude- no Château de Saint-Cloud, e fez uma cena daquelas, e isso as vésperas da Coroação Imperial em Notre Dame de Paris.
No meio do batifundo, Napoleão apelou e falou que dormiria com qualquer mulher que lhe desse um filho, já que ela, sua esposa, não lhe podia dar, era Velha.
E a coisa ficou feia.
Hortense e Eugenio acalmaram um pouco a ira dos dois e a Coroação aconteceu. 
Élisabeth de Vaudey renunciou a seu cargo por carta e acabou morrendo na miséria em Paris.
E partiram para a Coroação...

Continua...





Monograma bordado de Joséphine Bonaparte