terça-feira, 23 de junho de 2015

Reina Juana de Castilla ou Joana, a Louca

Continuação
da
Continuação da Continuação
da
 Dinastia Trastámara.




Escudo de la Reina Juana de Castilla

Terceira filha de Fernando II de Aragão e Isabel I de Castela.
Nasceu em Toledo no dia 6 de novembro de 1479.
Faleceu em Tordesilhas no dia 12 de abril de 1555.
Sofria de melancolia profunda levada por transtorno esquizoafetivo, psicose acompanhada de esquizofrenia hereditária.
“ A vida de Juana deteriorou-se gradualmente, como testemunham os poucos que conseguiram visita-la, especialmente quando sua filha mais nova, Catarina, que tentou protegê-la contra o tratamento despótico do Marquês de Denia, teve que sair de sua companhia para se casar com o Rei de Portugal. Desde então, episódios depressivos ocorreu com o aumento da intensidade. Ela tinha grande dificuldade nas pernas, o que acabaram paralisadas. São Francisco Borgia (Francisco de Borja y Aragón S.J., Geral da Companhia de Jesus, IV Duque de Gandia , Marquês de Lombay, Grande de Espanha e Vice-Rei da Catalunha, canonizado em 1671 pelo Papa Clemente X) a visitou e afirmou que seu estado mental era causado por não ter tido tratamento adequado.
Em seu leito de morte, Joana se recusou a confessar ao ser administrado os últimos ritos.
Muitos historiadores e “Gustav Adolf Bergenroth, na década de sessenta do século XIX ( 1860), encontrou documentos no Archivo General de Simancas, localizado na cidade Valladolid de Simancas, fundado em 1540, por isso é o primeiro registro oficial da Coroa de Castela, no Castelo de Simancas, hoje na comunidade autónoma de Castela e Leão, na Espanha, e outros registros que mostram que Juana la Loca tinha realmente sido vítima de uma conspiração engendrada por seu pai, Fernando de Aragão, e depois confirmada por seu filho Carlos V&I”.

Joana de Trastámara y Trastámara, Habsburgo por casamento, foi Rainha de Castela de 1504 a 1555, e Rainha de Aragão e Navarra, 1516-1555.
A partir de 1506 não exerceu qualquer poder efetivo.
Já a partir de 1509 viveu trancada em Tordesilhas, primeiro por ordem de seu pai, Fernando, Rei de Aragão, e mais tarde por ordem de seu filho, Carlos I, Rey de España y V del Sacro Imperio Romano Germánico, llamado «el César».

Predecessor:
Miguel de la Paz de Portugal, seu
sobrinho
Sucessor:
Carlos  V&I
Predecessora:
Isabel I, a Católica ,
Sua mãe
Reina nominal de Castilla
1504 – 1555
Junto a Felipe I (1504 a 1506)
a Carlos V&I (desde 1516)
Sucessor: Carlos
V&I
Predecessor:
Fernando I, o Católico,
Seu pai
Reina nominal de Navarra
1515 – 1555
(Junto a Carlos V&I desde 1516)
Sucessor: Carlos
V&I
Predecessor:
Fernando II, o Católico,
Seu pai
Sucessor: Carlos
V&I
Predecessor:
Fernando II, o Católico
Seu pai
Reina nominal de Nápoles
1516 – 1554
(Junto a Carlos V&I)
Sucessor: Felipe II, filho de Carlos V&I




Juana y su esposo con gente de la corte

Joana e Felipe, o Belo de Espanha, foram pais de:
1-      Leonor (1498-1558), Arquiduquesa de Áustria, Rainha consorte de Portugal sendo a terceira esposa de Manuel I de Portugal. Viúva casou com Francisco I, Rei de França;
2-      Carlos (1500-1558), Infante de Espanha, Arquiduque de Austria, Rei da Espanha (1516 - 1556), com o nome de Carlos I e Imperador do Sacro Império Romano (1519 - 1558), sob o nome de Carlos V, e outros domínios e Titulos;
3-      Isabel (1501-1526), ​​Rainha consorte da Dinamarca e da União de Kalmar, esposa de Christian II.
4-      Fernando (1503-1564), Infante de Espanha, Arquiduque de Austria, (Ferdinand I. (HRR)) Imperador do Sacro Império Romano- Germânico, Rei eleito da Alemanha (formalmente Rei dos Romanos, Rei da Hungria, da Croácia e da Bohemia, etc....sucedeu seu irmão Carlos. Com essa Herança a Dinastia Habsburgo foi dividida em duas Linhagens:
A-     Die Habsburger (auch Haus Habsburg), a Casa de Habsburgo da Austria;
B-      La Casa de Austria, Casa de Habsburgo da Espanha.
5-      Maria, Arquiduquesa de Áustria - María de Habsburgo de Hungria (1505-1558), Rainha consorte da Hungria e Bohemia, como esposa de Luís II - Luis II Jagellón. Viúva foi Governador dos Países Baixos para seu irmão, Carlos V &I;




Dom João III e São João Batista, por Cristóvão Lopes, pintor régio, pintor português do século XVI, Convento de Madre de Deus, Lisboa,
Catarina d’Austria e Santa Catarina, século XVI, Convento de Madre de Deus, Lisboa / Penha de França. Largo Madre de Deus.


6-      Catarina d’Austria (1507-1578) Arquiduquesa de Áustria, Infanta de Espanha, filha póstuma de Felipe, o Belo de Espanha, que cresceu com a mãe no castelo de Tordesilhas, onde sofreu privações e maus-tratos nas mãos de Luis Gómez de Sandoval y Enríquez, Marquês de Denia, um dos guardiões da Rainha Joana. Foi libertada graças a seu irmão Carlos V.
Rainha Consorte de Portugal por Dom João III, pela Graça de Deus, Rei de Portugal e dos Algarves, d'Aquém e d'Além-Mar em África, Senhor da Guiné e da Conquista, Navegação e Comércio da Etiópia, Arábia, Pérsia e Índia, etc.
Na mais luxuoso e rica cerimônia de casamento já mais vista na Europa, casou com João III, o Piedoso ou Pio, décimo quinto Rei de Portugal, em Tordesilhas, no dia 10 de agosto de 1525.
Tiveram nove filhos, tendo a infelicidade de os ver morrer todos, muitos por epilepsia. São eles: Dom Afonso, Dona Maria Manuela (Princesa consorte de Astúrias pelo casamento com o rei Filipe II de Espanha, então Príncipe de Astúrias), Dona Isabel, Dona Beatriz, Dom Manuel, Dom Filipe, Dom Dinis, Dom João Manuel, Dom António, Dom Duarte.
Essa formidável Rainha consorte de Portugal, foi Regente de Portugal para seu neto, Dom Sebastião, o Desejado, O Encoberto ou O Adormecido, décimo sexto Rei de Portugal, que morreu lutando contra os Mouros Islamitas em Alcácer-Quibir, no dia 4 de agosto de 1578, junto com a Flor da Nobreza do Reino. Dom Sebastião era filho de Dom João Manuel, Príncipe Herdeiro de Portugal, e de Joana de Áustria, a "jesuíta secreta", filha do casamento do Imperador Carlos V (Carlos I de Espanha) com Dona Isabel de Portugal, Imperatriz do Sacro Império Romano-Germânico, logo primos irmãos
Dona Catarina d’Austria, nasceu Torquemada, Reino de Castela, em 14 de janeiro de 1507, e faleceu em Lisboa, Reino de Portugal e Algarves, e, 12 de fevereiro de 1578, com 71 anos de idade.
  


 Luis II e Maria  
Reis da Hungria e da Boemia.



 Juana la Loca velando el cadáver de Felipe el Hermoso
Francisco Pradilla y Ortiz
Pintor español, director de la real Academia de España en Roma y del Museo del Prado.
1877
l Museo del Prado



La reina doña Juana la Loca, recluida en Tordesillas con su hija, la infanta doña Catalina.
Francisco Pradilla y Ortiz
Pintor español, director de la real Academia de España en Roma y del Museo del Prado.
1906.

l Museo del Prado

Continua....