quarta-feira, 13 de maio de 2015

185 H - Conversa sobre a Holanda, ou os Países Baixos.

Conversa sobre a Holanda, ou os Países Baixos.

Porque publiquei dois capítulos do meu livro, agora em Blog, “Além, No Mar Oceano - Aventuras Transcontinentais da Humanidade”, http://alemnomaroceano.blogspot.com.br/ , nestas nossas conversas sobre a História?
Porque para escrever esse livro, eu pesquisei a História da Holanda, história essa que é baseada no esforço conjunto dos protestantes e dos judeus para a construção de um novo mundo capitalista, e livre para todos os homens e mulheres de boa vontade.
Vamos continuar:

Judeus celebres na Holanda em tempos idos:

 Abraham Israel Pereyra (Pereira), “o seu nome antes de deixar a Espanha era Thomas Rodriguez Pereyra, e foi perseguido pela Inquisição”. Ele era de uma família de marranos em Madrid, e chegou em Amsterdam, via Veneza, por volta de 1644, com seu irmão mais novo, Isaac Pereyra”.
“Eles tinham "conseguido trazer da Península Ibérica a totalidade da sua considerável fortuna e se tornaram uns dos mais ricos negociantes na Holanda”.
Abraham Israel Pereyra foi muito dado a obras de pias e de devoção, tanto que em 1659 fundou o yeshibah Hesed le-Abraão, em Hebron.
“Em 1655 os dois irmãos, Abraão e Isaac Pereyra, pediram ao governo de Amsterdam permissão para estabelecer uma refinaria de açúcar na cidade”
"Os Pereyras são descritos por seus companheiros judeus como comerciantes de riqueza e influência, que ocuparam um lugar importante na Bolsa de Valores de Amsterdam, a mais antiga bolsa de valores do mundo, iniciada pelo Dutch East India Company, em 1602”.
“Durante muitos anos o presidente da Comunidade Judaica Português em Amsterdã, morreu em Amsterdã em 1699, teve cinco filhos e três filhas. Uma das filhas, Rebeca, era a esposa de Jacob de Pinto, outra, chamada Rachel, era a esposa de Abraham Cuitiño ". Fonte: Roth, Cecil, A Vida de Manassés Ben Israel, o rabino, impressora e Diplomat, Philadelphia, The Jewish Publication Society of America de 1934.

David de Aaron de Sola - Rabino e autor (Amsterdam *1796- + 1860)
Jacob Abendana - Rabino, hakham (sábio) da Sinagoga dos Espanhóis e Portugueses em Londres, e filósofo (Espanha, 1630 – Londres, 12 de setembro de 1695)
Isaac Abendana (Espanha, ca. 1640 – Londres, 1710) foi o irmão mais novo de Jacob Abendana, e tornou-se hakham (sábio) da Sinagoga dos Espanhóis e Portugueses em Londres depois da morte de seu irmão.

Meu favorito:
Isaac Aboab da Fonseca, o primeiro Rabino nomeado das Américas, “seus pais eram marranos, judeus que tinham sido convertidos à força ao cristianismo -Rrabino, cabalista, erudito, escritor, nasceu em Castro Daire, hoje no distrito de Viseu, região Centro e sub-região do Dão-Lafões, 01 de fevereiro de 1605”.
Foi uns dos anciãos na comunidade Português-israelita nos Países Baixos que excomungou Baruch Spinoza pelas declarações deste filósofo feitas a respeito da natureza de Deus.
“Na idade de dezoito anos, foi nomeado Chacham para Beth Israel, uma das três comunidades sefarditas que existiam em Amsterdam”.
“ Em 1642, Aboab da Fonseca foi nomeado Rabino na Sinagoga Kahal Zur Israel, na então colônia holandesa de Pernambuco (Recife ocupada pelos holandeses em 1624), no Brasil. A maioria dos habitantes europeus da cidade após a ocupação holandesa eram judeus sefarditas, originalmente de Portugal, mas que tinha emigrado primeiro a Amsterdam devido à perseguição pela Inquisição Portuguesa”.
“ Alguns membros da Comunidade Israelita de Pernambuco, emigraram para a América do Norte e estavam entre os fundadores da Cidade de Nova York”.
“ De volta a Amsterdam, Aboab da Fonseca foi nomeado Rabino-chefe para a comunidade Sefardita, e durante esse período a comunidade prosperou, tanto que a Sinagoga Portuguesa de Amsterdam, a Esnoga, foi inaugurado no dia 02 de agosto de 1675 (10 Av 5435) ”.
“ Isaac Aboab da Fonseca morreu em Amsterdam, no dia 4 de abril de 1693, com a idade de 88”.
Adoraria tê-lo conhecido.


Retrato do rabino Isaac Aboab da Fonseca.
Palavras exatas que estão no Livro:
"Este trabalho é uma tradução do Pentateuco em espanhol, com um comentário por Isaac Aboab da Fonseca Ele estava preparado para judeus em Brasil holandês, que por causa de sua herança ibérica seria capaz de ler em espanhol. O retrato é do comentarista, Aboab da Fonseca, que não foi apenas o primeiro Rabino no Brasil, mas também o primeiro Rabino para vir para a América. "

Manassés ben Israel, Menasheh ben Yossef ben Yisrael – “nasceu em Ilha da Madeira em 1604, com o nome de Manoel Dias Soeiro, um ano depois que seus pais haviam deixado continente Portugal por causa da Inquisição. A família se mudou para a Holanda em 1610”.
“Ele estabeleceu a primeira imprensa hebraica na Holanda, e um de seus primeiros trabalhos, El Conciliador, publicado em 1632, fez com que ele adquirisse uma grande reputação ”.
“ Em 1638, ele decidiu se estabelecer no Brasil, e ele pode ter visitado a capital da colônia holandesa de Recife, mas nela não se fixou”.
Uma das razões foi que sua situação financeira melhorou em Amsterdam, já que os irmãos Abraão e Isaac Pereyra, o contrataram para dirigir uma pequena Yeshivá (em judeu-português: Jessibá) que haviam fundado na cidade para estudo da Torá e do Talmud.
Rabino, influente na readmissão dos judeus na Inglaterra e sua introdução nos demais domínios do nascente Império Britânico.
Manassés ben Israel foi o autor de muitas obras muito importantes para o judaísmo.
“A esposa de Manassés, Rachel, era uma neta de Isaac ben Judah Abravanel, judeu português conhecido como Abravanel, estadista, filósofo, comentarista da Bíblia, financista, e que segundo a Lenda tinha ascendência Davídica.
Manassés e Rachel tiveram três filhos.
a-      Samuel Abravanel  Soeiro, também conhecido como Samuel Ben Israel, que trabalhou como impressor e ajudou seu pai com matérias em Inglaterra.
b-      Joseph, morreu aos 20 anos, em 1650, em uma viagem de negócios desastroso para a Polónia.
c-       Gracia, nascida 1628, que se casou com Samuel Abravanel Barboza em 1646, e morreu em 1690.

Faleceu em Midelburgo, no sudoeste dos Países Baixos, hoje capital da província da Zelândia, no dia 20 de novembro de 1657.
 Manassés ben Israel, Menasheh ben Yossef ben Yisrael morreu muito satisfeito da vida, pois segunda a lenda a família de sua esposa Rachel, os Abravanel, descendia do Rei Davi, e com isso seus filhos tinha uma Grande Linhagem, uma ascendência Davídica. Fonte: Roth, Cecil, A Vida de Manassés Ben Israel, o rabino, impressora e Diplomat, Philadelphia, The Jewish Publication Society of America de 1934




Portrait of Menasseh Ben Israel
by Rembrandt

Balthazar Orobio Alvares de Castro, no judaísmo Isaac Orobio de Castro - filósofo, médico e apologista (nascido em Bragança, Portugal, em 1617, e falecido em Amsterdam, no ano de 1687. Sua esposa, Esther, faleceu na mesma cidade no dia 05 de julho de 1712), médico de Duque de Medinaceli, denunciado à Inquisição, fugiu para Toulouse, França, em cuja universidade lecionou medicina, recebendo honras de Luís XIV. Não satisfeito emigrou para a comunidade Sefardita de Amsterdam em 1662.

Baruch Spinoza, filosofo e artesão - (para os pais era Bento, em hebraico: ברוך שפינוזה, traduzido para  Baruch Spinoza , portanto Baruch para os judeus de Amsterdam, como Benedictus assinou sua Ethica, depois “ do o chérem, equivalente hebraico da excomunhão católica, pelos seus postulados a respeito de Deus em sua obra, defendendo que Deus é o mecanismo imanente da natureza, e a Bíblia, uma obra metafórico-alegórica que não pede leitura racional e que não exprime a verdade sobre Deus “ passou a assinar Benedito Espinoza,) – de uma família judaica de origem portuguesa, nasceu Amsterdam, no dia 24 de novembro de 1632, e faleceu em Haia no dia 21 de fevereiro de 1677, foi um dos grandes racionalistas do século XVII dentro da chamada Filosofia Moderna, juntamente com René Descartes e Gottfried Leibniz.
O banimento, em português de Spinoza (sic):
"Os Senhores do Mahamad [Conselho da Sinagoga] fazem saber a Vosmecês: como há dias que tendo notícia das más opiniões e obras de Baruch de Spinoza procuraram, por diferentes caminhos e promessas, retirá-lo de seus maus caminhos, e não podendo remediá-lo, antes pelo contrário, tendo cada dia maiores notícias das horrendas heresias que cometia e ensinava, e das monstruosas ações que praticava, tendo disto muitas testemunhas fidedignas que deporão e testemunharão tudo em presença do dito Spinoza, coisas de que ele ficou convencido, o qual tudo examinado em presença dos senhores Hahamim [conselheiros], deliberaram com seu parecer que o dito Spinoza seja heremizado [excluído] e afastado da nação de Israel como de fato o heremizaram com o Herem [anátema] seguinte:
Com a sentença dos Anjos e dos Santos, com o consentimento do Deus Bendito e com o consentimento de toda esta Congregação, diante destes santos Livros, nós heremizamos, expulsamos, amaldiçoamos e esconjuramos Baruch de Spinoza [...] Maldito seja de dia e maldito seja de noite, maldito seja em seu deitar, maldito seja em seu levantar, maldito seja em seu sair, e maldito seja em seu entrar [...] E que Adonai [Soberano Senhor] apague o seu nome de sob os céus, e que Adonai o afaste, para sua desgraça, de todas as tribos de Israel, com todas as maldições do firmamento escritas no Livro desta Lei. E vós, os dedicados a Adonai, que Deus vos conserve todos vivos. Advertindo que ninguém lhe pode falar bocalmente nem por escrito nem lhe conceder nenhum favor, nem debaixo do mesmo teto estar com ele, nem a uma distância de menos de quatro côvados, nem ler Papel algum feito ou escrito por ele."

“Os judeus, perseguidos por toda Europa na época, especialmente pelos governos ibéricos e luteranos alemães, haviam recebido abrigo, proteção e tolerância dos protestantes de inspiração calvinista dos Países Baixos e, assim, não poderiam permitir no seio de sua comunidade um pensador tido como herege”.
Era óbvio já que a Bíblia é a Palavra de Deus escrita, e a Bíblia é o livro fundamento da Fé Calvinista.
Spinoza “morreu em um domingo, 21 de fevereiro de 1677, aos quarenta e quatro anos, vitimado pela tuberculose. Morava então com a família Van den Spyck, em Haia. A família havia ido à igreja e o deixara com o amigo Dr. Meyer. Ao voltarem, encontraram-no morto. Encontra-se sepultado em Nieuwe Kerk churchyard, Haia, no Países Baixos”.
Obras escritas em latim:
Ética demonstrada à maneira dos geômetras (Ethica Ordine Geometrico Demonstrata) - iniciado em Rijnsburg e finalizado em Haia. Conteúdo:
Primeira parte: Deus
Segunda parte: A natureza e a Origem da Mente.
Terceira parte: A Origem e a Natureza dos Afetos.
Quarta parte: A Servidão Humana ou a Força dos Afetos.
Quinta parte: A Potência do Intelecto ou a Liberdade Humana.
Escritos em holandês:
Um breve Tratado sobre Deus e o Homem (foi um esboço da Ética).
Diversos:
Tratado Político (depois incluído na Ética)
Tratado do Arco-íris
Tratado da correção do Intelecto (De Intellectus Emendatione) - Ensaio
Princípios da Filosofia Cartesiana ("No apêndice, -Pensamentos metafísicos- Espinosa revela seu afastamento cada vez maior em relação a várias teses de Descartes, embora pareça apenas servir-se do cartesianismo para refutar a escolástica." - Espinosa, Livres Pensadores, Coleção)
Tratado sobre a Religião e o Estado (Tractatus theologico politicus) ou "Tratado Teológico-político"



Retrato de Baruch de Spinoza
1665

Foram esses homens, com suas famílias, com seus irmãos e amigos, que contribuíram com os da Casa de Orange para o desenvolvimento da Holanda, dos Países Baixos.

Continua....