sexta-feira, 22 de maio de 2015

Datas importantes da vida de Guilherme de Orange. Parte 3

1580 - Em 13 de dezembro, apresentou aos Estados Gerais dos Países Baixos, em Delft, em resposta ao decreto de proscrição emitido contra ele pelo Rei Filipe II de Espanha, sua Apologia - De Apologie van Willem van Oranje- escrita por seu capelão Loyseleur de Villiers, em estreita cooperação com dois líderes huguenotes Hubert Languet e Philippe du Plessis-Mornay.
Em 17 de dezembro, ele decidiu permitir a impressão da Apologia e sua distribuição pelos Estados Gerais
1581- 5 de julho, os Estados da Holanda e da Zelândia reconhecer o Príncipe de Orange como a Alta Autoridade.
           26 de julho, os Estados aceitam o Acte van Verlatinghe, Acto de Abjuration, Ato de Abjuração.
Acto de Abjuration, de 26 de julho de 1581, é a declaração formal de Independência províncias do norte da Holanda. Representa o “ponto de rompimento de facto” entre os rebeldes holandeses e a coroa espanhola.
Não havia mais nenhum tipo de acordo.
Como reação “ o Duque de Parma e começou a contraofensiva e recuperou a obediência ao Rei da Espanha de grande parte do território, especialmente após a conquista de Antuérpia”.
Nesse Ato escolheram como "Príncipe e Senhor dos Países Baixos e defensor de suas liberdades” a Francisco de Anjou, François de France, Fils de France, filho mais novo de Henrique II e Catarina de Medici, irmão dos Reis Francisco II, Carlos IX, e Henrique III, Reis de França, mas depois de algum tempo as tentativas foram malsucedidas.
1582- 18 de março - Jean Jaureguy faz uma tentativa contra a vida de Guilherme de Orange.
1583-
12 de abril, casa com Louise (Luísa) de Coligny, filha do líder huguenote e amigo Gaspard de Coligny, Almirante de Coligny, e Charlotte de Laval. Louise era viúva de Charles-Louis de Téligny, seigneur de Lierville, Le Chastelier et de Montreuil-Bonnin, gentilhomme ordinaire de la chambre du Roi de France, lieutenant de la compagnie de Amiral de Coligny, assassinado junto com o sogro no Massacre do Dia de São Bartolomeu, em 24 de agosto de 1572. Avisou a Guilherme sobre o comportamento estranho de Balthazar Gerard, que acabou lhe assassinando.  Guilherme e Luísa tiveram um filho:
Frederik Hendrik – Frederico Henrqieu -  *Delft, 29 de janeiro de 1584 -  + Haia, 14 de Março de 1647 , Príncipe de Orange e Conde de Nassau, de Katzenelnbogen , de Vianden ,de  Diez , de  Lingen , de Meurs , de Buren, de  Leerdam , Governador (Stadhouder ) da Holanda, Zelândia, Utrecht, Gelderland, Overijssel, Governador da cidade e dos campos de Drenthe, Marquês de Veere e Flushing, Barão de Breda  e de outros Baronatos, Visconde de Antuérpia e de Besancon, Capitão-general e Almirante-geral da República Holandesa.
Seu neto, Willem Hendrik van Oranje, Príncipe de Orange por nascimento, filho de Guilherme II de Orange, e de Henrietta Maria Stuart, reinou a partir de 1689 como William III, Rei da Inglaterra, da Escócia e da Irlanda, juntamente com sua prima e esposa Maria II- filha mais velha de Jaime, Duque de York e Albany, e sua primeira esposa Ana Hyde. Seu tio era o rei Carlos II, que reinava nos três reinos da Inglaterra, Escócia e Irlanda, e não teve herdeiros- Rainha da Inglaterra, Escócia, França e Irlanda, Princesa de Orange e Condessa de Nassau. “O título completo conjunto de Guilherme III & II e Maria II ao ascenderem ao trono era: "Guilherme e Maria, pela Graça de Deus, Rei e Rainha da Inglaterra, França e Irlanda, Defensores da Fé, etc."
“ A partir de 11 de abril de 1689, quando o parlamento escocês os reconheceu como monarcas, o casal passou a ser chamado de "Guilherme e Maria, pela Graça de Deus, Rei e Rainha da Inglaterra, Escócia, França e Irlanda, Defensores da Fé, etc.”.



Príncipe Frederick Henry,
e sua esposa Amalia de Solms-Braunfels, com suas três filhas mais novas
Albertine Agnes de Nassau, Henriette Catherine de Nassau e Maria de Nassau.
por Gerard van Honthorst .

1583:
22 de julho, Guilherme de Orange Nassau abandona Antuérpia.
Em novembro o Duque de Param retoma totalmente ao Flandres.
1584:
29 de janeiro nasce o Conde príncipe Frederick Henry


Os buracos de bala na parede, testemunhas silenciosas para o assassinato de Orange

“Em 10 de julho de 1584, Guilherme de Orange- Nassau é assassinado por Balthasar Gerards com três tiros, um dos quais passaram pelo coração do Príncipe- Conde”.
“Suas últimas palavras foram, segundo a tradição, Mon Dieu, mon Dieu, Ayez pitié a moi et de ce pauvre peuple, que é traduzido como "Meu Deus, Meu Deus, tem piedade de mim e desta pobre nação"
Mais, há historiadores que discordam dessa frase, por causa da forma do assassinato.

A autópsia e o embalsamamento do príncipe realizado por seu médico e amigo de Pieter Cornelis Foreest e seu outro amigo Cornelis Busennius.
Em 3 de agosto de 1584, corpo do Príncipe foi enterrado na Igreja Nova em Delft em um túmulo temporário.
Entre 1614 e 1623 foi construído seu mausoléu.
Cripta de Orange-Nassau está localizada abaixo e atrás do mausoléu de Guilherme de Orange.
Não há divulgação – fotos, filmes, pinturas, etc.- dessa Cripta por ordem expressas da Família Real.
Por ocasião do 25º jubileu da Rainha Wilhelmina foi realizada a última grande reforma. Eles pensado em uma grande escadaria diante do monumento, com a inscrição
Resurrectionem
EXSPECTAT
Guilelmus PRIMUS
Pater patriae
O que significa: "Aqui esperando William I, o Pai da Nação, a ressurreição". Este texto escolhido por Wilhelmina demonstra sua fé inabalável.
Guilhermina - Wilhelmina Helena Paulina Maria van Oranje-Nassau, nascida em Haia, em 31 de agosto de 1880em Haia, falecida em Apeldoorn, em 28 de novembro de 1962, foi Rainha dos Países Baixos de 23 de novembro de 1890 até 4 de setembro de 1948, portanto, 57 anos, 9 meses e 12 dias, está sepultada nessa Cripta.
O que fica aqui como Legado é que Willem van Oranje lutou como pode para libertar sua Nação do jugo dos Espanhóis, e mais foi um Herói da Fé Calvinista.




O Mausoléu na Nieuwe Kerk em Delft – Nova Igreja de Delft.




 Continua com a Família Real Holandesa..