terça-feira, 3 de março de 2015

133- Reforma da Igreja e Reforma religiosa de Pedro, o Grande.


Kirill, Patriarca de Moscou e de Toda a Rússia.
133 - AS REFORMAS PETRINAS.
 Pedro, o Grande, nona Conversa – os Imperadores da Rússia
A Dinastia Romanov III.
História da Rússia monárquica.
Pedro I, o Grande (22 de outubro 1721 - 28 de janeiro de 1725)
Пётр I Великий (22 октября 1721 — 28 января 1725)

AS REFORMAS PETRINAS.
1-      Reforma da Igreja
2-      Reforma religiosa

"O Senhor deu o Poder ao Reis sobre as Nações, mas a consciência das pessoas está sobre o Poder de Cristo ", de acordo com este princípio Pedro, o Grande, ordenou aos Patriarcas, as Autoridades Eclesiásticas, ao Clero em geral, da Igreja Ortodoxa Russa, “mansidão e inteligência".

Essas reformas mudaram radicalmente a Igreja Ortodoxa Russa, pois introduziu o Sistema Cesaropapismo, estabelecendo assim um novo tipo de relação entre o Estado Imperial Russo e Igreja, já que unificou na Pessoa Sagrada do Imperador e Autocrata (Soberano pela Vontade de Deus e, por isso, sua Autoridade não tem, ou reconhecer alguém acima dele a não ser sua consciência, qualquer regulamentação ou limitação de exercer o seu Poder) todos os poderes políticos e religiosos.
Chamo atenção que “A democracia é uma estrutura de Poder construída de baixo para cima; autocracia organiza o estado de cima para baixo”.
Até o final do século XVII a Igreja Ortodoxa Russa vivia uma grande crise, pois além de graves problemas internos, também, haviam os problemas relacionados com a sua posição na sociedade e ante o Estado Imperial Russo, bem como a ausência total do ensino e da educação religiosa e a criação de novas Igrejas.
É claro que tudo somado impôs uma marca significativa na sociedade da época.
Os Czares, apesar do perigo que corriam em relação aos Patriarcas, já que esses tinham uma “posição privilegiada, governavam uma Igreja com grandes privilégios, possuidora de vastas terras (com muitos servos da gleba), para piorar o Povo Russo era - e é - muito supersticioso, com isso os padres manipulavam a vontade a crença e a vontade popular, sabiam que se fazia necessária reformar o governo da Igreja, mas não tinham coragem de faze-la”.
Os mosteiros/conventos e os negócios episcopais não pagavam nenhum tipo de imposto ao Tesouro, portanto, poderiam vender seus produtos mais baratos, prejudicando, assim, os comerciantes, que pagavam tributos, com isso as propriedades clericais, os enormes latifúndios eclesiásticos, causavam enormes prejuízos para o Estado Imperial Russo.
Tinham justiça própria. “De acordo com o Соборное уложение 1649 года –ou Sobornoye Ulozheniye, Código do Conselho de 1649, o julgamento do clero em todos os casos civis foi entregue para a nova instituição a Монастырского приказа, T.L.: Ordens Monásticas.”
As decisões das “Ordens Monásticas” foram as bases dos férreos conflitos entre o Czar Alexei Mikhailovich e o ambicioso  Patriarca Nikon, Patriarca de Moscou, ou Никон (Патриарх Московский), o sétimo a ocupar o cargo cujo Título era “ Sua Santidade pela Graça de Deus Patriarca de Moscou e Toda a Rússia, grande senhor e o grande Imperador, Arcebispo tsarstvuyuschago da cidade de Moscou e dos grandes e pequenos, e Patriarca de muitos Patriarcas, etc....Titulo esse criado em 25 de Julho de 1652 e que durou até 12 de Dezembro de 1666 “.
Significado do Código do Conselho foi estabelecido para “compilar e resumir (codificar) os principais pontos da legislação russa dos séculos XV ao XVII”.
Não podia haver dos Imperadores em solo Russo, pois não???



Kirill, Patriarca de Moscou e de Toda a Rússia.

E Pedro não era homem de aturar tal situação, além do que odiava os Patriarcas e sacerdotes em geral.
Por uma série de decretos, reduz fortemente a independência do clero no Estado Imperial Russo. 
Faz uma limpeza nos mosteiros/conventos eliminado os reacionários, os opositores e despejando alguns dele.
Monges foram obrigados a ficar permanentemente nesses mosteiros, onde eles tinham que se submeter as Ordens vindas de Moscou, leia-se dele, Pedro, através das Ordens Monásticas.
Só nos asilos poderiam ficar os doentes e enfermos, não mais em mosteiros/conventos.
Nos mosteiros/conventos as freiras só podiam cortar os cabelos após a idade de quarenta anos. 
Agricultura seria supervisionada pelas Ordens Monásticas e não mais pelos Abades ou Abadessa.  
Por decreto estipula que as propriedades e terras passem ao Domínio Imperial e somente os proventos oriundos delas fossem entregues aos Monges.
Uma série de outras medidas facilitou a perseguição brutal de dissidentes e permitiu aos estrangeiros, os católicos e os protestantes, o livre exercício de sua Fé.
Para aumentar os fiéis ortodoxos rebanho nível geral de moralidade foram emitidos decretos, como por exemplo a obrigatoriedade da Confissão anual para todos os russos, homens e mulheres, sob pena de multa para quem não a fizesse.
 Esta medida, além de efeitos de caráter moral, destinava-se principalmente a estabelecer a filiação dessas pessoas à antiga piedade do Povo Russo, mas ao meu ver era uma espécie de fiscalização, de espionagem, sobre seus súditos.
Criação do Colégio Teológico, que logo recebeu o novo nome de o Santo Sínodo, com um presidente, dois vice-presidentes, quatro vereadores, cinco assessores e um procurador-geral – olhos do Senado – e o procurador- chefe considerado “os olhos do soberano e procurador dos assuntos do Estado Imperial ", que na verdade acabou se tornando o Líder de facto do o Santo Sínodo.
 Foi criado o cargo de Fiscais espirituais, chamados Inquisidores, cuja missão secreta era observar o curso correto e legal de assuntos e da vida da Igreja por todo o território russo, incluso nos exércitos e marinha.
Ao Tribunal do Santo Sínodo foram entregues os negócios da Justiça do Clero.
Penalizar os sacerdotes, monges e monjas, que sempre viviam bêbados na Rússia, eternos criadores de casos sociais e espirituais.
As responsabilidades de cada membro da Igreja, isto é, os Patriarcas, os bispos, presbíteros, diáconos e outros clérigos, monges, professores, pregadores, e, em seguida, as responsabilidades em relação aos leigos da Igreja.
Ao Santo Sínodo foi determinado “corrigir a doutrina cristã, com os princípios da Fé e as regras da vida cristã”, e edita-las em um breve e compreensível para livro as pessoas comuns.
Deu ênfase a Piedade, tão ao gosto dos russos.
Ordenou vistas permanentes as Igrejas dos fiéis e a postura que eles deveriam ter nos templos, que era permanecerem no temor e em silêncio, ouvindo o santo serviço, caso contrário, seriam cobradas multas sob a supervisão de um "homem bom”. 
O próprio Pedro gostava de comemorar todos os dias importantes de sua vida com uma missa solene, os súditos deveriam seguir seu exemplo.
Proibido a inventar milagres e com isso instruídos a evitar dolos, má fé de sacerdotes exploradores da Fé simples do camponês russo, ignorante pela superstição acerbada.
Para a pintura das Ícones e das Igrejas, foram nomeados pintores sacerdotes especiais com altos salários. Essas nomeações evitariam o surgimento de Ícones milagreiras, pois essas não seriam reconhecidas.
Pedro considerava os mosteiros/conventos uma Instituição desnecessária, prejudicial, um foco de instabilidade e motins, e para “doma-los”, proibiu a construção de novos, reduziu o número dos existentes dando-lhes um Regulamento Espiritual, uma regra mais detalhada, bem restritiva e rigorosíssima, principalmente no item “ingresso ou aceitação” neles de homens, e de mulheres, os taxou, e toda esse
Grandes ausências foram proibidas aos monges, que só podiam ir além dos muros do mosteiro apenas uma hora, duas horas ou mais tempo somente com a autorização escrita do superior, com sua assinatura, seu timbre, e prazo estipulado.
Deu forma as Escolas Religiosas ou Espirituais – Escolas Episcopais - o que fazia com que os sacerdotes fossem educados, cultos sobre assuntos teológicos, principalmente para os filhos dos clérigos, que se não fossem educados seriam excluídos.
 De acordo com as regras, as escolas religiosas deveriam ser mantidas à custa dos Bispos e rendimentos de terras monásticas.
Nas escolas era ensinado o chamado “curso primário” e depois os cursos de latim, geografia, história, aritmética, geometria, lógica da dialética, retórica, física e metafísica, assuntos políticos, teologia, e os idiomas - latim, grego, hebraico, as Escrituras eram estudadas na Vulgata, Bульгата, ou seja, a Bíblia.
É claro que foram vários os Decretos de Pedro para organizar essas Reformas, mas nessa nossa conversa não cabe aqui lista-los todos...
Continuemos...



Cerimonia Litúrgica.