terça-feira, 3 de março de 2015

134- Reforma Financeira e Mudanças na Indústria e Comércio de Pedro, o Grande .

Dois rublos em ouro com o perfil de Pedro. 1720.

134 - AS REFORMAS PETRINAS.
 Pedro, o Grande, decima Conversa – os Imperadores da Rússia
A Dinastia Romanov III.
História da Rússia monárquica.
Pedro I, o Grande (22 de outubro 1721 - 28 de janeiro de 1725)
Пётр I Великий (22 октября 1721 — 28 января 1725)

AS REFORMAS PETRINAS.
1-      Reforma Financeira
2-       Mudanças na Indústria e Comércio

As principais razões para a reforma financeira foi a necessidade de dinheiro para a construção da Frota, modernização do exército- obtenção de fundos para a criação de um exército e da marinha regular- isso sem falar da Estruturação do Estado Imperial Russo, nas reformas sócias- religiosas, etc. e tal.
A Guerra do Norte, que ocorreu em 1721, era a maior preocupação de Pedro, pois ele tinha que abrir as portas de seu Império para a Europa, e para tal evento militar precisava de muito dinheiro.  
Pedro adotou o “Mercantilismo, um conjunto de ideias econômicas que considera a prosperidade de uma Nação ou Estado dependente do capital que possa ter”.
Daí estipulou uma “forte intervenção do Estado na economia, a unificação do Mercado interno – no caso a criação de um verdadeiro mercado-, desenvolvimento das manufaturas, a acumulação de metais preciosos (ouro e prata), aumento dos direitos alfandegários sobre as importações, (protecionismo), controlando os consumos internos de determinados produtos, melhorando as infraestruturas e promovendo a colonização de novos territórios (monopólio), entendidos como forma de garantir o acesso a matérias-primas e o escoamento de produtos manufaturados”.
Foi realizada uma reforma financeira entre 1679 de 1681.
Pelo Decreto de 1 de Março de 1698, Pedro confirmou os decretos de seus antecessores que ordenava o Direito do Soberano de recolher nas cidades o dinheiro arrecadado com a população urbana.
Estabeleceu uma Câmara Municipal, composta de comerciantes, para garantir o recolhimento dos impostos.
Fez a Reforma Monetária, quando foi lançado o novo dinheiro e o velho foi proibido de circular. “Os lucros provenientes da primeira reforma monetária eram enormes, mas diminuiu gradualmente”.
Diminuiu o peso das moedas de prata e surgiu as moedas de cobre.
Pedro, como os governantes de hoje, considerava que ‘governar é criar ou aumentar impostos’, e isso foi feito.
O que foi chamado de “Усиление налогового гнёта, ou Fortalecimento Opressão Fiscal, pois Pedro recorreu a à tributação de todas atividades e artigos que foi possível, tais como pesca, banhos, pousadas, usinas, apiários, estábulos e campos, cavalos, uso de barba, pavimentos em carvalho, fabrico de caixões, introduziu o uso obrigatório do Selo, etc., num total de 30 impostos diferentes”.

Monopolizou o comércio de determinadas mercadorias. Decreto de 1 de Janeiro de 1705 monopolizou a venda de sal, que começou a ser vendido duas vezes mais caro.
A venda de álcool foi monopolizada o giz, o Tar ou alcatrão, o óleo de peixe, o bacon, a cerda (pelo mais espesso e resistente dos mamíferos), etc.
Foi bastante expandido o comércio de bens duráveis.
Bens do Estado foram levados para o exterior para a compra de mercadorias estrangeiras, que ao chegar em solo Russo eram vendidas pelo Estado Imperial.
Nas principais cidades comerciais da Europa foram estabelecidos cargos de agentes de vendas e compras especiais (estavam vendendo bens estatais russas e compravam mercadorias estrangeiras).
Uma nova estrutura financeira foi criada nas províncias.
Relatórios eram apresentados ao próprio Pedro.
Como a busca das moedas de prata era ainda grande, Pedro as substituiu pela as de Cobre como meio circulante, mas encontrou resistência por parte da população (levou a rebelião de cobre). Nos últimos anos de vida, Pedro substituiu completamente as moedas de cobre da circulação por moedas de prata fina.
Em janeiro de 1720, Pedro ordenou um censo de não só a população camponesa, mas também servos, escravos e religiosos, para poder fazer a introdução do imposto sobre as “almas”.
Criou o Imposto de votação na Rússia a exemplo da França.
Houve um aumento substancial de arrecadação.
Criou o Ministério das Finanças, tendo como uma de suas atribuições a fiscalização de todas as despesas públicas.
Indústria e comércio teve sob Pedro uma atenção especial.
Em toda a Rússia foi realizado um levantamento para saber as que tinham, e as que podiam haver, de minas de minério de ferro, de cristal de rocha, de cornalina, de nitrato, de turfa, de carvão, etc.
Estrangeiros (em condições muito favoráveis ​​para eles) e russos se habilitaram para explorar essas atividades de extração e transformação.
Os agentes no estrangeiro receberam ordem de procurar e contratar especialistas de diferentes indústrias e mestres em outras áreas, tais como engenheiros, mestres em fundição, em balas e canhões, em mineração, em aritmética, em geometria, em criação de ovelhas, em tecelagem de lã e seda, em convecção de cordas, em tranças, em fitas, na prática dos curtumes, ou seja, todos os que eram realmente práticos em diversas modalidades de manufaturas, usinas, ou fabricas, não queria nenhum teórico, pois tinha pressa.
Criou empresas e fabricas.
Assim, desenvolveu o Comercio.
Com a Reforma Financeira e as Mudanças na Indústria e Comércio, Pedro enricou a Rússia, pois a tirou da estagnação rotineira.
“Graças ao comercio, o surgimento de fábricas e usinas, a comunicação com os estrangeiros - tudo isso deu um novo significado e direção a Rússia, fazendo-a se recuperar e, assim, tornando-se mais e mais ativa no comércio mundial”.

Continua...


Pedro I.