segunda-feira, 13 de abril de 2015

160 - conversa- Francisco de Paula, não o Santo, mas o Rei. Em homenagem a Francisco de Paula Simões Vicente de Azevedo, o Kiko, um amante das Belas-Artes

160 - conversa-  Francisco de Paula, não o Santo, mas o Rei - Rei ou Monarca.
Em homenagem a Francisco de Paula Simões Vicente de Azevedo, o Kiko,
um amante das Belas-Artes.


Francisco a cavalo. 


Francisco aos 18 anos...
...futuro...
...Père et des Lettres Restaurateur, o "Pai e Restaurador das Letras”, au Grande Nez, "Francisco do Nariz Grande ", o Roi-Chevalier, “o Rei- Cavaleiro” ...

Nota: Nomes, Títulos, Cidades, Castelos, etc., serão de agora em diante citados em sua língua original. Não serão mais traduzidos livremente por reclamações dos amigos. Em alguns casos farei a tradução livremente.
O guia da conversa e autor






Portrait de François 1er,
Roi de France,
François Clouet.1540
Nascido em Tours antes de 1520, e falecido em Paris no dia 22 de setembro 1572.
Herdou de seu pai, Jean Clouet, nascido nos Países Baixos, o cargo de pintor oficial da Corte de França. (Ver portrait de Charles VII, au Louvre)


Marguerite d'Angoulême et le perroquet.
Jean Clouet.1530
D'abord en France peintre à la cour des ducs de Bourgogne
Walker Art Gallery, museu de belas-artes de Liverpool, Inglaterra.


Biografia rápida:

Pais: Charles d'Orléans, (1459-1496), prince du rameau des comtes d'Angoulême de la 1re branche d'Orléans de la dynastie capétienne, e Luisa di Savoia, Principessa di Savoia, Contessa consorte di Angouleme, Reggente di Francia, Duchessa di Nemours, Duchessa di Alvernia, da Casa Savoia.
Dinastia: Valois - Angoulême
Nome de batismo: François de Paule - Francisco de Paula.
Data de nascimento, e local: 12 de setembro de 1494, Le Château de Valois, em Cognac (França)
Data da morte, idade e local: 31 de março 1547, com 52 anos, no Le Château de Rambouillet, (França)
Títulos:
Comte d’Angoulême (1496-1515)
Duc de Valois (1498-1515)
Duc de Romorantin (1498-1515)
Comte de Civray-en-Poitou (1498-1515)
Baron de Fère-en-Tardenois (1507-1515)
Rei da França de 1 de janeiro 1515 até 31 de março de 1547, portanto 32 anos, 2 meses e 30 dias.
Data e local da Sagração e Coroação: 25 de janeiro de 1515, na Catedral de Reims
Antecessor:       Luís XII
Sucessor:            Henrique II, seu segundo filho.
Duque de Milão, Seigneur de Parma e Piacenza (1515-1521, 1524-1525, 1527-1529):
Antecessor:       Maximiliano Sforza
Sucessor:            Francisco II Sforza
Duque-consorte da Bretanha.
Herdeiros:     Charles d'Alençon, Príncipe de Sangue, Duque d’Alençon, seu cunhado, casado com Margarida das Margaridas. (1515-1518)
François de France, seu filho (1518-1536)
Henri de França, seu filho (1536-1547)
Casamentos:
1 -Claude de France - Duquesa Reinante da Bretanha e Condessa de Montfort-l’Amaury, de Soissons, de Blois, de Étampes, sacrée reine de France à Saint-Denis le 10 mai 1517, portanto Rainha –consorte de França, e Duquesa-consorte de Milão. Filha de Luís XII e Ana da Bretanha.
2-Leonor de Habsburgo, ou Eleonor d’Áustria, Arquiduquesa da Áustria, da Casa de Habsburgo de Espanha, sacrée reine de France à Saint-Denis  en 1531, portanto Rainha –consorte de França, filha de Joana, a Louca, Rainha de Espanha (Reina nominal de Aragón, Mallorca, Sicilia, Cerdeña y Valencia, Condesa nominal de Barcelona), e de Felipe, o Belo, de Habsburgo, Rei-consorte de Espanha (Rey consorte de Castilla y de León), Duque de Borgoña, Brabante, Limburgo y Luxemburgo, Conde de Flandes, Habsburgo, Henao (Comté de Hainaut), Holanda y Zelanda, Tirol y Artois, y señor de Amberes y Malina e irmã de Carlos V, Imperador e Rei.
Nasceu em Lovaina, cerca de Bruxelas, em 15 novembro, 1498 e faleceu em Talavera la Real, Badajoz, 25 de fevereiro de 1558, aos 59 anos. Não tiveram filhos.
Foi, também, Rainha-consorte de Portugal por seu casamento com Dom Manuel I, 14.º Rei de Portugal, cognominado O Venturoso, O Bem-Aventurado ou O Afortunado, em 1518, ficando viúva em 13 de dezembro de 1521.
Dom Manuel e Leonor foram pais de Dona Maria, Infanta de Portugal (Lisboa, 18 de junho de 1521 - Lisboa, 10 de outubro de 1577), 6.ª Duquesa de Viseu, possuidora de grande beleza, "bem revelada na brancura da sua pele e no azul celeste dos olhos". Muito culta, soube proteger as artes, graças à grande fortuna que a mãe lhe deixou, no Sul de França, por via do seu segundo casamento com o monarca francês Francisco I de França, chegou a ser uma das mulheres mais ricas da Europa; por várias vezes se discutiu o seu casamento como assunto de Estado, o qual nunca foi concretizado, por oposição da Infanta.

Filhos com a rainha-consorte Claude:
Louise de France -  * 19 agosto 1515 -+ 21 de setembro 1518, com 3 anos de idade;
Charlotte (*1516- +1524);
François de France, Dauphin de France, Duque de Bretagne - * 28 de fevereiro de 1518 - +10 de agosto de 1536, com 18 anos, 5 meses e 13 dias;
Henri de France, Henrique II, Rei de França - * m 31 de março de 1519 - + 10 de julho de 1559, com 40 anos. Casou com Catarina de Médici em 28 de outubro de 1533, filha de Lorenzo de Médici, Duque de Urbino, única herdeira de sua propriedade e sobrinha do Papa Leão X. Foram pais de:
François (1544-1560), Rei da França 1559-1560, sob o nome de Francisco II.
Elizabeth (1545-1568), esposa de Filipe II, Rei de Espanha.
Claude (1547-1575), esposa de Charles III, Duque de Lorena.
Louis (1549-1550), Duque de Orleans.
Charles (1550-1574), Rei da França 1560-1574, sob o nome de Charles IX.
Henri (1551-1589), Rei da Polônia (1574) e Rei da França 1574-1589, sob o nome de Henry III.
Marguerite (1553-1615), esposa de Henrique III de Navarra, Henrique IV de França, em 1572. Casamento anulado pelo Papa.
François (Hercules) (1555-1584), Duque de Alençon e Anjou.
Vitória (1556-1556).
Jeanne (1556-1556)
Madeleine de France- * 10 de agosto de 1520 - + 7 de julho 1537, com quase 17 anos. Foi Rainha consorte da Escócia através de seu casamento com o Rei Jacques V da Escócia.
Charles de France, ou Charles II d'Orléans - * 22 de janeiro de 1522 - † 9 de setembro de 1545, aos os 23 anos. Duque d’Orleans, Duque de Angoulême. Morrendo ao ver seu velho pai, François I, exclama:
« Ah ! mon seigneur, je me meurs, mais puisque je vois votre majesté, je meurs content »
T.L.: "Ah! meu senhor, eu estou morrendo, mas desde que eu vejo sua majestade, eu morro feliz”.
Marguerite de France- * 5 de junho de 1523 - +14 de setembro, 1574). Casou em 1559 com Emanuele Filiberto di Savoia detto Testa 'd Fer, Duca di Savoia, Principe di Piemonte, Conte d'Aosta, Moriana e Nizza, Re titolare di Cipro e Gerusalemme.
Filho com Jacquette de Lanssac, demoiselle d'honneur de madame la Duchesse:
Louis de Saint-Gelais de Lansac de la Rivière, dit le Vieux, (*1513 + outubro de 1589), Conselheiro Privado do Rei, embaixador ao o Concílio de Trento - Concílio Ecuménico da Igreja- ocorrido de 13 de dezembro de 1545 até 4 de dezembro de 1563, foi da Rainha Catarina de Médici, sua cunhada, simultaneamente: consultor político, superintendente de finanças, premier gentilhomme de sa chambre (chevalier d'honneur), Capitão da Guarda de 200 homens em armas, Barão de la Mothe-Saint-Héray (Deux Sèvres), seigneur de la ville du Bourg et la seigneurie de Lansac, feito chevalier de l'Ordre de Saint-Michel, chevalier de l'ordre du Saint-Esprit, eleito prefeito de Bordeaux a partir de 1556, quando solicitou ao Rei licença para instalar um relógio na Torre da Câmara Municipal.  Sua descendência acabou na terceira geração em 1636.
Filho com uma senhora desconhecida:
Nicolas de Valois-Estouteville, Senhor do Villecouvin, ou Villeconin, * 1545 - + Constantinopla em 1567), reconhecido pelo Rei, com uma grande probabilidade da senhora ser da família Estouteville, uma antiga família da nobreza da Normandia.
Residências Reais:
Château de Blois
Chateau de Fontainebleau
Château de Saint-Germain-en-Laye
Castelo de Chambord
Castelo de Villers-Cotterets
Muito já se falou de Francisco como Rei e Guerreiro, de Rei Diplomata, Rei Prisioneiro, mas eu quero falar de Francisco como patrono das artes e das letras, do homem de cultura.   
 O Brasões do Reino de França:
La fleur de lys (ou fleur de lis) aparece pela primeira vez na Coroa e no Selo Real de Hugo Capeto – três ao todo.
Luís VII, ou Luís, o Gordo, Rei dos Francos de 1 de agosto de 1137 até 18 de setembro de 1180, soberano por
43 anos, 1 mês e 17 dias, determinou a adoção da ‘fleur de lys’ como símbolo especifico da Realeza Francesa.
O Azul do Campo do Brasão segundo a Tradição já era usado pelos membros da Dinastia Carolíngia por causa do vestido talar azul semeado com astros e estrelas do Sumo Sacerdote de Israel.
Assim,...
1- L'écu de France ancien, les armoiries royales: d'azur semé de fleurs de lis d’or; timbré de la couronne royale fleurdelisée ouverte. Du xiiie siècle
T.L.: Escudo da França Antiga, Armas Reais: [campo do Escudo] de azul semeado de flores de –Lis em Ouro; o timbre é a coroa real com flores aberta. Do século XIII - 1211 – 1376.
2- L'écu de France moderne, les armoiries royales : d'azur à trois fleurs de lis d'or ; timbré de la couronne royale fleurdelisée ouverte.
T.L.: Escudo da França Moderna, Armas Reais: [campo do Escudo] de azul semeado de três (3) flores de –Lis em Ouro; o timbre é a coroa real com flores aberta. 1376 – 1515.
3- L'écu de France moderne, les armoiries royales : d'azur à trois fleurs de lis d'or ; timbré de la couronne royale fleurdelisée fermée.
T.L.: Escudo da França Moderna, Armas Reais: [campo do Escudo] de azul semeado de três (3) flores de –Lis em Ouro; o timbre é a coroa real com flores fechadas. 1515 – 1578.
E é esse o Brasão d’Armas utilizado oficialmente por Francisco I, como está abaixo:



4- L'écu de France moderne, les armoiries royales : d'azur à trois fleurs de lis d'or ; timbré de la couronne royale fleurdelisée fermée ; accompagné des colliers des ordres de Saint-Michel et du Saint-Esprit. 1578- 1792.
T.L.: Escudo da França Moderna, Armas Reais: [campo do Escudo] de azul semeado de três (3) flores de –Lis em Ouro; o timbre é a coroa real com flores fechadas; acompanhado dos colares das Ordens de São Miguel e do Espírito Santo. 1578- 1792.


Armas Reais com os Cordões das Ordens de São Miguel e do Espírito Santo.

Emblema do Rei Francisco:




“La salamandre de François Ier et sa devise: « Nutrisco et extinguo”.
“Salamandra de Francisco I e seu lema: "Nutrisco e extinguo

La devise Nutrisco & extinguo (« Je m’en nourris et je l’éteins »),tem algumas intrepretações:

Significado de Extingo: aniquilo; apago; destruo; dissolvo; extermino;... http://www.dicio.com.br/extingo/
Nutrisco o mesmo que “eu nutro”.
Significado de Nutrir :v.t. Fornecer alimento, alimentar, sustentar.
Para alguns da época a Divisa queria dizer:
" nutrir [de mercadoria] e extinguir [o mau]".
Emblema: “a associação entre um emblema e aquilo que este representa é indireta, necessitando de ser analisada e decifrada”;
Símbolo: “associação entre o símbolo e aquilo que este representa é direta e óbvia”.
Fonte: Wikipedia.org
Há controvérsias, sobre o ‘emblema’ adotado pelo então Comte et Prince, pois as fontes divergem quanto à origem da salamandra do futuro Rei de França.
Uma tradição que ele foi sugerido por seu tutor, Artus de Boissy, que havia observado em seu aluno, " o temperamento de fogo, mas capaz de todas as virtudes”.
Outra, que a salamandra era o emblema de seu avô, Jean d’Angoulême, pai de Charles d'Orléans.
Outra, que a salamandra era o emblema de seu tio Jean de Valois, bâtard d’Angoulême, ou bastardo de Angoulême, legitimado em 1458.
Outra, que a inspiração veio de manuscrito feito por sua mãe, Louise d'Angoulême et Savoie, em 1504.Como Rei, Francisco manteve o emblema salamandra, muitas vezes encimada por uma coroa aberta ou fechada, como se pode ver nos castelos de Chambord e de Fontainebleau,e em outras paragens.
Em todo caso Sa Majesté Très Chrétienne François Ier Par la Grâce de Dieu, Roi de France, deixava claro que nutria, mais também, destruía.
Monsieur Le Roi não era homem para brincadeira.
Nota: “As salamandras são criaturas mitológicas ligadas ao Fogo. O mito surgiu como derivação da crença de que as salamandras são imunes ao fogo”.
Existe, também, uma grande diferença entre o Brasão d’Armas de Francisco

Francês como língua para substituir o latim oficial do Reino.
Le moyen français
“Le moyen français é uma variante – ou variedade - “histórica do francês que foi falado no final da Idade Média e começo do Renascimento”.
Portanto, marca um período que a língua francesa se diferenciava das outras línguas , faladas no território da atual França, como as Línguas de oïl (em francês, langues d'oïl) , Línguas galo-românicas originadas nos territórios setentrionais da Gália romana, agora ocupados pela França setentrional, parte da Bélgica e as Ilhas do Canal.
São essas línguas o l'occitan (falado na Aquitânia, Auvergne, Calabria (Guardia Piemontese), Catalunha ( Aran ), Centro-Loire Valley, Languedoc-Roussillon , Liguria , Limousin , Midi-Pyrénées , Principado do Mónaco (soberano) , Piemonte ( vales occitano ), Poitou-Charentes , Provence-Alpes-Côte d'Azur , Rhône-Alpes ), o franco-provençal ( falado na Savoie, Dauphiné, Lyonnais, Forez, Bresse, Bugey, Franche-Comté, Suisse romande (except. Jura), Piémont, Vallée d’Aoste, Bourgogne du Sud, Pouilles), o picard, (falado no norte da França, nas regiões de Nord-Pas-de-Calais e Picardia e no oeste da Bélgica, especificamente na província de Hainaut, sendo, repito, que a Língua Oficial do Reino de França era o Latim.  
Foi do Le moyen français que saiu o vocabulário e gramática do francês clássico.
E Francisco incentivou essa formação.
A Francisco vários tutores ensinaram:  filosofia, teologia, aritmética, geografia, gramática, história, leitura, escrita, poesia, hebraico, italiano, latim e espanhol, cavalheirismo, dança e música, esgrima, tiro com arco, montar a cavalo, falcoaria, passeios a cavalo, caça, justa (combate a cavalo com armadura), jeu de paume, e Catch-as-catch-can (luta marcial).



Justa (combate a cavalo com armadura)

Sua mãe, uma principessa italiana di Casa Savoia,e mais seus professores, François Desmoulins de Rochefort (o seu professor de latim, nomeado Grande aumônier de France ) e Christophorus Longolius , nascido Christophe de Longueil, Humanista,  natural do ducado de Brabante, tramsitiram a Francisco o gosto pela a arte, a literatura, e ciência.
Destaco que apesar de Francisco não ter recebido uma educação humanista, ele foi influenciado pelo Humanismo mais do que qualquer Rei francês.
 “Humanismo renascentista foi um movimento intelectual desenvolvido na Europa durante o Renascimento, entre os séculos XIV e XVI. Iniciado em Florença por Francesco Petrarca, inspirado pela Antiguidade Clássica (Grega-latina), foi seguido por Dante Alighieri e Boccaccio. Expandindo-se a partir da Península Itálica veio a abranger a maior parte da Europa. O Humanismo é uma das principais características da nova mentalidade renascentista, que valoriza o ser humano e as suas capacidades”.
Por isso vamos falar do Renascentismo, da Renascença, até porque Francisco é considerado o Rei icônico, que personifica melhor, do ou o período do Renascimento Francês.
Durante seu reinado houve um desenvolvimento significativo das artes e da literatura na França.


Continua....