sexta-feira, 24 de abril de 2015

167 - conversa- Reis da Inglaterra.



A maior de todas as Soberanos inglesas de todos os tempos foi: 

ELIZABETH TUDOR, QUEEN OF ENGLAND, “GOOD QUEEN BESS”.

E é dela que falaremos com mais detalhes , porem  para entendermos Elizabeth I, da Casa dos Tudor, Rainha da Inglaterra, cognominada pelo povo como a “Boa Rainha Bess”, precisamos voltar um pouco no tempo..


 
Príncipe Negro contado os mortos na Batalha de Crécy
Koninklijke Bibliotheek
The National Library of the Netherlands 
em Haia , fundada em 1798

Em 1377 morre o Rei Eduardo III, casado com Filipa de Hainault (hoje parte da Bélgica), com quem teve nove filhos que chegaram à idade adulta.
Seu primogênito, Eduardo de Woodstock, Príncipe de Gales, o celebre “Príncipe Negro”, assim chamado pela cor de sua armadura de combate, havia morrido em 1376, mas foi casado com Joana de Kent, a "Bela Donzela de Kent", e tiveram dois filhos, a saber:
Eduardo, que morreu jovem, e Richard of Bordeaux, o futuro Ricardo II de Inglaterra.
Portanto o sucessor do Rei falecido foi seu neto Ricardo, com apenas dez anos, que subiu ao Trono como Ricardo II, sendo coroado em Westminster em 16 de julho de 1377.
Ricardo II era considerado “um "Rei muito belo", apesar de possuir uma "face que era branca, circular e feminina", implicando falta de masculinidade, atlético e alto - quando sua tumba foi aberta em 1871, descobriu-se que tinha 1,82 m-  com um senso profundo da dignidade real da qual se considerava investido por Deus perante os seus súditos”.

Brasão de Ricardo com as armas míticas de Eduardo, o Confessor,
e as armas da Inglaterra.
O emblema do veado branco de Ricardo.

“Era particularmente devoto a figura de Eduardo, o Confessor, tanto que em 1395 colocou em seu Brasão as armas míticas do Confessor”, porem era cruel, vingativo, em festas, ou em solenes comemorações, Ricardo ficava sentado em seu Trono por horas, sem falar uma palavra, mais coitado daquele que ele olhasse fixamente e não estava prestando atenção nele, não se curvasse imediatamente diante dele, ia passar por maus momentos na masmorra.
Era mau guerreiro, por isso, se tornou patrono das artes, diferentemente de qualquer outro rei inglês antes dele, e para afirmar sua autoridade se fez pintar, exemplo:



Ricardo venerando a Virgem e o Menino,
acompanhando por Eduardo, o Mártir, Eduardo, o Confessor e João Batista.


Ricardo II foi um Soberano de caráter complexo e apesar de ser afeminado era corajoso e de uma crueldade que impunha medo a todos, tanto que soube enfrentar a revolta liderada por Wat Tyler, “líder da Revolta Camponesa de 1381 (Peasants' Revolt in England), que com dez mil camponeses que foram a Londres exigir uma audiência com o Rei.
Essa revolta foi por causa de um novo imposto, o “poll-tax”, que ninguém estava a fim de pagar para sustentar o luxo de um Rei que usava em suas vestimentas ouro e pedras preciosas.
Em 15 de junho de 1381, Wat Tyler foi executado pelo prefeito de Londres, Walworth, na presença e para o grande prazer de Sua Majestade.


A morte de Wat Tyler
Sir William Walworth, prefeito de Londres, dando o golpe com a espada, em Wat Tyler,
Ricardo II e John Cavendish, escudeiro do Rei.



O Rei Ricardo, que nasceu em 6 de janeiro de 1367 no Palácio do Arcebispo, Bordéus, Ducado da Aquitânia,  não teve filhos com nenhuma de suas duas esposas:
1-      Em 20 de janeiro de 1382 com Ana da Boêmia (* Praga, 11 de maio de 1366 – + Londres, 7 de junho de 1394) filha de Carlos IV, Sacro Imperador Romano-Germânico, e sua esposa Isabel da Pomerânia;
2-      Em 31 de Outubro de 1396 com Isabel de Valois, com 7 anos de idade (* Paris, 9 de novembro de 1389 — + Blois, 13 de setembro de 1409) filha de m Carlos VI, Rei de França, e Isabel da Baviera.

Afeminado, com favoritos que interferiram em seu governo de maneira irresponsável (Miguel de la Pole, 1.º Barão de la Pole, elevado a Conde de Suffolk, nomeado Lord Chanceler, Roberto De Vere, 9.º Conde de Oxford, elevado a Duque da Irlanda, Marquês de Dublin, e sua estreita relação com o Rei foi um dos catalisadores para o surgimento de uma oposição organizada ao Soberano pelos Lords Appellant. Quando da morte de De Vere seu corpo foi embalsamando para o caixão ser aberto na presença do Rei e esse “beijar a mão dele e para olhar em seu rosto uma última vez), sua política interna e externa não era do agrado nem dos Barões nem dos membros do Parlamento, com quem vivia tento acaloradas disputas.
Em 1399, diante de tanta insensatez, seu primo, Henrique de Lancaster, filho João de Gaunt, Duque de Lancaster, com sua primeira mulher, Blanche, o fez abdicar em sua pessoa, o prendeu primeiramente na Torre de Londres, depois no Castelo de Pontefract, Pontefract Castle, West Yorkshire, onde foi assassinado em 14 de fevereiro de 1400, com 33 anos de idade.
Com essa abdicação terminou a Casa dos Plantagenetas Diretos dando início ao Ramo cadete de Lancaster da Dinastia Plantageneta, Família Condal e Ducal (Duque dos normandos, Conde de Anjou, do Maine e de Mortain) que começou a reinar na Inglaterra com Henrique II em 25 de outubro de 1154.
A nome Plantageneta vem do pai de Henrique II, Geoffroy V d'Anjou, dit le Bel ou Plantagenêt, “o epíteto "Plantageneta" vem do francês plant genêt (planta giesta) e refere-se ao arbusto que escolheu como símbolo pessoal. Posteriormente a alcunha passou a designar toda uma dinastia de Reis ingleses”.
O Conde-Duque Geoffrey Plantagenet morreu em Château-du-Loir, no departamento de Sarthe, região Pays de la Loire, Frnaça, no dia em 7 de setembro 1151, e foi enterrado na Cathédrale Saint-Julien du Mans, em Le Mans, localizada a oeste da França, região do Vale do Loire, no departamento de Sarthe.

Richard II King of England.jpg
Richard II of England
Richard of Bordeaux
Portrait at Westminster Abbey


Mais, vamos aos Lancaster...