quarta-feira, 22 de abril de 2015

165/ D - conversa- Louis XIV, né Louis-Dieudonné, Premier fils de France, un « miracle ».

165/ D - conversa- Louis XIV, né Louis-Dieudonné, Premier fils de France, un « miracle ».

Description de cette image, également commentée ci-après
Maison de Bourbon

Os de Bourbon, ou de Borbón, ou di Borbone, são sexualmente muito ativos, e a História nos dá prova essa verdade.
Henrique IV, Rei de França e de Navarra, era uma fera sexual
Seu neto Louis-Dieudonné, o nosso Luís XIV, não foi diferente.
Vamos as provas:
Casou com Marie-Thérèse d'Autriche, nascida María Teresa de Austria y Borbón, Infanta de España, filha de Felipe IV de España, llamado «el Grande» o «el Rey Planeta», Rey de España, Portugal, Nápoles, Sicilia y Cerdeña, Duque de Milán, Soberano de los Países Bajos y conde de Borgoña, e de Élisabeth de France, Consorte em todos os Títulos do marido, tia de Luís XIV, irmã de Luís XIII.
“Louis ne connaît sa femme que depuis trois jours, celle-ci ne parle pas un mot de français mais le roi « l'honore » fougueusement et devant témoins dès la nuit de noce “.
T.L.: Luís não conhece sua mulher por três dias, que não fala uma palavra de francês, mas o Rei a “honra" fogosamente diante de testemunhas na noite de núpcias.
Foram pais de:
1-      Louis, Grand Dauphin (1de novembro de 1661-14 de abril de 1711)
2-      Anne-Élisabeth de France (18 de novembre-30 de dezembro de 1662)
3-      Marie-Anne de France (16 de novembre-26 de dezembro de 1664)
4-      Marie-Thérèse, la Petite Madame (2 de janeiro de 1667-1 de março de 1672)
5-      Philippe-Charles de France (5 de agosto de 1668-10 de julho de 1671)
6-      Louis-François (14 de junho -4 de novembro de 1672)

Vemos que só o Grand Dauphin chegou a idade adulta, 49 anos, 5 meses e 13 dias.

Como diz no nordeste brasileiro: “O caboclo era bom de virilha” e ai:

Description de l'image Marie-mancini.jpg.
Maria Mancini

1-      Marie Mancini, sobrinha do Cardeal Mazarino, que se tornou esposa do Condestável de Colonna;
2-      Olympe Mancini, condessa de Soissons (1655), irmã da anterior;
3-      Lucie de La Motte-Argencourt (1657);

Henriette d'Angleterre

4-      Henriette Anne Stuart d'Angleterre, prima em primeiro grau e cunhada, espoas de Felipe,  Monsieur, frère unique du Roi.

Louise de La Vallière et ses enfants par Pierre Mignard

5-      Louise Françoise de La Baume Le Blanc, Duquesa de La Vallière e Vaujours (1644 + 1710, a ligação com o Rei de 1661-1667), Filhos com o Rei:
A-     Louis de Bourbon (1665-1666);
B- Philippe (1665-1666);
C- Marie-Anne, Légitimée de France, Mademoiselle de Blois, Duquesa de Penthièvre, Duquesa de Étampes, Duquesa de La Vallière, Princesa viúva de Conti:
Nasceu secretamente – se isso fosse possível na Corte de França- no Château de Vincennes, em 2 de outubro de 1666, casou com Louis-Armand de Bourbon-Conti, Príncipe de La Roche-sur-Yon, segundo Principe de Conti, em 16 de janeiro de 1680, chapelle du château de Saint-Germain-en-Laye. A noite de núpcias foi um desastre por causa dela. Ele voltou a ser o libertino que era, e tantas fez que o Rei chamou a sua atenção. Ele com 24 anos morreu de varíola, em 9 de novembro de 1685, e ela, também doente, sobreviveu, só morrendo em 3 de maio de 1739, com 73 anos.
       Títulos e estilos:
       De 02 de outubro de 1666 - 14 de maio de 1667: Marie Anne de Bourbon;
           De 14 maio de 1667 - 16 janeiro de 1680: Sua Alteza Marie Anne de Bourbon, Légitimée de France, "Mademoiselle de Blois";
De 16 de janeiro de 1680 - 09 de novembro de 1685 Sua Alteza Sereníssima Princesa de Conti:
                            De 9 novembros de 1685 - 03 de maio de 1739 Sua Alteza Sereníssima   a Princesa Viúva de Conti, Duquesa de La Vallière, ou
Madame la Princesse de Conti Douairière ou
Madame la Princesse de Conti Première Douairière.
A Princesa Viúva de Conti,
viveu no Hôtel de Conti ,
em frente ao Louvre ,
no Quai de Conti
  D- Louis de Bourbon, Légitimé de France, Conde de Vermandois, e Almirante de França.
Nasceu em 2 de outubro de 1667, e morreu em morreu 18 novembro de 1683, com apenas 16 anos de idade.
Nem o pai, agora enrabichado por Madame de Montespan, muito mesmo a mãe, agora carmelita descalça, queriam saber dele. Foi sua tia Elizabeth, princesse palatine, agora Madame, esposa de Monsieur, le frère du Roi, que lhe deu amor e carinho.
Tendo nascido homossexual, caiu nas mãos de um amigo de seu tio Felipe, frère unique du Roi, Philippe de Lorraine, dit le « Chevalier de Lorraine », e foi aquela coisa. E junto com François Louis de Bourbon, Le Grand Conti, Conde de La Marche, Conde de Clermont, depois Príncipe de La Roche-sur-Yon, segundo Principe de Conti (pela morte do irmão já citado acima), cunhado de Mademoiselle de Blois, entrou para a « confrérie d'italianisants », Irmandade dos Italianizados ou italianos, a homossexualidade era considerado um pecado italiano, o que queria dizer a Irmandade dos Gays.
O Rei ficou furioso.
Era aquele negócio, meu irmão é, mas meu filho não pode ser.
Obrigado a caguetar seus confrades, foi expulso da Corte em 1682.
Madame pediu ao Rei que o deixasse lutar em Flandres, e ele foi para encontrar a morte. Foi enterrado na Cathédrale Notre-Dame-et-Saint-Vaast d'Arras, que foi destruída na I Grande Guerra, hoje reconstruída. Só ele da Família Real lá estava sepultado.
Foi um pobre coitado.

6-      Catherine Charlotte de Gramont, Princesa de Mônaco, esposa do Príncipe de Mônaco;

Mme de Montespan et ses enfants

7-      Françoise-Athénaïs de Rochechouart de Mortemar, Marquesa de Montespan (1667 à 1681), com quem teve os seguintes filhos:
Uma criança, talvez uma menina com o nome Louise Françoise;

Le duc du Maine (par J.F. de Troy) 
Luis do Maine
Louis-Auguste, Légitimé de France, legitimado em 23 de julho de 1714, « Le Gambillard », O gambeta, pois nasceu aleijado e mancou toda a sua vida, nascido em Château de Saint-Germain-en-Laye, em 31 de março de 1670, e morreu no Château de Sceaux, em 14 de maio de 1736, aos 66 anos Em 22 de novembro 1681,
Legitimado em 19 de dezembro de 1673 por cartas patentes registradas no Parlamento de Paris.
Duque de Maine, Duque d’Aumale, Príncipe soberano de Dombes, Conde d'Eu, Cavaleiro das Ordens do Rei, Par de França. Casou com Anne-Louise-Bénédicte de Bourbon, Princesa de Sangue, com defeito no braço direito, Mademoiselle d’Enghien, depois Mademoiselle de Charolais, neta do Grand Condé, filha de Jules Henri de Bourbon-Condé, primeiro Príncipe de Sangue, e de Anne Henriette Julie de Baviera, essa filha de Eduardo de Palatinat-Simmern, Conde Palatino do Reno, e de Anne de Gonzaga de Clèves. Viveu no Hôtel du Maine perto do Louvre.
Luís XIV tinha por decreto- de julho 1714- estabelecido que em falta de Herdeiro “legitimo”, os legitimados Duque do Maine e o Conde de Toulouse, dando lhes assim um status maior do que dos Príncipes de Sangue. Então, como reação, sobre o Duque do Maine, o mais velho dos filhos da Montespan, foi “cristalizado” todo o ódio dos cinco Príncipes Sangue e dos Duques.
Tiveram filhos.
Coronel-general do suíço e Grisons 1674;
Capitão da Guarda Suíça 03 de fevereiro de 1674;
Coronel do Regimento de Infantaria de Turenne 13 agosto de 1675;
Governador do Languedoc 29 maio de 1682;
Geral das Galés e Tenente-General dos Mares 15 de setembro de 1688;
Marechal de Campo 02 de abril de 1690;
Tenente-General em 03 abril de 1692;
Coronel do regimento da 'Royal Carabinieri "01 de novembro de 1693;
Grão-Mestre da Artilharia 10 de setembro de 1694;
Nota: Pelo Testamento de Luís XIV foi nomeado Superintendente da educação de Luís XV, em setembro 1715, mas foi “despojado do posto por não ser realmente um “príncipe de sangue” pelo Parlamento de Paris, que anulou parte do Testamento do Rei falecido, em prol de Felipe, petit-fils de France, pois era neto de Luís XIII, Duque de Orléans, o Regente, em julho 1717.
Foram pais de:
Mademoiselle de Dombes (Palácio de Versalhes, 11 de setembro de 1694 - Palácio de Versalhes, 26 de setembro de 1694);
Luís Constantino de Bourbon, Príncipe do Dombes (Palácio de Versalhes, 17 nov 1695 - Palácio de Versalhes, 28 de setembro de 1698);
Mademoiselle d’Aumale (Palácio de Versalhes, 21 de dezembro de 1697 - Palácio de Versalhes, 22/24 agosto 1699);
Luís Augusto de Bourbon, Príncipe do Dombes (Palácio de Versalhes, 04 de março de 1700 - Palácio de Fontainebleau, 1 de outubro de 1755),
Carlos Luís de Bourbon, Conde d’Eu (Château de Sceaux, 15 de outubro de 1701 a 13 de julho 1775);
Carlos de Bourbon, Duque d’ Aumale (Palácio de Versalhes, 31 março de 1704 - Château de Sceaux, 02 de setembro de 1708),
Luísa Francisca de Bourbon, Mademoiselle do Maine (Palácio de Versalhes, 4 de dezembro de 1707 - Château d'Anet, 19 de agosto de 1743).
Tratamento:
31 março de 1670 - 19 de dezembro de 1673: Louis Auguste de Bourbon
19 de dezembro de 1673 - julho de 1714:  Sua Alteza Louis Auguste de Bourbon, Légitime de France, Duque de Maine et Prince Souverain de Dombes, etc....
De julho de 1714 - julho de 1717: Sua Alteza Sereníssima Louis Auguste de Bourbon, Légitime de France, Duque de Maineet Prince Souverain de Dombes, etc....
Julho de 1717 - 14 de maio de 1736 Sua Alteza Louis Auguste de Bourbon, Légitime de France, Duque de Maine et Prince Souverain de Dombes, etc....

Louis-César, Conde de Vexin, Abade de Saint Denis e Abade de Saint-Germain-des-Prés, nasceu em 1672 e faleceu em 1683, viveu 11 anos. Legitimado em 19 de dezembro de 1673 por cartas patentes registradas no Parlamento de Paris.

Louise Marie Anne de Bourbon, Mademoiselle de Tours, nascida 18 de novembro de 1674 no Château de Saint-Germain-en-Laye e falecida em 15 de setembro de 1681 no Bourbon l'Archambault, com a idade de sete anos. Sepultada no jazigo de Duques de Bourbon, na igreja do Priorado de Souvigny.
Tratamento:
18 de novembro de 1674 - janeiro de 1676: Louise Marie Anne de Bourbon
De janeiro de 1676 - setembro 1682: Sua Alteza Mademoiselle de Tours, Légitimée de France
Dizem que foi legitimada em janeiro de 1676, mas há controvérsias.

Louise-Françoise de Bourbon, Légitimée de France. Nascida secretamente em Tournai, em 1 de junho de 1673, e falecida em Paris, no dia 16 de junho de 1743, com a idade de setenta, no Palais Bourbon, que ela viúva construiu e hoje e a seda da Assembleia Nacional Francesa.
Legitimada em 19 de dezembro de 1673 por cartas patentes registradas no Parlamento de Paris.
Recebeu o Título de Mademoiselle de Nantes.
Casou em 24 de julho de 1685, na capela do Palácio de Versalhes com o Louis III de Bourbon-Condé, Duque de Bourbon, futuro sexto Príncipe de Condé, Duque de Montmorency, d'Enghien, Conde de Sancerre, de Charolais, seigneur de Chantilly, Principe de sangue, filho de Henri Jules de Bourbon, Príncipe de Condé e neto do Grande Condé.
Tiveram os seguintes filhos:
Marie-Gabrielle-Éléonore, Abadessa de Saint-Antoine-des-Champs
Louis-Henri-Joseph, futuro Príncipe de Condé
Louise-Élisabeth, que casou com Louis-Armand de Bourbon-Conti
Louise-Anne, Mademoiselle de Sens, ou Mademoiselle de Charolais
Marie-Anne, Mademoiselle de Clermont
Charles, Conde de Charolais, Par de França;
Louise-Henriette-Gabrielle-Marie-Françoise, Mademoiselle de Vermandois, Abadessa de Beaumont-lès-Tours
Élisabeth-Alexandrine, Mademoiselle de Gex
Louis, Conde de Clermont-en-Argonne
Louise-Marie-Anne, Mademoiselle de Tours.
Tratamento:
01 de junho de 1673 - 19 dezembro de 1673: uma criança sem nome;
19 de dezembro de 1673 - 25 de maio de 1685 Sua Alteza: Louise Françoise de Bourbon, Légitimée de France, Mademoiselle de Nantes
25 de maio, 1685 - 01 de abril de 1709:  Sua Alteza Sereníssima a Duquesa de Bourbon, ou Madame la Duchesse de Bourbon
01 de abril de 1709 - 04 de março de 1710:Sua Alteza Sereníssima Princesa de Condé, ou Madame la Princesse de Condé
4 de março de 1710 - 16 de junho de 1743:  Sua Alteza Sereníssima o Princesa Viúva de Condé, ou Madame la Princesse de Condé douairière  - Senhora a Princesa Viúva de Condé.
Mesmo quando Princesse de Condé, Louise Françoise foi ainda conhecida como a Duquesa de Bourbon
Louise Françoise de Bourbon foi enterrada no Carmel du Faubourg Saint-Jacques,  um convento carmelita na margem esquerda do Sena , Quartier latin, Paris.

Françoise Marie de Bourbon, Légitimée de France, nascida secretamente no Castelo de Maintenon, França, no dia 4 de maio de 1677, e falecida no Palais Royal, em Paris, em 1 de fevereiro de 1749, aos 71 anos.
Segunda Mademoiselle de Blois. 
Em 22 de novembro 1681, com a idade de quatro anos e meio, Françoise Marie foi legitimada.
Luís XIV deu-lhe um e dote de dois milhões de libras, o que não foi suficiente para superar os preconceitos de Orleans, especialmente de Madame (Elizabeth, Princess Palatine), indignados com esta mésalliance.
Françoise Marie era uma mulher orgulhosa, triste, preguiçosa, que passou seu tempo em seu sofá, e rodeada por suas damas.
Duquesa desses títulos todos - Duque de Chartres, Duque de Orleans, Duque de Valois, Duque de Nemours e Duque de Montpensier – por seu casamento com Felipe d'Orléans, o Regente, e Herdeiro aparente dos Tronos de França e de Navarra, de 1 de setembro de 1715 – a 2 dezembro 1723, 8 anos, 3 meses e 1 dia. Felipe d'Orléans nasceu em 2 de agosto 1674 em Saint-Cloud e faleceu no dia 02 de dezembro 1723 em Versailles, como primeiro-ministro do Rei Luís XV.
A Duquesa de Orléans viveu e morreu no Palais Royal.
Filhos:
Mademoiselle de Valois (17 de dezembro de 1693 - 17 de outubro de 1694), morreu na infância
Marie Louise Élisabeth d'Orléans (20 de agosto de 1695 - 21 de julho de 1719), casou com Charles de France, Duque de Berry, com descendência
Louise Adélaïde d'Orléans (13 de agosto de 1698 - 10 de fevereiro de 1743), Abadessa de Chelles
Charlotte Aglaé d'Orléans (20 de outubro de 1700 - 19 de janeiro de 1761), casou com Francesco III d'Este, Duque de Modena, com descendência
Louis d'Orléans (04 de agosto de 1703 - 4 de fevereiro de 1752), casou com a  Margravine Johanna de Baden-Baden, com descendência
Louise Élisabeth d'Orléans (11 de dezembro de 1709 - 16 junho de 1742), se casou com Luís I, Rei de Espanha de 15 de janeiro de 1724 - 31 de agosto de 1724 ( morreu de varíola), sem descendência
Philippine Élisabeth d'Orléans, Mademoiselle de Beaujolais (18 de Dezembro de 1714-21 de maio de 1734), Sua Alteza Sereníssima Mademoiselle de Beaujolais, “ela morreu de varíola com a idade de dezenove anos. Após sua morte, o escritor francês Matthieu Marais escreveu ao presidente Bouhier:
"Todo mundo está em lágrimas, e eu também. Ela era uma princesa encantadora"
Louise Diane d'Orléans (27 de junho de 1716 - 26 de setembro de 1736), se casou com Louis François de Bourbon, Príncipe de Conti. Tratamento de 27 de junho de 1716 - 21 janeiro de 1732: Sua Alteza Sereníssima Mademoiselle de Chartres. Tratamento de 21 de janeiro de 1732 - 26 de setembro, 1736 Sua Alteza Sereníssima princesa de Conti , ou Madame la Princesse de Conti
Tratamento:
04 de maio de 1677 - 22 de novembro de 1681: Françoise Marie de Bourbon, Mademoiselle de Blois
22 de novembro de 1681 - 18 de fevereiro de 1692:  Sua Alteza Françoise Marie de Bourbon, Mademoiselle de Blois
18 fevereiro de 1692 - 09 de junho de 1701 Sua Alteza Real a Duquesa de Chartres
09 de junho de 1701 - 02 de dezembro de 1723 Sua Alteza Real a Duquesa de Orléans
02 de dezembro de 1723 - 01 de fevereiro de 1749 Sua Alteza Real a Duquesa Viúva de Orléans
São seus descendentes: o Regicida Philippe Egalité, Luís Felipe, Rei dos Franceses, do Conde ‘Eu e os atuais membros da Casa Imperial Brasileira, de Henri Philippe Pierre Marie d'Orléans, Conde de Paris e Duque de França, para os orleanistas o pretendente ao Trono francês e e Vittorio Emanuele de Savoia, Príncipe de Nápoles, pretendente ao trono italiano.
Ela também é uma antepassada de Felipe Juan Pablo Alfonso de Todos los Santos de Borbón y Grecia ou Felipe VI, Rei da Espanha, Philippe Léopold Louis Marie ou o Rei Philippe dos Belgas, Henri Albert Gabriel Félix Marie Guillaume ou Henri, Grão-Duque do Luxemburgo

Louis-Alexandre de Bourbon, Légitimé de France, legitimado em 23 de julho de 1714, nascido no palácio de Versailles, em 6 de junho de 1678, e morreu no Château de Rambouillet, em 1 de dezembro de 1737, com 59 anos. Nomeado Almirante da França, com cinco anos de idade. Conde de Toulouse, Duque de Penthièvre, d’Arc, de Châteauvillain, de Vendôme, de Damville, e de Rambouillet, Cavaleiro das Ordens do Rei, Cavaleiro da Ordem do Tosão de Ouro (Espanha), grand veneur de France (Grande Caçador da França) est un grand officier de la Maison du Roi chargé des Chasses royales (era um grande caçador de veados, o que despertava a amizade do Rei, seu pai), Lieutenant général des armées du Roi, Governador de Guyenne, Governador da Bretanha. Quando o Parlamento de Paris reconheceu o direito do Duque d’Orleans, petit-fils de France, filho de Monsieur le frère du Roi e de Madame (Elizabeth, Princess Palatine) de ser o Regente e anulou o decreto do Rei – de julho 1714 - que fazia dele e do irmão, o Duque do Maine, sucessores da Coroa em caso de morte do Menino-Rei. Contudo, ao contraio de seu irmão, que perdeu todos os poderes, ele foi nomeado para o mais alto cargo da administração naval do reino – Chefe do Conselho da Marinha. O Duque d’Orleans, petit-fils de France, pois era neto de Luís XIII, era casado com Françoise Marie de Bourbon, Légitimée de France, apelidada de Madame Lucifer, portanto era cunhado do Duque do Maine e do Conde de Toulouse. Louis-Alexandre de Bourbon casou secretamente com Marie-Victoire-Sophie de Noailles, Marquesa viúva de Gondrin, filha de Anne-Jules de Noailles, Conde d'Ayen, Duque de Noailles, Marechal de França, e de Marie-Françoise de Bournonville, folha dos Duques de Bournonville. O conde de Toulouse, viveu no Hôtel de Toulouse.
Foram pais de Louis-Jean-Marie de Bourbon, que herdou todos os Títulos e funções do pai e que casou com Maria Teresa Felicita d'Este, Principessa di Modena, em 29 de dezembro de 1744, e serão pais de sete filhos, entre eles Louise Marie Adelaide de Bourbon, chamada de " Mademoiselle de Penthièvre ", que casou com Louis-Philippe de Orleans, o regicida "Philippe Egalité ', pois votou a morte do primo, Luís XVI, em 1792, mas que depois foi guilhotinado. Esses são os pais do último Rei de França Capeto, com o Título de Reis dos Franceses, Luís Felipe I, avô no nosso Conde d’Eu.


8-      Bonne de Pons, Marquesa d'Heudicourt (1665 ou 1666);
9-      Anne-Julie de Rohan-Chabot, Princesa de Soubise (1674 à 1676);
10-   Marie-Élisabeth de Ludres (1676 à 1677);
11-   Lydie de Rochefort-Théobon;
12-   Marie Angélique de Scoraille de Roussille, Duquesa de Fontanges (1681), chamada de “Mademoiselle de Fontanges”;
13-   Claude de Vin des Œillets, « mademoiselle des Œillets », tiveram uma filha: Louise Marie Antoinette Josèphe Jeanne de Bourbon de Maisonblanche, filha ilegítima não reconhecida. Foi declarada filha legitima de “Philippe de Maisonblanche, ancien capitaine de cavalerie, et de dame Gabrielle de la Tour, son épouse”.
14-   Anne-Lucie de La Mothe-Houdancourt;
1        15-   Françoise d'Aubigné, Marquesa de Maintenon, viúva do poeta Scarron chamado de « la belle indienne », porque teve exilada nas Índias Ocidentais/Martinica "a bela indiana”, com quem contraiu casamento morganático após a morte da Rainha.

Description de cette image, également commentée ci-après
  Françoise d'Aubigné, Marquesa de Maintenon, viúva do poeta Scarron