quarta-feira, 29 de abril de 2015

175- O Suspiro antes da Queda final de Ricardo Plantageneta de York- conversa – “A GUERRA DAS ROSAS” - F

175- o  Suspiro antes da Queda final de Ricardo Plantageneta de York- conversa – “A GUERRA DAS ROSAS” - F


  

Arms of Cecily Neville, Duchess of York

Sobre a Leoa de Ludlow escrevi:

A favor da Duquesa Cecilia, ou Cecily, tenho a dizer que de sua casa, Ludlow Castle, mesmo quando Richard fugiu para não ser sentenciado, ela trabalhou com afinco para a causa da Casa de York.
Quando o Parlamento debateu o destino do marido em novembro de 1459, Cecily viajou para Londres para suplicar por ele.
Devo chama-la de a Leoa de Ludlow, pois nessa ocasião os domínios do marido foram confiscados, mas ela lutou, esbravejou, falou com os nobres, com os membros do Parlamento e da nobreza, com o Rei, com Deus e o mundo, e saiu com uma renda de £ 600 para sustentar seus filhos.
Tinha mérito a senhora.
Tinha mérito a Leoa de Ludlow.
Pro seu gáudio, depois de tantas desgraças e graças, ela assistiu o casamento de sua neta Elizabeth de York, filha mais velha de Eduardo IV, com Henrique VII, Rei da Inglaterra, e com isso se tornou a avó, a ancestral de vários e vários Soberanos da Inglaterra, do UK, da França, da Espanha, da Europa, enfim....
Virou piedosa e morreu em 31 de maio de 1495, sendo sepultada no túmulo com seu marido Ricardo Plantageneta de York, seu filho Edmund, Conde de Rutland, na church of St Mary and All Saints, Igreja de Santa Maria e de Todos os Santos, em Fotheringhay, Northamptonshire, condado no East Midlands, Inglaterra.


A Duquesa Cecilia, ou Cecily Neville


Mais, voltemos ao maridão e seus aliados...

Ricardo Plantageneta de York, com seu segundo filho Edmundo, Conde de Rutland, fugiu para o País de Gales, e de lá para a Irlanda.
Salisbury, Warwick e filho mais velho de York, futuro Rei Eduardo IV, foram para o West Country, o sudoeste da Inglaterra, as margens do Canal da Mancha, “onde um partidário, Sir John Dynham, lhes emprestou um barco que os levou para Calais, onde a guarnição ainda apoiava Warwick”.

Ricardo Plantageneta de York ainda era o Regente da Irlanda, era o Conde de Ulster, senhor de muitas terras por lá.

O Ulster (em irlandês Ulaidh ou Cúige Uladh, em scots Ulsteré) uma das quatro províncias históricas ou tradicionais da Irlanda, dividida em nove condados, dos quais seis, atualmente, localizam-se na Irlanda do Norte e três na República da Irlanda. A província não possui funções administrativas.
A Irlanda do Norte é frequentemente mencionada como Ulster ou província do Reino Unido, estes termos podem causar confusão, uma vez que uma parte da província histórica do Ulster faz parte da República da Irlanda.

“E as tentativas para substituí-lo falharam. O Parlamento da Irlanda apoiou-o, fornecendo ofertas de tanto apoio militar e financeiro”.
O retorno do Conde de Warwick, com o filho – o Conde de Salisbury- e o filho de Ricardo – o futuro Rei Eduardo-  para Calais também deu certo.
Eles controlavam com isso o English Channel, o Canal da Mancha.
De lá condenaram os maus conselheiros do Rei, “documento” espalhado pela costa sul do Reino.
Warwick tinha tal domínio sobre o Canal da Mancha que viajou para a Irlanda, conferenciou com York, e depois voltou para Calais.
“Os ricos e poderosos comerciantes de lã, em Londres, apoiavam ao Conde de Warwick, pois Calais era vital para os negócios deles, fato que enfraquecia os favoritos reais”.
Os domínios dos dois homens foram confiscados em solo inglês. Vide acima a postura da Leoa de Ludlow.
Para eles não havia outra saída a não ser destronar a Henrique VI, prender a Rainha “francesa”, e justiçar os favoritos.
O Conde de Warwick e o Conde de Salisbury desembarcaram em Sandwich, no Condado de Kent, cujos homens em armas a eles se uniram.
Marcharam para Londres, cujas portas foram abertas para eles.
De Londres foram para o norte, e em 10 de julho de 1460 travaram A Batalha de Northampton, em Northampton, as margens do River Nene (rio Nene), Northamptonshire, um confronto considerado como “a grande batalha das Guerras das Rosas, apesar dela só ter durado 30 minutos”, coisa de inglês, pois não???

Os comandantes e líderes
William Neville, primeiro conde de Kent- 7ª criação (1461-1463), e jure uxoris sexto Barão de Fauconberg, Cavaleiro da Ordem da Jarreteira.
O Rei Henrique VI.
Humphrey Stafford, Duque de Buckingham
John Talbot, Conde de Shrewsbury
Edmund, Lord Grey of Ruthin ( traidor)
Thomas Percy, Barão de Egremont


O traidor do lado Lancaster que deu a vitória aos York:

Edmund, Lord Grey of Ruthin, traiu os Lancaster, foi por Eduardo nomeado Tesoureiro da Inglaterra - treasurer of England- ganhou “the manor of Ampthill”, que disputava com Ralph, Lord Cromwell, e Henry Holland, Duque de Exeter, e foi elevado a Conde de Kent ( criação,1465), e Condestável de Harlech.

Os de Lancaster:

1-      O Rei Henrique VI, feito prisioneiro. Estava escondido no fundo de sua tenda morrendo de medo, sendo capturado por um arqueiro, Henry Mountfort.
2-      Humphrey Stafford, Duque de Buckingham, Lord Warden of the Cinque Ports, Alto Condestável da Inglaterra, Conde de Stafford, cavaleiro da Ordem da Jarreteira, foi morto.
3-      John Talbot, Conde de Shrewsbury, Conde de Waterford, Barão Talbot, cavaleiro da Ordem da Jarreteira, foi morto.

 Royal Arms of England and France used intermittently (1399-1603)

Ricardo Plantageneta de York voltou para a Inglaterra e agiu como o novo Rei.
Marchou sob o pavilhão de seu antepassado Lionel de Antuérpia, Duque de Clarence, jure uxoris 4 º Conde de Ulster e Barão de Connaught, filho de Eduardo III, Rei da Inglaterra e Filipa de Hainaut, mas ao chegar nas portas de Londres, ante a multidão, deflagrou o pavilhão com as Armas Reais da Inglaterra.
Foi um espanto.
Henrique VI estava preso na Torre de Londres, mas estava vivo.
Diante do Trono vazio, Ricardo com a mão nele, esperou ser aclamado Rei, mas não foi.
Thomas Bourchier, Cardinale presbitero di San Ciriaco alle Terme Diocleziane, Arcebispo de Canterbury, de quem Humphrey Stafford, primeiro duque de Buckingham era seu meio-irmão, perguntou-lhe nesse exato momento se ele não queria ver o Rei.
Ele respondeu demagogicamente o que caiu mau diante dos presentes.
Enfim, acabou conseguindo “the Act of Accord” - Lei de Acordo- pelo qual ele e seus herdeiros foram reconhecidos como sucessor de Henrique VI.
O Parlamento o elevou a Príncipe de Gales, Duque da Cornualha, Conde de Chester (Títulos do Herdeiro do Trono) e para coroar seus poderes o fez Lord Protetor de Inglaterra em 31 de outubro de 1460.
Com isso, o Rei Henrique VI, o tolo, ficou sob custodia e Ricardo Plantageneta de York, junto com Richard Neville, Conde de Warwick, o Kingmaker, se tornaram os governantes de facto do Reino da Inglaterra.

Mais, a roda da fortuna uma hora tá em cima, outra hora tá em baixo....

Continua...



Arms of Richard of York,

Lord Protector of England, Duke of Cornwall, Earl of Chester, Duke of York, Earl of Ulster, Earl of March, Earl of Cambridge, feudal Lord of Clare and Baron Mortimer of Wigmore