segunda-feira, 13 de abril de 2015

Hiato nas conversas- Coroas.

Hiato nas conversas- Coroas.


Coroa Imperial de Dom Pedro I

A Coroa, uma regale das regalias,
Utilizada por monarcas, integrantes da nobreza, santos e deuses, que representa: poder, legitimidade, imortalidade, justiça, vitória, triunfo, ressureição, honra e glória da vida após a morte.

O uso da Coroa remonta a à pré-história.

Christus bekroonde- Cristo Coroado 
A Coroa de Espinhos
Maarten van Heemskerck
Nascido Marten Jacobsz Heemskerk van Veen
Pintor sacro e retratista holandês
*1 de junho de 1498 -  +1 de outubro de 1574

A Coroa de Espinhos foi colocada sobre a cabeça de Jesus antes de sua crucificação e tornou-se um símbolo comum do martírio.

Significado de Coroa: s.f. Ornamento em forma circular, para cingir a cabeça, como enfeite ou sinal de distinção: coroa de louros; coroa real.
Pessoa do soberano, governo de um soberano = os espanhóis se referem ao Estado com o La Corona.
Sinônimos de Coroa: diadema, estema (Árvore genealógica; raça, linhagem), grinalda, honra.



Tiara utilizada pelo Papa Pio XI

“A Tiara papal, Tríplice Tiara ou Tiara Tripla (em latim: Triregnum, em italiano: Triregno e em francês: Trirègne) é a "coroa papal”, uma rica cobertura para a cabeça, ornamentada com pedras preciosas e pérolas, que tem a forma de uma colmeia, possui uma pequena cruz no ponto mais alto, e também é equipada com três diademas reais"

Real Brasão d’ Armas do Reino Unido
Coroa sobre o Elmo e sob o Leão Coroado.

A coroa como símbolo é também utilizada em heráldica, nos Brasões d’Armas.


Triunfo de Vespasiano e Tito
Giulio Romano (nascido Giulio Pippi *1492 / + 1546)
 Pintor do Renascimento italiano
Museu do Louvre

Na Antiguidade Clássica, do século VIII a.C. à queda do Império Romano do Ocidente ao ano 476, do século V d.C., as coroas não só eram atributos reais, mas, também, eram concedidas
a generais (daí o temo imperator significava um general vitorioso que tivera sido aclamado pelas suas tropas e tendo, portanto, direito ao triunfo(vir triumphalis), concedido pelo senado e pelo povo de Roma – “Júlio Cesar portava : a "toga picta" roxa e dourada, coroa de louros, botas vermelhas e,  o rosto pintado de vermelho como da suprema divindade de Roma”.) ou atletas, era na verdade eram uma coroa de flores, ou uma fita colocada em torno da cabeça do agraciado.

Diadema do século IX antes de Cristo. 

Antes da Coroa houve o Diadema usado pelos Soberanos do Império Aquemênida, Primeiro Império Persa, de 550 a.C. até 336 a.C., e introduzido no Ocidente por Constantino I, o Grande, sendo usado por todos os Imperadores posteriores tanto no Ocidente, quanto no Oriente.


Estátua da Liberdade

A “corona radiata”, que hoje podemos ver na Estátua da Liberdade, também, conhecida como a coroa solar, simbolizava o Sol, “foi usado por imperadores romanos em associação com o culto do Sol Invictus, e por influência das representações de Alexandre, o Grande, que a usava”.


Coroa de Ferro

A “Corona Ferrea”, Corona di Ferro, a Coroa de Ferro dos Lombardos, provavelmente, a mais antiga insígnia real da Europa, mantida na Catedral de Monza, Itália, e é venerada como relíquia pelos católicos, e porquê?
Porque segundo a Lenda “o aro interno que sustenta as placas de ouro, cobertas por esmalte, interligadas por dobradiças delicadas, foi confeccionado com um dos cravos usados em Jesus na Crucificação. Possui circunferência externa de 52 cm, altura de 5,5 cm, e peso de 563 g”.
“O cravo já estava encravado no elmo de Constantino, o Grande, pois era uma das relíquias trazidas por Santa Helena, mãe do Imperador, da Terra Santa”.
Em 1576, São Carlos Borromeo instituiu o culto do Santo Cravo, para celebrar a veneração da Coroa de Ferro.
“E a Coroa de Ferro foi usado por Reis Lombardos ou Longobardos, e mais tarde por Carlos Magno, em 775, quando se fez Rei dos Lombardos ou Longobardos, e por seus sucessores, para a Coroação como Reis da Itália”.
Os Imperadores do Sacro Império Romano eram coroados três vezes:
Como Rei da Alemanha;
1-       Como um Rei da Itália, e a Coroação era realizada em Milão, na Basílica de Santo Ambrósio, ou em Monza, no Duomo dedicato a san Giovanni Battista, Basilica di San Giovanni Battista;
2-       Como um Imperador em Aachen.
“Entre uma coroação e outra, a Coroa de Ferro ficava no Duomo dedicato a san Giovanni Battista, na Catedral de Monza, razão pela qual foi declarada "cidade real", e domínio pessoal do Imperador Sacro, e gozava de privilégios e isenções fiscais”.
“Quando o Ducado de Milão passou a ser domínio da Áustria a tradição continuou, tanto que o Imperador Francisco, do Sacro Império (1792) e depois Imperador da Áustria (1806), foi Coroado com a Coroa de Ferro em 1792”.
Em 1805, Napoleão ao SE auto coroar como Rei da Itália proclamou ao coloca-la na cabeça:
"Dio me l'ha data e guai a chi me la toglie!".
T.L.: "Deus me deu, e ai quem tira de mim!".
Deus mesmo tirou dele, por suas diabruras.

A Dinastia de Savoia, a última a reinar na Itália unificada, nunca a usou.


Reichskrone
Coroa Imperial do Império Romano-Germânico
Usada nas Cerimonias em Aachen até 1562.
Depois essas cerimonias passaram a ser realizadas na Catedral de Frankfurt am Main.

Portanto, a Coroa, uma regale das regalias, servia para designar governantes remonta à pré-história, e é encontrado em muitas civilizações separadas ao redor do globo. Comumente, materiais raros e preciosos são incorporados a coroa, mas isso é apenas essencial para a noção de joias da coroa. Ouro e preciosas joias são comuns em coroas ocidentais e orientais. Nos nativos americanos civilizações dos Pré-colombiana do Novo Mundo, usavam Cocares de raras penas, assim, também, na Polinésia, por exemplo, Hawaii.

Túpac Yupanqui, el Décimo Inca

Coroação de Carlos Magno

A Coroação é combinada com outros rituais, como a entronização (o Trono é tanto um símbolo da Monarquia como a Coroa) e Unção ou Sagração (a Unção religiosa, o único ato que liga a Coroação a Tradição Bíblica de Israel).


Coroação de Dom Pedro de Alcântara Francisco António João Carlos Xavier de Paula Miguel Rafael Joaquim José Gonzaga Pascoal Cipriano Serafim de Bragança e Bourbon, em 12 de outubro de 1822, na Capela Imperial, na Mui Leal e Heroica Cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro, como
Sua Majestade Imperial, o Imperador Constitucional e Defensor Perpétuo do Brasil

Os outros Símbolo de Realeza, da Monarquia, da Coroa, são as Regalias ou Regalia, palavra em plural no latim, ou no singular na mesma língua Regale, e elas são basicamente:
O Trono, o manto, o cetro, a mão da justiça, o orbe, espada, as esporas, o Selo do Reino, o discurso do trono usando pronome na primeira pessoa do plural – NOS -  a ausência de vida e muitas vezes abdicando da propriedade privada, etc.
A purpura (royal purple, imperial purple, em inglês, real roxo, roxo imperial, em português, pourpre royal, pourpre impériale, em francês) também, era uma regale.

Regalia dos Reis da Baviera
Schatzkammer- Sala do Tesouro do
Münchner Residenz, antigo Palácio Ducal e Real
 Munique, na Baviera, Alemanha

Existem no mundo hodierno dois tipos de Coroas Reais:
a- La couronne ouverte (un cercle avec éventuellement des ornements : épis de faîtage, fleurs de lys, fleurs, étoiles, feuilles de chêne et épines etc.,...).
T.L.: A coroa aberta (um círculo com ornamentos: florões, flor de lis, flores, estrelas, folhas de carvalho ou espinhos etc.,...).
b-  La couronne fermée (un cercle, auquel sont fixés des arcs qui se rejoignent en leur sommet) est à l'origine un symbole impérial (elle est appelée « couronne à l'impériale » ou « couronne de Charlemagne »), qui a été détourné par les rois au même titre que d'autres attributs impériaux comme le globe, et qui était porté uniquement lors du sacre royal. La représentation des rois en couronne fermée devient systématique en France à partir de Françiois Ier qui l'adopte en 1519 le jour de sa compétition pour la couronne impériale avec Charles Quint
T.L.: A coroa fechada (os arcos que se encontram no alto têm origem num símbolo imperial (chamada de "a coroa imperial" ou "coroa de Carlos Magno") foi “copiada” pelos Reis – não Imperadores - bem como outros atributos [Regalias], como o Globo Imperial, e foi usada apenas durante a coroação real. [ Em 1519, na França a partir de Francisco I ela é adotada porque o Soberano francês estava competindo pela Coroa Imperial com Carlos de Luxemburgo, Carlos I de Espanha, depois Carlos V do Sacro Império Romano Germânico].


Coroa de Luis XV

Coroas da Nobreza em França:


Império Francês:  

  

Em Portugal:

 


No Império do Brasil: 




                                                                        Coroas de Dom Pedro I e de Dom Pedro II 
Até agora não sei porque a primeira Coroa Imperial, não foi usada na Segunda Coroação.
É de pasmar a falta de vontade brasileira para criar Tradições.

Todo esse “converse” para falar da Coroa usada por Francisco I, Rei de França, em suas Armas.

Continua....