quarta-feira, 15 de abril de 2015

162 - conversa- Da Vinci e a Coleção Czartoryski.

162 - conversa-  Da Vinci e a Coleção Czartoryski.

Mona Lisa, ou "Senhora Lisa", ou A Gioconda, La Gioconda, "a sorridente", ou La Joconde, ou ainda Mona Lisa del Giocondo ("Senhora Lisa [esposa] de Giocondo").

Eu considero Leonardo da Vinci um tremendo aventureiro.
Não compartilho do basbaque da Humanidade ante ele por causa do livro “O Código da Vinci” - The Da Vinci Code - de autoria do escritor norte-americano Dan Brown.
Não aprecio a Mona Lisa, nem tão pouco A Última Ceia, L’Ultima Cena, ou Il Cenacolo, afresco pintado no refeitório do Convento de Santa Maria delle Grazie, em Milão, Italia.
Tenho sempre em mente a resposta de um jovem japonês, participante de uma dessas caravanas orientais que pululam pela Europa, na saída do Museu do Louvre, quando lhe foi perguntado sobre a Mona Lisa.
O rapaz disse mais ou menos assim:
“Perdi tanto tempo numa fila para ver um quadrinho pequeno com uma mulher feia”.
Concordo com ele.  
Brasão de Czartoryski
Divisa:
Bądź co bądź
Aconteça o que acontecer

Apesar de suas restaurações medíocres, gosto da Dama com Arminho, o retrato de Cecília Gallerani, amante de Ludovico Il Moro, aliás, quem encomendou o quadro, que está hoje no Muzeum Książąt Czartoryskich w Krakowie - Museu Czartoryski na Cracóvia, propriedade da Fundação Príncipes Czartoryski, cuja coleção está sob os cuidados do Muzeum Narodowe w Krakowie, ou Museu Nacional na Cracóvia.




Izabela Czartoryska
Alexander Roslin, pintor e retratista sueco
 1774

Izabela Fleming, ou Izabela (właściwie: Elżbieta) Dorota z Flemmingów Czartoryska - Izabela (na verdade: Elizabeth Dorothy Flemming Czartoryska, única filha do Grande Tesoureiro lituano George Detloff Flemming (algumas fontes erroneamente também referido como John George Flemming) e da Dame Antonina Czartoryska, nasceu em Varsóvia no dia 3 de março de 1746, e faleceu em 17 de Junho de 1835 no Pałac Czartoryskich w Wysocku, ou Palácio Czartoryski de Wysocko.
Com 15 anos de idade casou-se em 18 de novembro de 1761 com o książę Adam Kazimierz Joachim Ambroży Marek Czartoryski książę na Klewaniu i Żukowie, ou Príncipe Adão Casemiro Joaquim Ambrósio Marco Czartoryski, Príncipe de Klewaniu e Zukov, “a candidatura ao trono lhe foi oferecida, mas não quis concorrer contra Stanislaus Poniatowski. Entrou ao serviço da Áustria, e o Imperador José fez dele Marechal de Campo”.
Tiveram diversos filhos, mas não foram felizes, pois sua “vida sexual era muito exuberante”,  sendo ela amante do Rei Stanislaw August Poniatowski da Polônia, amante do embaixador russo Nikolai Repnin, amante de Armand-Louis de Gontaut Biron, Duc de Lauzun, Duc de Biron et Pair de France, amante do Conde Luigi Frederick von Brühl, amante de Adrien Louis de Bonnieres , Conde de Guines e embaixador francês em Londres, amante do General Francis Xavier Branicki, amante do Conselheiro Conde Kazimierz Rzewuski, governador de żydaczowskim, amante de CHEGA, mas eu creio que ela foi amante dessa gente toda com o doce consentimento do marido, cujo Pałac Błękitny w Warszawie, Palácio Azul em Varsóvia, e esse Palácio dos Czartoryski era o centro político-social e cultural da Polônia.
Com a morte do sogro, Príncipe August Aleksander Czartoryski, sua grande riqueza foi dividida entre seus filhos, tendo Adam Kazimierz e sua esposa, Izabela Czartoryska, a rezydencja Czartoryskich w Puławach, a Residência Czartoryski em Pulawy, entre outros bens, onde fixaram residência.

Pałac w Sieniawie

Com o tempo o Príncipe, książę Adam Kazimierz, foi morar no seu Pałac w Sieniawie, ou Palácio de Sieniawa, que durante o século XIX foi a principal sede da Família Czartoryski, um novo centro político-social e cultural, ricamente decorado, tinha até 24 cadeiras de marfim.
Num desses eternos conflitos em que se vê envolvida a Polônia a Residência Czartoryski em Pulawy foi destruída.

Retrato de um jovem
De Raphael
(Raffaello Santi ou Raffaello Sanzio)
Do
"Catálogo de pinturas removidos da Polônia pelas autoridades alemãs de ocupação durante os anos de 1939-1945”.
O jovem era Francesco Maria della Rovere,.

De volta do exilio, Izabela Czartoryska, o reconstruiu, remodelou os jardins, e mandou construir o “Świątynia Sybilli w Puławach”, ou Templo da Sibila, e mais a Dom Gotycki w Puławach, Casa Gótica em Pulawy (Gothic House foi construída no estilo inglês tão em moda no início do século XIX) e nessas construções  foi colocada a Coleção de Arte de sua proprietária, que se tornou o primeiro museu polaco, cerne do atual Muzeum Książąt Czartoryskich w Krakowie - Museu Czartoryski na Cracóvia-  propriedade da Fundação Príncipes Czartoryski, cuja coleção está sob os cuidados do Muzeum Narodowe w Krakowie, ou Museu Nacional na Cracóvia.
 “De acordo com Zdzislaw Zygulski a Coleção era dividida em 4 partes:
Lapidação, Artefatos históricos – com lembranças de Luís XVI de França, Ricardo Coração de Leão, Henrique VIII da Inglaterra, Carlos I da Inglaterra e seu antagonista Oliver Cromwell –Curiosidades e Livros, Pinturas – as três joias são “a Dama com Arminho” de Leonardo da Vinci, “Paisagem com o Bom Samaritano” de Rembrandt (ambos estão atualmente no Museu Czartoryski, em Cracóvia) e “Retrato de um jovem” de Raphael (perdido durante a Segunda Guerra Mundial). O jovem era Francesco Maria della Rovere,,e o quadro é de 1514.
Quando comprou “a Dama com Arminho” a Princesa Izabela Czartoryska não sabia a história da imagem e da verdadeira identidade do modelo.
Izabela Czartoryska cuidou pessoal de todas essas coleções, tanto das aquisições, como na catalogação, em como na organização.
“Por causa da Revolta de Novembro, ou Guerra russo-polaca, de 1830 até 1831, na noite de 5 para 6 de março de 1831, a Izabela Czartoryska e as filhas Maria Wirtemberska e Cecilia Beydale, por ordem de seu filho Príncipe Adam Jerzy Czartorysk, primeiro Presidente do Governo Nacional Polonês, fugiram a pé de Pulawy e se refugiaram no Mount Puławska, na margem esquerda do Rio Vístula”.



Princesa Izabela Czartoryska deixa Pulawy durante a Revolta de Novembro em 1831
Litografia de Thomas Napoleon
 Izabela Czartoryska morreu com a idade de 90 anos.
Ela foi enterrada no Moszczanach inicialmente, em 1860, o caixão com o corpo foi transportado para a Cripta do Palácio de Sieniawie, o jazigo perpetuo da família Czartoryski.

 Krypta rodu Czartoryskich
Pałac w Sieniawie

 Mais, o que aconteceu com a Coleção quando Izabela Czartoryska e as filhas Maria Wirtemberska e Cecilia Beydale, fugiram a pé de Pulawy?
As obras foram escondidas em vários lugares.
E a maior parte da coleção foi paulatinamente transferida para Paris, para o Hotel Lambert, residência do Príncipe Adam Jerzy Czartorysk.
O Hotel Lambert é uma mansão situada na l’île Saint-Louis, no 2 de la rue Saint-Louis-en-l’Île dans le 4e arrondissement de Paris, construído em 1640 por Louis Le Vau, com pinturas e decoração de Charles Le Brun e Eustache Le Sueur, a turma do Palácio de Versalhes.
 Foi comprado pela Princesa Anna Zofia Sapieha, mulher do Príncipe Adam Jerzy Czartoryski, filho do Príncipe Adam Kazimierz Czartoryski e de Izabela Czartoryska, por 175.000 francos.
Hotel Lambert logo se transformou num centro cultural polonês, frequentado por George Sand e Frederic Chopin, Delacroix, Zygmunt Krasiński, Alphonse de Lamartine, Balzac, Hector Berlioz, Franz Liszt, poeta Adam Mickiewicz, e outros menos votados.
Foi para o Grande Baile Anual que os Czartoryskich davam em retribuição aos convites que
Chopin compôs as “polonaises”.
Książę Władysław Czartoryski, o Príncipe Władysław Czartoryski, que no dia 15 de janeiro de 1872, casou com a Princesa Margarida Adelaide de Orléans, filha do Duque de Nemours, e irmã de Gastão de Orléans, Conde d'Eu, o marido da Princesa Imperial do Brasil, Dona Isabel de Bragança.
E foi o Príncipe Władysław Czartoryski, que tinha grande interesse pela arte egípcia, que em 1865, realizou a exibição da chamada "coleção Czartoryski" na Exposition des Arts Decoratifs, em Paris, que em 1878, ele reabriu o Museu Czartoryski, em Cracóvia.
Graças a essa iniciativa de Władysław Czartoryski foi que durante a II Grande Guerra “a parte mais valiosa da coleção que estava escondida no porão do Palácio em Sieniawa, foi descoberta pelos alemães e saqueada. Muitos dos bens ainda não foram devolvidos como o “Retrato de um jovem Raphael”.
Esse senhor realmente era um gênio, pois sabedor de quem a Polônia vivia sempre em guerra com alguém, mandou sua coleção para lá.
Um gênio da raça.
Mais, como Deus é bom, em 1950, o que restou da Coleção Fundacja Książąt Czartoryskich, ou Fundação dos Príncipes Czartoryskich, “foi incorporada ao Museu Nacional em Cracóvia”.



Izabela Czartoryska (1831)

Isso TUDO para falar de uma obra de Leonardo da Vinci que eu gosto...risos

Continua....