segunda-feira, 13 de abril de 2015

Hiato - do Renascimento, ou Renascentismo ou Renascença. - Artigo publicado na GIRAFAMANIA.COM.BR sem o nome do autor.

Michelangelo: A criação de Adão. Capela Sistina

Hiato - do Renascimento, ou Renascentismo ou Renascença.

Continuação:

Por isso vamos falar do Renascentismo, da Renascença, até porque Francisco é considerado o Rei icônico, que personifica melhor, do ou o período do Renascimento Francês.
Durante seu reinado houve um desenvolvimento significativo das artes e da literatura na França.

Significado de Renascentismo: s.m. Ação ou efeito de renascer; a renascença.
Reunião de tudo que define a época literária, os estilos artísticos, os aspectos particulares ou os artistas que pertencem ao Renascimento: obra arquitetônica caracterizada pelo renascentismo.
(Etm. renascent(e) + ismo)



A Morte de Leonardo da Vinci nos braços do Rei Francisco, por Ingres (1818).
Jean-Auguste Dominique Ingres
Pintor e desenhista francês, atuando na passagem do neoclassicismo para o romantismo
Discípulo de David

O abaixo não é de minha autoria, busquei no site GIRAFAMANIA.COM.BR, mas é excelente, de Sérgio Eduardo Sakall’s Home Page (photografer, collector and writer).
O Renascimento foi uma época ou movimento de renovação das artes e ciências europeias, entre os séculos XIV a XVI, marcado pela valorização da Antiguidade Clássica.
O Renascimento Italiano se espalha pela Europa, trazendo novos artistas que nacionalizaram as ideias italianas... Em ordem alfabética, os principais pintores foram:
Albrecht Altdorfer, alemão (1480-1538)
Albrecht Dürer (1471-1528)
Andrea del Verrocchio (1435-1488, pintor e escultor)
Andrea Mantegna (1431-1506, pintor e escultor)
Antonello da Messina
Benoso Gozzoli
Bernardino Luini
Carlo Crivelli
Corregio
Cosimo Tura
Dirk Bouts
El Greco (1541-1614)
Família Vivarini
Filippino Lippi (1457-1504)
Francesco Bacchiacca (1494-1557)
Gérard David
Giorgione (1477-1510, pintor)
Giorgio Vasari (1511-1574)
Giovanni Bellini (1430-1516, pintor)
Grünewald (1470c.-1528) Hans Holbein
Hans Memling 
Irmãos Limbourg
Juan de Flandres
Leonardo da Vinci (1452-1519, pintor e escultor)
Lorenzo di Credi
Luca Signorelli
Lucas Cranach
Mabuse
Masaccio (1401-1428, pintor)
Michelangelo Buonarroti (1475-1564, pintor e escultor)
Paul Brill
Perugino
Piero della Francesca (1420 (?) -1492) Pieter Brüegel (1528/30-1569)
Quentin Metsys
Raffaello Botticini (1474-1520)
Rafael Sanzio (1483-1520, pintor)
Rogier van Der Weyden
Sandro Botticelli (1445-1510, pintor)
Tintoretto (1518-1594)
Tiziano Vecellio (1490-1576, pintor)
Vittore Carpaccio


As Três Graças, 1503/4
Museu Condé, Chantilly.
Rafael Sanzio (em italiano: Raffaello Sanzio) ou só Rafael.
Mestre da pintura e da arquitetura da escola de Florença durante o Renascimento italiano


RENASCIMENTO CULTURAL ou RENASCENTISMO
O termo Renascimento é comumente aplicado à civilização europeia que se desenvolveu entre 1300 e 1650, sobretudo no século XVI. Além de reviver a antiga cultura greco-romana, ocorreram nesse período muitos progressos e incontáveis realizações no campo das artes, da literatura e das ciências, que superaram a herança clássica.
O ideal do humanismo foi sem dúvida o móvel desse progresso e tornou-se o próprio espírito do Renascimento. Num sentido amplo, esse ideal pode ser entendido como a valorização do homem (Humanismo) e da natureza, em oposição ao divino e ao sobrenatural, conceitos que haviam impregnado a cultura da Idade Média.
Ou seja, a partir do Renascimento, o ser humano passou a ser o grande foco das preocupações da vida e do imaginário dos artistas. O retrato, por exemplo, tornou-se um dos gêneros mais populares da pintura, utilizado, na ausência da fotografia, para o registro de pessoas e famílias nobres e burguesas.
Dentro desse universo de figurações, o autorretrato se estabelece como um sub-gênero repleto de peculiaridades. Nele, o artista se retrata e se expressa, numa tentativa de leitura e transmissão de suas características físicas e sua interioridade emocional.
Ali também, na maneira como utiliza cores e pinceladas, no modo como desenha suas próprias formas e lhes atribui volumes e texturas, o artista constrói seus próprios comentários sobre a natureza e os atributos da arte.
Características gerais: Racionalidade; Dignidade do Ser Humano; Rigor Científico; Ideal Humanista; Reutilização das artes greco-romana.
Principais características da Pintura Renascentista:
– Perspectiva: arte de figura, no desenho ou pintura, as diversas distâncias e proporções que têm entre si os objetos vistos à distância, segundo os princípios da matemática e da geometria.
– Uso do claro-escuro: pintar algumas áreas iluminadas e outras na sombra, esse jogo de contrastes reforça a sugestão de volume dos corpos.
– Realismo: os artistas do Renascimento não veem mais o homem como simples observador do mundo que expressa a grandeza de Deus, mas como a expressão mais grandiosa do próprio Deus. E o mundo é pensado como uma realidade a ser compreendida cientificamente, e não apenas admirada.
– Inicia-se o uso da tela e da tinta à óleo.
Outra característica da arte do Renascimento, em especial da pintura, foi o surgimento de artistas com um estilo pessoal, diferente dos demais, já que o período é marcado pelo ideal de liberdade e, consequentemente, pelo individualismo.
Arquitetura renascentista
Na arquitetura renascentista, a ocupação do espaço pelo edifício baseia-se em relações matemáticas estabelecidas de tal forma que o observador possa compreender a lei que o organiza, de qualquer ponto em que se coloque.
“Já não é o edifício que possui o homem, mas este que, aprendendo a lei simples do espaço, possui o segredo do edifício” (Bruno Zevi, Saber Ver a Arquitetura).
Principais características:
Ordens Arquitetônicas
Simetria
Arcos de Volta-Perfeita
Simplicidade na construção
A escultura e a pintura se desprendem da arquitetura e passam a ser autônomas
Construções; palácios, igrejas, vilas (casa de descanso fora da cidade), fortalezas (funções militares)
Exemplos na França, Paris: Igreja St. Etienne-du-Mont; Igreja St.-Eustache; Fontaine des Innocentes; Pont Neuf. Exemplos na Espanha: Hostal de San Marcos.
O principal arquiteto renascentista:
Brunelleschi, é um exemplo de artista completo renascentista, pois foi pintor, escultor e arquiteto. Além de dominar conhecimentos de Matemática, Geometria e de ser grande conhecedor da poesia de Dante. Foi como construtor, porém, que realizou seus mais importantes trabalhos, entre eles a cúpula da Catedral de Florença e a Capela Pazzi.
Escultura renascentista
Em meados do século XV, com a volta dos papas de Avinhão para Roma, esta adquire o seu prestígio. Protetores das artes, os papas deixam o Palácio de Latrão e passam a residir no Vaticano. Ali, grandes escultores se revelam, o maior dos quais é Michelângelo, que domina toda a escultura italiana do século XVI. Algumas obras: Moisés, Davi (4,10m) e Pietá.
Outro grande escultor desse período foi Andrea del Verrochio. Trabalhou em ourivesaria e esse fato acabou influenciando sua escultura. Obra destacada: Davi em bronze (1,26 m).
Principais características:
Buscavam representar o homem tal como ele é na realidade
Proporção da figura mantendo a sua relação com a realidade
Profundidade e perspectiva
Estudo do corpo e do caráter humano





Incredulità di san Tommaso
Incredulidade de São Tomé.
Il Museo di Orsanmichele
Florença- Itália.
Andrea di Michele di Francesco di Cione detto Il Verrocchio
escultor, pintor e ourives na corte de Lorenzo de Médici.

Seus alunos da oficina foram formados como Leonardo da Vinci, Botticelli, Perugino , Domenico Ghirlandaio , Francesco Botticinis , Simone Ferrucci , Lorenzo di Credi , Luca Signorelli , Bartolomeo della Gatta